terça-feira, 6 de maio de 2014

A limpeza financeira da sujeira socratina

Passos Coelho anunciou em 4-5-2014, que Portugal recuperará formalmente a soberania limitada face à União Europeia e ao FMI, sem programa cautelar de financiamento, no que se convencionou chamar «saída limpa» do programa de resgate financeiro. Os desconfiados de ontem, António José Seguro e Cavaco Silva, professam agora pressurosos a sua oração de apostolado de algo que sempre criticaram, naquela posição do anão descrente do Gulliver. E Cavaco, que  criticou no Facebook, em 5-5-2014, o seu inseguro profeta da desgraça... Enquanto Sócrates, que esvaziou os cofres do Estado, chamou o socorro da União Europeia e do FMI, em 6 de abril de 2011, e criticou ferozmente as medidas do próprio memorando de austeridade que assinou, se congratula pelo resultado alheio.

O êxito do cumprimento do programa de socorro financeiro e o facto de o Estado dispensar, por enquanto, um novo programa de resgate financeiro, deve-se ao sacrifício sereno do povo, à mudança de política do Banco Central Europeu (por Mario Draghi, que começou a comprar massiçamente dívida dos países aflitos nos mercados seundários) e da União Europeia e ainda pela obediência discreta do Governo às determinações da União Europeia e do FMI. Aqui, não foi, nem é, a austeridade que se criticou, mas a sua iniquidade que castigou uns (trabalhadores do setor público, pensionistas e reformados e trabalhadores do setor privado) e poupou outros (políticos, bancos e banqueiros) - além da política de indulgência dos responsáveis pela corrupção e ruína do país dos governos anteriores.

Passa a troika, mas não passa a austeridade, nem se antevê a correção da iniquidade. Todavia, é altura de desenhar e executar um novo modelo económico e financeiro para o País e para a Europa, que se arrisca a ser de novo, por teimosia sistémica, pasto do marxismo utópico. Mesmo apesar das guerras irredentistas que já sofremos e se hão-de intensificar.

7 comentários:

Anónimo disse...

Por favor não me gabe Passos Coelho. A saída limpa está suja de desemprego, de corte de salários, de aumento de impostos e de muita mentira. "Saídas limpas " desta natureza, são perfeitamente dispensáveis...

Anónimo disse...

Atenção, pois a leitura está cheia de armadilhas:

1. O Governo Passos tem a maior dívida pública da História de Portugal. E em percentagem do PIB, é de 129%.

2. A "saída limpa" deve-se tão só a 15 mil milhões de euros em carteira, que Passos foi buscar aos mercados, para evitar uma nova seca de dinheiro, quando os fundos de pensões passarem a comprar dívida pública americana, logo que a Fed aumente as taxas de juro. Ou seja Passos tem em careira o dinheiro suficiente para financiar o Estado por mais um ano....o tempo das novas eleições.

3. Novo "modelo económico" para que Europa? Atenção que na Europa, a Grã-Bretanha está a crescer a mais de 3% ao ano. A Alemanha cresce razoavelmente, para além de outros. As crises do Sul da Europa não podem impôr a mudança dos outros.

4. A vitória propagandeada deve-se apenas e só ao BRUTAL aumento de impostos, e NÃO à redução da despesa do Estado.

5. O Passismo é a versão simpática do Sócrates. Tudo mudou, para tudo estar na mesma.

Pedro S disse...

Tambem bastante menos corrupto que o Socrates. E apesar do que diz, o peso da despesa do Estado no PIB desceu, a divida só nao é maior pelo esforco de austeridade, e um ano de liquidez nao lhe chega? É que se quiser 2 anos de liquidez entao a divida passa a 140% do PIB... A grabretanha cresce 3% ao ano com a mesma politica que nos, mas comecaram 1 ano mais cedo... Quer apostar que vamos crescer 2,5% este ano (ao contrario deles, nao podemos desvalorizar moeda)?

José Jesus disse...

A não responsabilização dos governantes e seus cúmplices que nos levaram a esta situação, é profundamente desmoralizadora para o povo, que, mansamente, pagou a crise - como sempre.

Por outro lado, e na lógica do voto de raiva, a seguir vamos ter no Poder aquele senhor que está sempre a dizer mal deste Governo mas não disse do anterior. Um garoto, um tal Seguro, que está sempre na TV a fazer aquelas boquinhas, a fazer voz de homem e caras de mau.

E lá vamos de novo para o 'degredo'...

J.J.

Anónimo disse...

A não responsabilização e a campanha de propaganda que os mérdia não se cansam de fazer em favor do partido das bancarrotas e contra os governos PSD.
Para cúmulo,a TV pública até contratou o autor desta última bancarrota para mentir em horário nobre.

Anónimo disse...

"a divida só nao é maior pelo esforco de austeridade, e um ano de liquidez nao lhe chega?"

Não. A dívida não é maior, porque o SAQUE dos que descontam foi BRUTAL, como disse o Gaspar.

A despesa do Estado continua a ser COLOSSAL.

Pergunto: para quê um ano de liquidez?

Resposta: porque Portugal não tem solvabilidade financeira, e não se quer arriscar a ficar dependente dos mercados financeiros.

Sabe quanto custa ter 15 mil milhões de euros PARADOS? Umas centenas de milhões de euros, que os tontos que que pagam impostos, PAGAM.

Os britanicos não têm nada uma política como Portugal. Os britanicos têm independência, porque têm moeda própria. Só isso.

Anónimo disse...

Os portugueses podem escolher entre o lixo socialista e o lixo do Relvas. É uma escolha boa!