segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Desvinculação do PSD

Como sabem, tentei, juntamente com outros patriotas - até com a iniciativa sabotada do pedido de congresso extraordinário do partido para destituição da atual direção - reformar o PSD, em direção à democracia direta, com eleições primárias para candidatos a qualquer cargo do Estado ou autarquias e maior consulta do povo através de referendos, e recuperar o Estado a partir dessa mudança. Falhei.

Depois de refletir muito, concluo que essas mudanças não são possíveis, até porque a atual direção da União Europeia segura quem execute a política bancocrática que também defende.

Resta-me a desvinculação. E o consolo de não ter solicitado, não ter obtido, não ter querido, qualquer benefício da pertença ao PSD: não tive qualquer cargo no partido, no Estado ou nas autarquias, nem nunca me vali do partido ou recebi dele qualquer benesse ou apoio, mesmo durante os anos mais duros do enfrentamento político-judicial da denúncia do horror do abuso sexual de crianças da Casa Pia ou do percurso académico rocambolesco, e domínio antidemocrático do País, pelo primeiro-ministro Sócrates. Nem, por causa dessa adesão ideológica, deixei de dizer o que pensava, de acordo com a minha consciência.

No atual quadro decadente da democracia representativa, e com o controlo dos média tradicionais pelo sistema podre, também não creio  ser viável a criação, e o sucesso, de um novo partido, muito menos aderir a outro. Mais: no atual sistema, os partidos políticos que concorrem pelo poder tendem a ser organizações criminosas dedicadas à corrupção, com banqueiros e interesses económicos, e dominadas por caciques nacionais, setoriais e locais, servindo interesses próprios dos dirigentes e não o povo.

Continuarei a luta patriótica constante com o mesmo empenho e seguindo os mesmos princípios morais da doutrina social da Igreja, que sempre defendi.

Abaixo vos transcrevo a carta justificativa que enviei ao secretário-geral do PSD com o meu cartão.



Partido Social Democrata (PSD)
Rua de São Caetano, 9
1249-087 Lisboa
18-8-2014
Exmo. Senhor
Secretário-Geral do Partido Social Democrata (PSD)

Eu, António Manuel Balbino Caldeira, tenho a honra de me desvincular do Partido Social Democrata (PSD). Junto remeto o meu cartão de militante n.º 66767.

Lutei pela mudança e concluo que ela não é possível. Por duas razões: interna e externa.

Não creio que haja uma vontade patriótica dominante no PSD que determine o corte do partido com a bancocracia (a promiscuidade política com os banqueiros), que acabe com a sujeição a interesses estrangeiros, que promova uma racionalização do Estado social(ista) que garanta a solvabilidade do país, o bem estar das famílias e a segurança do povo, e que motive uma alteração das leis penais para resolver o nó górdio da corrupção de Estado.

Não acredito na possibilidade de reforma do PSD que estabelecesse eleições primárias livres para a escolha dos candidatos a cargos eletivos no Estado e nas autarquias, bem como para as estruturas nacionais, regionais e locai, do partido, bem como maior consulta do povo, e assim regenerasse o sistema político.

Por isso, saio do PSD. Não posso estar associado a algo que é moralmente insuportável e que julgo irreformável.

Continuarei o bom combate pela Pátria, de acordo com os princípios ideológicos e políticos que sempre segui.

Com os melhores cumprimentos,

António Manuel Balbino Caldeira

50 comentários:

floribundus disse...

meu Caro

como não é socialista está no local errado
eu também detesto viver neste rectângulo falido

o que não tem conserto.
consertado está !

Da Serra disse...

Pois eu, ex-militante nº 13119, nem justifiquei. Limitei-me a apresentar a minha demissão. Não merecem mais conversa!
Não aguentava mais!
Um abraço.

Anónimo disse...

Meu Caro,

A vida continua. Parabéns pela sua atitude e verticalidade.

Faça como eu, de quando em vez, vá dando água à burra...

Napoleão

Valdemar Rodrigues disse...

António, penso que fez, com a coragem e patriotismo que lhe são habituais, o que era inevitável. E talvez necessário que fizesse, pois as próximas décadas vão ser de "descontinuidade histórica", no que isso significa de bom e de mau. Um arraço amigo para si e para a sua família.

JPA disse...

O que esperar, se não verticalidade, de um Homem vertical.
Cá acompanharei e ajudarei na sua (e de todos) Luta.

Abraço
JPA

Anónimo disse...

Senhor Professor Balbino Caldeira

Dou-lhe os meus parabéns pela sua atitude que demonstra firmeza de carácter, independência de ideias e clarividência quanto ao que se passa nos partidos.
Não me espanta que viesse a tomar esta atitude pois, por aqui, diversas vezes tive oportunidade de lhe deixar escrito que o seu entusiasmo pelo partido viria a esfriar quando percebesse claramente como funcionam os partidos (TODOS) e com que finalidade são mantidos.
Razão tinha Salazar para os ter eliminado durante o período em que governou, pois ele sabia bem o que eles são e como funcionaram desde 1820, em Portugal.
O Portugal Contemporâneo de Oliveira Martins, Os Gatos de Fialho e as Memórias de Raul Brandão, bastam para se ter uma ideia do lixo que os partidos têm sido em Portugal.
Por alguma razão se denominam partidos!
O que todos precisávamos era de "INTEIROS" (inteiros no carácter, no Amor à Pátria e no desejo de bem servir a "Res pública" e o Bem-comum).
Ultimamente, e referindo-se ao sistema do país dos campeões da "Democracia", David Icke no seu livro Guia da Conspiração Global esclarece tudo.
Recordo ainda muito o tom dos deliciosos e saudosos textos do Sr. Comentador que por aqui passou há alguns anos, o "Lusitano", que já previa muito do que tem acontecido.
Um País não pode funcionar sem ÉTICA; e esta condição essencial perdeu-se de todo, no nosso País, no dia 24 de Abril de 1974.



Anónimo disse...

Parabéns pela sua atitude!

Anónimo disse...

" Mais: no atual sistema, os partidos políticos que concorrem pelo poder tendem a ser organizações criminosas dedicadas à corrupção, com banqueiros e interesses económicos, e dominadas por caciques nacionais, setoriais e locais, servindo interesses próprios dos dirigentes e não o povo."

Há anos que venho dizendo isso.
O tempo que demorou a perceber não é importante. Temos todo o tempo :)

Não consigo votar há bons anos.
Eleger crápulas e mafiosos só porque se apresentam com roupagens ideológicos da esquerda ou da direita,não faz o meu género.Não sou permeável à propaganda da banha-da-cobra.
Mais grave´até que os partidos corruptos do arco da governação,são as utopias assassinas que teimam em se manter nas preferências dos eleitores e têm lugar cativo na AR. Anacronismos enganadores que fizeram milhões de mortos e torturados pelo mundo.
Por tudo isso e por já ter comprovado a profundidade da corrupção,com prejuízo pessoal e nacional,sou completamente céptico sobre o futuro próximo do nosso país.

Anónimo disse...

O PPD/PSD e o Regime originado em Abril, e corrigido em Novembro, são irreformáveis.

Não se pense, ainda assim, que o Regime vai cair. Tal como a Monarquia demorou quase 2 décadas a cair, o Estado Novo, quase uma década. Abril cairá, logo que o ambiente externo o permitir.

Um Regime que deu origem a 3 falências ou bancarrotas (1978, 1983, 2011), não é viável.

Lutaremos todos os portugueses de bem, para que se consume o fim do Regime de Abril.

A luta continua.

José Sarney

Anónimo disse...

Oh, sr. Anónimo das 22:07,
O sr. vem agora com as teorias alienígenas?! Por amor de deus!!!
"Fia-te na virgem e não corras..."
Claro que há manipulações de outras tantas trapalhadas dignas do demo. Mas agora isto do Ike!?
Já se sabe muito da maçonaria do bilderberg etc. Mas o que cada um de nós faz no dia a dia para renegar estas organizações? Fala mas compra o jornal do grupo, fala, mas vai ao banco do grupo, fala mas vai ao jantarzinho do partido como simpatizante, fala mal dos políticos e outros que tais, mas baixa a cabeça quando passam na rua. Atribui a causas externas (teorias do Ike) os seus falhanços, a falta de Fé e Moral. Vende-se forçado pelos seus medos e vaidades.
O prof ABC deu um safanão no seu medo de desvinculação do tal partido. Emancipou-se para novos tempos.

Anónimo disse...

Senhor Anónimo das 22:58

Meteram-me nojo as suas lucubrações acerca do que sou, do que penso ou do meu comportamento social.
Devolvo-lhe, A SI, todas as afirmações que exarou aqui sem saber minimamente do que fala e de quem fala.

Muito gostaria de saber se alguma vez, algum dia ao menos que fosse esclareceu ou ajudou modificar a maneira errónea de pensar do seu semelhante, contribuindo com isso para que, no espírito de alguém se tenha feito luz.

Pois bem se o fez, congratulo-me com isso; se não, o que depreendo da forma agressiva e cega da sua escrita, também não nos serve para nada.

Passe bem!

Anónimo disse...

Parabéns, Prof ABC

attitude de coragem

este PSD foi/é um desilusão

esperava-se q combatesse a podridão e arrogância xuxialista q muitos sentiram na pele..

e afinal, nada...
pior

os gabinetes estão cheios de xuxas encartados, desde chefes de gabinete a adjuntos e assessors...

até para enviar as provas de gastos ilegais e criminosos do governo sókas para os juízes foi preciso uma ÓRDEM JUDICIAL!!!!!!

Anónimo disse...

Desculpe a franqueza: o tempo que levou a perceber o covil imundo que é o PSD não abona muito em seu favor. Mas, enfim, lá chegou.
Por outro lado, o seu sectarismo odiento e cego durante estes anos, o qual abriu o blog ao extremismo mais abjecto de vários, também não abona. Mas ele há milagres, pode ser que você se regenere. Porque o PSD está perdido.

Anónimo disse...

Ehehe!
Este está dorido por este blogue ter descoberto a careca ao Socretino. Dor de corno da boa.

O PSD está perdido,mas não criou nenhuma das 3 bancarrotas xuxas ou pré-bancarrota gutérrica.
O socialismo corrupto é 10 vezes mais nocivo para o país do que o bando de aves de rapina do PSD.

Anónimo disse...

Só agora? Pois eu já há muito que abandonei esta corja de mentirosos. O PSD é uma seita de interesses. Os partidos politicos são, em geral, associações criminosas cuja actividade é distribuir prebendas aos seus "afilhados" e esbulhar o povo. Protegem a incompetências e espertismo saloio. PSD nunca, mas nunca mais. Passos e Companhia destruiram o PPD/PSD. Tal como eu, procedeu bem. Parabéns....

Anónimo disse...

ALELUIA Sr. Professor.

Ao anónimo das 19 de Agosto de 2014 às 03:21

Está de plantão para vir sempre falar a esquerda em qualquer post do Blog??
Até parece um "Internet bot" sempre com as mesmas palavras chave.

Carlos disse...

Meu caro ABC

Como eu o compreendo!...

Concordo com a sua conclusão sobre o PSD, e que, sabe bem, é transversal aos partidos da "gamela".

Tenho discordado muitas vezes das suas posições. Mas isso, não invalida a concordância e o apoio a tantas outras.

Entendo, e já muitas vezes defendi, que o primeiro grande objectivo a conseguir, é obter um enorme número de votos nulos e brancos, de forma a abanar com estrondo, o actual sistema eleitoral.

Vamos a isso!

Carlos

Anónimo disse...

http://oinsurgente.org/2014/08/19/mitos-e-falacias-sobre-os-professores/

Jose' Salcedo disse...

Sinceros parabéns e um abraço.

Anónimo disse...

Concordo devemos deixar de apoiar ou votar nos partidos que fazem injustiças e mentem.

Parece-me que todos os partidos têm ingénuos infiltrados e controleiros que não defendem a melhoria de vida de todos mas só a de uns poucos.

Quando sinto isso num partido voto logo noutro, mesmo que não seja dos que estão na Assembleia da Républica.

Mas como explicar que um partido em que uma minoria votou esteja a mandar tanto?.

Mas que fazer?, parece-me que quando não há partidos ainda é pior. Todos temos que fazer com que haja mais honestidade, verdade e justiça, nos partidos e fora deles.

Anónimo disse...

"Entendo, e já muitas vezes defendi, que o primeiro grande objectivo a conseguir, é obter um enorme número de votos nulos e brancos, de forma a abanar com estrondo, o actual sistema eleitoral."

Ò sr Carlos,amadureça!
Acha mesmo que o regime treme com essa banalidade que a bem dizer já acontece em todas as eleições?
Conhece algum regime que tenha sido abalado com isso?
Com essas infantilidades podem eles bem.
Que tal,em vez de reivindicações impingidas pelo partido comunista,que só visam a desestabilização política,económica e social, para instalar o caos indispensável a uma tentativa de tomada de poder,começarem a manifestar-se com uma carta concreta de propostas para reforma do regime?
Que tal exigir a verdadeira independência do poder judicial da influência dos partidos e da Maçonaria?
É que de puerilidades estamos fartos.

Anónimo disse...

Ainda há por aqui alguns comentários que indiciam que o Regime de Abril poderá ainda regenerar-se.

Esqueçam. O Estado Novo não se regenerou. Abril não se regenerá. Abril divide-se em dois: 1) uns quantos idiotas que julgam que o dinheiro cai do céu e que tudo deve ser gratuito para toda a gente; 2) outros vígaros, que aproveitando-se da democracia, querem sacar dos bolsos do Estado.

Os idiotas (o PC, BE e afins) jamais mudarão.

Os vígaros (PS, PSD, CDS) também jamais mudarão.

Tal como Abril foi feito por meia dúzia de insatisfeitos com a situação, o próximo Regime aparecerá pela força de alguns...

Bmonteiro disse...

PARABÉNS, Sr Professor.
A exacta medida a ser aplicada ao todos:
a) Aos pp do Bloco Central PS-PSD-CDS;
b) Aos restantes pp do Circo S. Bento.
PS: passar a votar em personalidades, num carácter que venha a revelar-se.
Quanto à 'necessária' ideologia, ter presente os crimes efectuados sob a capa da maioria delas.
Alguém conhece algum dirigente político, que se tenha mantido fiel à suposta ideologia do seu partido?
Parabéns.

Manuel de Castro disse...

Sou social-democrata e felicito-o! Espantou-me é ter ficado lá nestes 3 anos. Não sou utópico ao pensar que existe democracia sem partidos, mas este PSD é, sem margem para qualquer dúvida, o pior PSD de sempre. Militar num partido ao lado de Relvas, Menezes, Marco António Costa ou Luís Montenegro seria uma pura perda de tempo e um atestado de falta de seriedade. E de insanidade.
Portugal agoniza. E não vejo forma de se levantar. Aliás vejo, mas só depois de uma grande razia.

José Domingos disse...

Nesta mesa, aparecida depois da revolução da perfídia, em vez de democracia, criou-se uma partidocracia, em que os mesmos protegem os mesmos. Esta proxeneta incompetência, não deixa chegar ninguém ao cadáver. Não são honestos e não querem honestos a mandar. Criaram a sua própria elite, que custa muito dinheiro, aos infelizes contribuintes, a máquina do estado, chega a utiulizar a má fé, para sacar dinheiro ao pagante, a canga está muito pesada, e ninguém do sistema, quer mudar nada e reagem mal, quando aparece algum aventureiro.
Estranho, Dr. Balbino, a sua esperança que o sitema o deixa-se mudar alguma coisa, se me permite, foi inocente, porque é um homem bom, como milhares em Portugal, que se revoltam, com esta sujeira, em que os sujos, estão mais que identificados.
Talvez se mude alguma coisa, quando deixar-mos de estar aqui a escrever e formos para a rua.
Não vai ser fácil, a corja protege-se bem, aqui obedecem ao patrão em Bruxelas, que por sua vez obedece a outro patrão,and so on....e estes "estados" estão a ficar musculados, basta ver o que se passa nos states.
A história de Portugal e os nossos grandes, não mereciam isto. Tenho vergonha.

Anónimo disse...

ljer

1 abraço Professor António Balbino Caldeira. Depois de Sócrates também nunca dei nada pelo Passos Coelho que teve como professor catedrático da vida, o amigo Miguel Relvas

Anónimo disse...

Os meus parabéns António, por tão nobre quão patriótica decisão. Já não era sem tempo! Quanto a mim, há muito que deixei de votar no PSD, o meu partido d'eleição desde a primeira hora. A tremenda desilusão que se abateu sobre a confiança absoluta que depositava em todos eles e nos seus dirigentes, em especial nos do PSD e do CDS, quando no dia 22 de Novembro de 2002 rebentou o escândalo Casa Pia e se tornou conhecida a massa pútrida de que eram/são feitos os elementos que compõem toda a classe política - muitos por acção e uns tantos por omissão e portanto tão culpados quanto aqueles - da direita à esquerda sem excepção, incluíndo personalidades influentes da Sociedade, foi de uma tal dimensão que quando volta e meia aquela ultrajante revelação me vem à memória continuo a não conseguir encontrar os adjectivos adequados para classificar com objectividade quão vís têm sido e continuam a ser os auto-proclamados democratas, os mesmos que desde há quarenta anos continuamos a ter a terrível desdita de ir aguentando como governantes. Como seres racionais os seus perfís morais e profissionais traduzem à perfeição o que de mais repugnante e criminoso existe ao cimo da Terra. Na realidade são infra-humanos que só vieram trazer ao mundo terror, violência e guerra e que dada a infinita maldade de que estão possuídos Deus não lhes deveria ter concedido o direito sagrado de terem nascido.
Maria

Anónimo disse...

O Dr. Balbino acordou tarde, mas acordou. O Governo de Passos é igual, com as devidas adaptações ao de Hitler. Este perseguiu judeus, negros, ciganos e comuinistas. Passos persegue pensionistas, reformados e funcionários públicos . É ou não um governo fascistóide?

Anónimo disse...

O Dr ABC é um pouco lento a ver a realidade.
Eu já me desvinculei em Setembro de 2011.
Nunca acreditei no mentiroso do Passos. Ele destruiu a pouca social democracia que ainda havia no PSD.
Vivam os movimentos de independentes que hão de crescer, crescer até à vitória final...

Anónimo disse...

Eh, eh, o Passos já é comparado ao Adolf!

Quem será o Joseph Goebbels? E o Herman Goering?

Passos é o megarefe de guarda de uma nação inviável. Portugal só teve crescimento económica, após 25 - A, a quando da torrente de subsídios comunitários.

Habituem-se aos cortes e à miséria!

Anónimo disse...

O PS e o PSD deram nisto.

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=724674

O presidente do PSD/Açores considerou hoje que quase vinte anos de governação socialista no arquipélago deixaram a região «para trás em relação ao país», apontando os maus indicadores sociais.

«Não se percebe como pode alguém que se diz socialista considerar a maior taxa de desemprego do país um exemplo para Portugal», afirmou Duarte Freitas, acrescentando que «após estas duas décadas de governação socialista», os Açores lideram os índices de abandono e de insucesso escolar e têm «a maior taxa» de pobreza, de beneficiários de rendimento social de inserção e de desemprego do país.
«Estas não são opiniões. São, infelizmente, os resultados que os socialistas açorianos têm para oferecer com as suas políticas: uma juventude sem esperança, com mais de 50% de desemprego jovem e escolas com mais de 60 por cento dos alunos a necessitar de apoios sociais», reforçou.

Anónimo disse...

Este lixo quer o bem dos que vêm de fora. Os que cá estão, têm que pagar e ainda têm que aturar o lixo político tuga.

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=724727

O candidato às primárias do PS António Costa pediu hoje, em Viana do Castelo, um tratamento fiscal em Portugal tão favorável para os emigrantes lusos como o aplicado aos estrangeiros a residir no país.

Anónimo disse...

O regime da Merdocracia da Abrilada chegou ao fim. Os Merdocratas, incompetentes e corruptos, estão infiltrados em todo o lado. Estamos como na 1ª República. Portugal precisa de uma limpeza geral tal como o Sr. Prof. Salazar fez na altura. O sistema não se auto regenera.Esta "gente" da esquerda à direita, todos eles, pregando a justiça e a igualdade social fizeram aprovar leis que lhes davam a reforma ao fim de meia dúzia de anos enquanto o seu amado povo tem de descontar durante uma vida de trabalho.Hoje cortam nas pensões, em toda a população mas não tocam nos papagaios de S. Bento. Aquilo não serve para nada e são uma vergonha a falta de nível nos debates que mais não são do que acusações mutuas.O PSD ao não exigir justica, apuramento de responsabilidades e a devida punição nos casos Casa Pia e "sousa da Independente" mostrou conivência. O nosso futuro vai ser negro, os do PS conseguem ser piores.

Anónimo disse...

Parabéns ! Demarquemos-nos dos bandalhos do PSD , CDS., PS , PCP . Be e tutti quanti dos partidos!

Anónimo disse...

http://blasfemias.net/2014/08/20/a-copia-privada-volta-a-atacar/#more-60299

Anónimo disse...

É fugir ao escrutínio...isto, não é nada comigo.

Fugi a tempo...a bem dizer

Anónimo disse...

Por assim dizer, o culpado já se arranjou, esse, dá pelo nome de Sócrates...não acha?

joão

Anónimo disse...

O Salazar, ainda tateou entre, as sopas de cavalo cansado e a prisão do Torel - o sucesso, é conhecido

Com a fotocópia do Botas? é banca rota com o dinheiro debaixo do colchâo. ou coisa parecida

Julgam que estou louco ou coisa que o valha

Aguardam mais 6 meses.

Não acham, que ao fim deste tempo já decorrido, as altas figuras andam a banhos.

Vamos pagar muito caro a rapsódia do BES e afilhados.

Chaves

Anónimo disse...

o Bispo Marcelo, sem vergonha militante, veio dizer que não tem União de Facto com a Rita, quer era da administração da BESta. Nem sequer casou. Marcelo, de pudicas virtudes, não casou, nem sequer tem união de facto com a dita, apesar de viver com ela há mais de 20 anos. Meretriz, a Rita? Seria o passaporte do casamento com o Espírito Santo.

São umas putas, umas belas putas!

Anónimo disse...

A verdadeira dimensão dos MERdia tugas.

http://economico.sapo.pt/noticias/marcelino-sai-do-dn-entra-andre-macedo_199987.html

Manuel Tavares deixou as funções de director do JN, função em que está agora, interinamente, Alfredo Leite. E, agora, é Marcelino a ser substituído no DN, jornal que vende hoje 17.420 jornais por dia, de acordo com os números oficiais da APCT. Em Março/Abril de 2007, este número era de 37.256 jornais.

Anónimo disse...

O Diário de Notícias, do Mosquito, do Oliveirinha e do genro do Cavaco, VENDE 17.000 exemplares por dia.

Mais leitores tem o DoPortugalProfundo, do que o DN do Montez e da Cancio.

Anónimo disse...

Para acabar com os mérdias deixem de comprar os pasquins fabricados pelos jornaleiros serventuários. Quando as tiragens caírem para valores irrisórios, ficaremos livres da “trampa” da desinformação e o tuga vai finalmente começar a refletir pela sua própria cabeça!...

Anónimo disse...

O que é preciso explicar é porque um jornal com a tiragem de 17 000 exemplares continua nas bancas.
E essa explicação demonstra mais uma vez a trama contra o cidadão que é este regime.

Anónimo disse...

Os que «mandam» no Regime já trataram de colocar os filhos e os aprendizes em postos chave para garantir a continuação do saque.

Estes canalhas:

- Ofereceram Cabinda, Timor-Leste ou São Tomé e Príncipe a outros interesses deixando o país desprovido de combustíveis fósseis e não assegurou a propriedade de boas terras agrícolas em Angola e Moçambique;

- Levaram a cabo o PREC e a tentativa de instauração da «sociedade sem classes», o que conduziu à primeira vinda do FMI;

- Espatifaram a maior parte das reservas de ouro deixadas pela ditadura;

- Incentivaram o abandono da agricultura, das minas, das pescas e da indústria, e em geral de todas as actividades ligadas a estes sectores, enquanto cozinharam a bolha dos serviços, da construção e do funcionalismo público;

- Criaram um Estado Social sem que houvesse um tecido económico que o suportasse;

- Torraram milhões em formação profissional para inglês ver, sem qualquer reflexo prático na economia real;

- Engordaram escritórios de advogados, médicos, colégios privados, empresas de obras públicas, editoras de manuais escolares, misericórdias, associações disto e daquilo, empresas de energia...

- Criaram monopólios e oligarquias;

- Introduziram o euro quando o país não estava preparado para ter a nova moeda...

E muito mais haveria a dizer.

Eles continuam aí. A cultura de Regime, os vícios, os hábitos, está tudo aí. Já não há solução, só a continuação da decadência, até ao fim. Os países também morrem, e desaparecem.

Anónimo disse...

Com o euro Portugal só se safa com impostos muito baixos. O Estado poderia gastar metade do que gasta, haja imaginação.

- Metade das autarquias seria suficiente.

- Fim de todas as empresas municipais.

- Encerrar escolas básicas, há regiões com excesso de oferta.

- Acabar com a mama dos colégios com contrato de associação.

- Nacionalizar os jogos sociais da Santa Casa e reduzir drasticamente os apoios às IPSS, evitando assim duplicação de serviços sociais.

- Acabar com toda a iluminação pública desnecessária, seguindo o exemplo de outros países: retirar a iluminação de troços de estrada sem habitações e de diversos pontos de auto-estradas e estradas nacionais.

- Regime de exclusividade dos médicos no SNS.

- Alunos que reprovem de ano ou a cadeiras deverão pagar propinais mais elevadas. Professores universitários deverão ser avaliados.

- Reorganização da rede de ensino superior pública. Encerramento de cursos, optando pela concentração: menos cursos, com mais vagas.

- Tecto para as reformas do sector público.

- Adequação dos salários da função pública e das aposentações à nossa produtividade e àquilo que a economia pode pagar sem comprometer o seu crescimento.

Anónimo disse...

A queda de Portugal arrastará a queda do regime. Ninguém consegue suportar o Estado Social em associação com a cleptocracia em vigor. O Paulo e o Pedro prepararam-se para mais cortes. A dívida pública bate records. O estouro está ao virar da esquina.

Anónimo disse...

Finalmente, o prof. Balbino, viu a luz!

Anónimo disse...

O Dr. Balbino fartou-se de dar musica e o resultado é o que se sabe.Pior que a Grécia - claro, culpado é o Sócrates

Chaves

Anónimo disse...

É a primeira vez que comento neste blog. Perante os diversos comentários, deixo os seguintes comentários:
Se o "regime de Abril" não serve, então qual serve? Uma nova ditadura?! Em que moldes?! Não se fiquem pelas meias palavras.
Então porque metem todos os gatos no mesmo saco, se a responsabilidade politica é exclusiva do PS/PSD/CDS, esses três partidos e não outros como querem fazer crer.
Penso que isso é uma tentativa dos neo-fascistas em distrair as pessoas para não se compreender os verdairos responsáveis pela situação a que se chegou.
Vocês próprios ao terem votado nesses sucessivos governos são coniventes com a situação atual. Por esses motivos deveriam estar caladinhos e pelo menos não dizer tantas e tantas baboseiras. Mais, como é possível tentar defender um novo regime do tipo ditatorial, se no passado recente houve miséria, analfabetismo, pessoas com fome e mortes por causa de um regime nesses moldes. Deveriam ter vergonha na cara ao defenderem isso.
Para concluir, penso que se deve dar a oportunidade de governação aos partidos que nunca tiveram responsabilidades governativas, certamente iria ser executada uma limpeza geral face aos poderes instalados. Se assim não fosse e uma vez dissipada essa dúvida é que alguém poderá afirmar, honestamente, que são todos iguais.
Passem bem e não sejam tão sectários e não pensem que as pessoas são todas tapadinhas do cérebro!!!

Anónimo disse...

So voltarei a votar no dia em que for consagrado em lei o numero deputados 100. ate la divirtam-se