quarta-feira, 9 de julho de 2014

O fogo do Espírito Santo

As últimas notíciass conhecidas sobre o incêndio do Grupo Espírito Santo fazem temer uma intervenção pública que poderá custar ao Estado mais do que a nationalização do Anglo-Irish Bank (52 mil milhões de euros) na Irlanda, que determinou o resgate financeiro deste país.

O que se veio a conhecer de mais relevante:
  1. Que a PT por decisão de Henrique Granadeiro (velho protegido de Ricardo Salgado), presidente da comissão executiva da PT, tinha emprestado 900 milhões de euros a empresas do grupo Espírito Santo, seu acionista. Agora, como o grupo não tem condição de pagar quer converter esse empréstimo em capital, quiçá de uma sociedade em pré-falência... Este empréstimo de alto risco levou à demissão dos administradores brasileiros da PT, em processo de fusão com brasileira Oi, na CorpoCo, e à reinvindicação dos brasileiros de que querem maior fatia da Corpco.
  2. A ESI do grupo Espírito Santo (sociedade do grupo, que está em falência técnica) apertada pelos credores que quiseram, sem sucesso, resgatar o papel comercial que lhe tinham comporado, previniu o mercado, ontem, dia 7-7-2014, de que não tinha condição de honrar os seus compromissos com os credores, nomeadamente aqueles que tinham subscrito papel comercial do grupo, e que iria entrar em reestruturação.
  3. Vítor Bento, da SIBS, ex-Unicre e conselheiro de Estado, foi designado em 5-7-2014,, após pressão do Banco de Portugal, e presume-se do Governo, novo CEO do BES; e como novo CFO, o presidente do Instituto de Gestão do Crédito Público (IGCP) que coloca e gere a dívida do Estado, João Moreira Rato.
  4. A nova administração do BES prepara-se para liquidar ativos, vender anéis, salvar os dedos (o próprio BES).
Como é evidente o Governo, o Banco de Portugal e a União Europeia/FMI, querem evitar a perda de confiança do mercado, e pretendem recuperar a reputação, que é o principal capital de qualquer entidade financeira. Não será fácil, pois as notícias inquietam quem tem títulos de investimento do grupo (papel comercial, obrigações, fundos de investimento) e depósitos. Os jornais noticiam um corropio de credores que procuram resgatar imediatamente os títulos e depósitos. Não se espere um bank run, porque este, na verdade, já começou, ainda que sem as cenas de bichas à porta e quebra de vidros.

Como aqui chegámos? Promiscuidade do Governo socratino, omissão do Banco de Portugal e silêncio do Presidente da República. Agora, far-se-á o que puder, como todas as cautelas, esperando que os credores do banco, do papel comercial aos fundos de investimento e aos depósitos, não resgatem o que é seu. Mas pode calharmos um segundo resgate excepcional para resolver a ruína que derivou da aliança maléfica entre o Estado-socratino e um banco de alguém que foi DDT (Dono Disto Tudo) e pode acabar como OMO (O Mais Obediente) da Carregueira.


Atualização: este poste foi emendado às 8:34 de 11-7-2014, para correção do socorro do BdP a holding da grupo Espírito Santo - é o que dá escrever sem linque imediato...

17 comentários:

Anónimo disse...

http://portadaloja.blogspot.pt/2014/07/jose-socrates-sempre-na-berlinda-e-por.html

Anónimo disse...

Colossal... nem uma palavra de apreço devido ao fato do PSD estar a salvar o seu banco.
Claro que, como era de prever, as responsabilidades pelas eventuais tropelias cometidas no grupo GES são do Governo Sócrates.
Colossal!...

Anónimo disse...

Parece que o Dr. Salgado se entendia muito bem com o sousa da Independente.O Dr. Bento, agora escolhido, é uma pessoa trabalhadora, honesta e competente.Sorte para o BES.

Anónimo disse...

Este banco tem 140 anos. Comeu à grande e à francesa durante o governo de Salazar e foi um apoiante claro de Hitler. Mais recentemente, o seu condottieri Ricciardi era todo colaço com Relvas e Passos. Porque é que Balbino só aponta Sócrates? Porque é cego? Porque é estúpido? Apenas porque é desonesto.

Anónimo disse...

Tem que se responsabilizar:

1. O Banco de Portugal, de Carlos Costa, que tal como Constancio "limpou as mãos como Poncio Pilatos", no BPN. Só que o BPN é uma brincadeira, em comparação com o BES.

2. O Governo de Portugal, de Passos Coelho e de Maria Luís, estavam cansados de saber os trambiques que ocorriam no Luxemburgo, e em geral na ESI. Bastava-lhes ler a imprensa de negócios internacional.

3. O Presidente da República, que sempre que lhe dá jeito, esconde-se por detrás duns arbustos.

Entretanto, quem acreditar, pode prometer ir a Fátima de joelhos (a pé, é pouco), se o BES se conseguir refazer sem ajuda estatal.

Finalmente, note-se a queda abrupta da bolsa nacional, nos últimos dias. O capital estrangeiro que veio até Lisboa, está a ir-se embora.

Anónimo disse...

"Comeu à grande e à francesa durante o governo de Salazar"

Não é verdade.Salazar nunca permitiu que a banca mandasse no país e comesse à mesa do orçamento.Isso foi a política sócretina.O socialismo corrupto é que trambicou e endividou o país á banca.O resto são aldrabices de moços de fretes da esquerda corrupta.

Anónimo disse...

E antes do Sócrates não havia dívida?
E durante os Governos Sócrates não surgiu nenhuma crise?
Essa crise não levou a que as dívidas dos países, de todos os países europeus, e de outros, não tivessem subido bastante?
Essa crise não arrasou bancos nos EUA, Alemanha, Espanha, Irlanda, França, um pouco por todo o lado?
Após o Sócrates a divida parou ou atingiu os mais altos valores?

Porém, começam a aparecer por aí alguns entendidos, obviamente que o Dr ABC nunca dirá tal, que dizem que os nossos problemas são devidos, principalmente, ao euro forte, à abertura dos mercados europeus à China, à desindustrialização do país e da europa, ao abandono da agricultura e das pescas (que tem um pai),etc.
Houve também erros da governação ao longo dos anos que devem ser corrigidos.
Mas dizer-se que a culpa de toda a crise é do Sócrates é não estar a perceber nada do que se passou e está a passar.
E o Salazar não tem culpa de nada pois deixou um país bastante desenvolvido e orgulhosamente acompanhado. Apre!...

Anónimo disse...

É claro que antes do Sousa da Independente havia alguma dívida, só que o Sousa duplicou a dívida, má dívida que não foi para desenvolver o País. Para além das trapalhadas fechou escolas, fechou hospitais, fechou maternidades e até obrigou os alentejanos da região de Elvas a irem nascer espanhois, em Badajoz.foi tão inconsciente e incompetente que, encontrando-se o País super endividado, atolhado no descalabro financeiro, sem dinheiro para pagar salários e pensões, recorrento por isso à Troica, ainda dizia que fazer o TGV e uma 3ª autoestrada para o Porto.

Anónimo disse...

Culpar o Salazar, depois de 40 anos após o 25 de Abril de 1974, é desculpa de INCOMPETENTES.

40 anos após 1974, não chegam para ter um país viável? Não, a Esquerda não foi uma boa solução para Portugal.

Salazar também não foi uma boa solução.

Portugal pequeno, periférico e com élites cleptocráticas, está a chegar ao fim. Resta, mudar de vida, ou EMIGRAR.

Anónimo disse...

http://expresso.sapo.pt/passos-usou-dados-de-2011-para-dizer-que-a-pobreza-baixou=f880175

Joao Antunes disse...

Vc que acha que apostar na agricultura faz um pais rico (qual? Tem um exemplo sequer?) é que percebe o que se passa. Os entendidos de que fala nao percebem nada disto. Diz-se que quando a mare baixa se descobre quem nadava nu. Sim, houve crise. Quem foi atingido em cheio? Os gregos que mentiam nas contas, a Irlanda que teve um problema de tesouraria (mas nao de excesso de divida) e Portugal onde a divida era escondida e a corrupcao e incompetencia atingiram um pico. Ah, e eu sou entendido, pode confiar.

Anónimo disse...

"Salazar também não foi uma boa solução."

É difícil ainda hoje,40 anos passados do golpe e 40 anos de aldrabices comunas, falar de Salazar.
Todos os que se referem a Salazar é para dizer merdas politicamente correctas desancando nele até receberem uma medalha ou para um breve elogio logo rodeado de bordoadas, com medo da condenação da trupe.
Salazar foi a melhor solução que o país teve em muitos anos de História. Foi o único político que manteve Portugal sem dívida. E pegou no governo com o país na bancarrota criada pela I República, outro período glorioso "esquecido" pelos pregadores de serviço.
A obra do Prof. Salazar é vasta e de grande valor. Vai das obras públicas sem dívida até à diplomacia e às grandes realizações nas províncias ultramarinas, onde só havia barracas e degredo.O que lá deixámos não nasceu por geração espontânea.
O futuro a situará na sua verdadeira dimensão e também aos farsantes que enriquecem por artes mágicas quando mexem em dinheiro público.
O que podemos dizer em seu desabono é que se manteve tempo demais no poder e os seus últimos anos foram penosos. Mas, alguma razão lhe assistia. Como se viu, a canalha esperava salivando para ferrar o dente na carniça.
Se encontrarem algum político abrileiro ou anterior, na I República, que tenha obra comparável, façam favor de assinalar.

http://www.oliveirasalazar.org/obra.asp

Anónimo disse...

Socialistas, cleptocratas e salazarentos.

Portugal: Rest In Peace.

Com todo este lixo, a única solução é SAIR, e rápidamente.

Costa da BESta disse...

A falência da BESta ameaça arrastar de novo Portugal para o buraco.Entretanto o Costa que sempre andou às Costas da BESta passou a ser a nova Costa que a BESta quer montar.Com o Costa, enquanto a cultura aplaude, a BESta irá comer as espinhas que sobram do Portugal que fez afundar.

Anónimo disse...

O pior lixo é o que passa a certidão de óbito à nação, colocando o conforto em primeiro lugar.
Portugal tem 900 anos de História e nem todas as páginas são belas.
Não acabará aqui e nem todos fugirão perante as dificuldades, mostrando desdém pela pátria.

Anónimo disse...

O escândalo da BESta do Apocalipse vai ser abafado, como não pode deixar de ser.
Todos os bancos são santuário ds fraudes dos partidos e agentes do tráfico de dinheiro das quadrilhas políticas.
Qualquer banqueiro tem o respaldo dos segredos que guarda.
São intocáveis.

Anónimo disse...

eu ainda sou do tempo em que a burguesia fina colaboracionista do Salazar andava a entreter-se com meninas virgens...e o próprio Salazar também andava no engate de moçoilas...