segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Uma Europa com dois sentidos

Uma União Europeia com dois sentidos não convém ao nosso País. Esta já não é uma União Europeia a «duas velocidades», um modelo desigual que o eixo franco-alemão admitiam em meados dos anos 80 e as políticas de coesão de Jacques Delors (socialista mas virtuoso) queriam congregar. É uma Europa com dois sentidos: porque uns países andam para a frente e outros andam para trás. 

Não se trata de orgulho nacional, sequer. Trata-se de dignidade: não é possível uma união estável entre quem sofre e quem despreza; entre quem obedece e quem manda.

Dir-se-á que o problema é o Estado Social(ista). Também digo. Mas não digo só isso... Também digo, porque é fundamental dizê-lo, que a atual geração dirigente alemã tem uma ambição geopolítica camuflada que é inaceitável para os outros, que não apenas os povos do sul da Europa. Não há uma razão ideológica, nem sequer de estabilidade financeira na política imposta aos demais. Há um motivo de supremacia e de domínio.

Que Europa unida é esta onde a reforma desce para os 63 anos na Alemanha e sobe acima dos 67 na Espanha?!... Não existem, também, riscos inflacionários nas políticas sociais douradas do novo govrno Merkel que deveriam ser evitadas em nome da prudência financeira?... A Alemanha impõe políticas aos outros países que não aplica para si?... Que soberano é este que, contra o sagrado princípio da Magna Carta, de 1215, não respeita a lei que ele própio emite?!... Dir-se-á que é a «ultima ratio regum» de Luís XIV - mas esta Alemanha de Merkel é uma anã militar que, no entanto, usa a sua moeda e a goela dos outros para conseguir o mesmo efeito tirânico.

Uma direção política alemã que consente taticamente, por causa das eleições europeias de maio de 2014 e da indignação francesa, a compra maciça de obrigações soberanas dos países mais pobres (com destaque para Grécia, Portugal e Espanha) temporariamente, até fixar de novo o garrote financeiro na garganta dos povos do sul. Uma adminsitração alemã que não consente a criação artificial de moeda, mas encorajou o desenvolvimento artificial da despesa nos outros países. Uma Alemanha que define uma política aduaneira ruinosa para os demais!...Um Alemanha que impõe uma política absurda de moeda forte, mesmo com países com taxas de desemprego persistentes de mais de um quarto da população ativa, como a Espanha e a Grécia?!...

Que líderes políticos tão débeis, intelectual e moralmente tão fracos, têm os países do sul (e os do norte!) que não denunciam publicamente esta segregação nacional, de tipo racial, e não provocam a mudança na União Europeia?...

Não se trata mais de uma fábula infantil de cigarra e formiga. A desigualdade atual entre os povos da União Europeia, motivada pela geopolítica de diretório alemão, tem um feixe de causas políticas identificadas: socialismo económico, moeda forte, alfândegas desiguais para as produções internas. Essas causas têm de ser corrigidas e a geopolítica germânica contrariada. De outro modo, a União Europeia não passa de união germânica inconveniente para Portugal.

26 comentários:

Carlos Antunes disse...

Bom post! Mas não deixa de surpreender que, só passados tantos anos e tanto desastre, muitos portugueses tenham percebido o que é a União Europeia! Ninguém dá nada a ninguém, muito menos entre Estados! Solidariedade? Que treta: não há almoços grátis! Aprendam. Mas é possível que algum político português (mesmo com a sua qualidade) acredite (p.ex. Mário Soares e Guterres) que a Europa nos iria ajudar desinteressadamente? A sério?? Já viveram no estrangeiro? Já conviveram com eles: alemães, holandeses, finlandeses, polacos etc para perceberem do que são feitos??
A União Europeia foi a forma que Franceses e Alemães arranjaram para repartir a Europa - sentaram-se e disseram "Olhem lá, estamos há séculos a matar-nos e destruirmo-nos reciprocamente para ter a hegemonia na Europa e não conseguimos - e com isso só ajudamos os ingleses e os americanos! A solução é dividirmos o bolo (Europa) entre nós dois!"
E assim foi, nasceu a Comunidade Europeia, futura União Europeia (não por acaso, com os ingleses sempre contra o rumo da coisa). Então, nunca ouviram falar do eixo franco-alemão? Isso é que é a Europa! Portugal é apenas um dos pequenos territórios que eles têm colonizado - sendo o grande instrumento de solidificação definitiva dessa colonização o Euro: fim de qualquer soberania nacional para pequenos países - absorção e integração total.
Porque é que acham que a Dinamarca não quis o Euro? Era a sua morte: seria definitivamete anexada pela Alemanha! Os vikings não são bananas (infelizmente ao contrário de outros povos).
Agora, o problema é que as duas comadres que mandam nisto estão zangadas: a união franco-alemã tem um epicentro de controlo, o Banco Central Europeu. E quem não se lembra das guerras de corredor entre franceses e alemães para nomearem o Presidente do Banco Central Europeu (nos primeiros anos um francês, mas depois sempre alguém de nomeação alemã). A Alemanha está a romper a ligação com a França e a querer abocanhar o bolo! Os franceses têm agora aquilo que merecem! Perceberam que lhes passaram a perna e ficaram do lado dos perdedores! :D LooooL Vamos ver no que vai dar...

Dudu disse...

A idade da reforma na Alemanha desce para os 63 para uma carreira contributiva de 45 anos. É preciso ter iniciado a vida activa aos 18.

Anónimo disse...

Bom texto,parabéns Prof. ABC.
Os comentários também são muito assertivos.
Eu já tinha comentado aqui sobre as razaões porque os Dinamarqueses não quiseram o Euro. Isso percebe-se se visitarmos a Dinamarca. Já lá estive a a minha ideia da chamada UE mudou.
Porque razão a economia alemã progride e a nossa não? É porque têm melhores operários? Melhores empresários? Têm mais riquezes e matérias primas?
Não parece.
Acho que são mais pragmáticos, mais egoistas, imperialistas e mais organizados para lixar os outros.
Neste caso não devemos ser ingénuos,porque a UE é uma fantasia. Na hora da verdade é como o 1.º comentador diz: Solidariedade? Não há almoços grátis.
Os gajos do avental estão por detrás desta "macacada" toda.

Anónimo disse...

Prof. Balbino Caldeira,

O que é curioso é que a élite tuga, que vai do especialista em tudo, Marcelo, até ao tirano-salazarista Adriano, ou ao camaleão Freitas, ninguém fala disto. E porquê? Porque fizeram parte do banquete de entrega da nação em 1974, dirigida pelo Vandalo Soares, o maior criminoso pós-salazarista.

Contudo, não se pode esquecer que o Estado de Piauí, não é igual ao Estado de Santa Catarina. Ou que o Estado da Califórnia não é igaul ao Estado do Montana.

Todas as Uniões monetárias, têm filhos mais desenvolvidos, e têm filhos anões. É a vida!

Os nórdicos têm auto-estima, sabem dirigir-se, não têm élites que se entreguem por uns patacos, como o Soares e o Almeida Santos.

O Arménio Comuna Carlos dizia há dias, que há por aí um estudo que diz que Portugal cescrecerá no máximo 1% a 2% por ano, até 2050, mantendo-se em situação vegetativa.

O Soares está à beira do Panteão, e por isso, ninguém o matará nos próximos 5 anos. O Cavaco irá para o cemitério de Boliqueime. Mas, o Barroso, o Sócrates, o Santana Lopes, o Marcelo ou o Guterres, terão que prestar contas!

Anónimo disse...

Vê-se por aí campanhas contra o aborto; outras a favor da adopção gay; outras para proteger os funcionários publicos; outras, para defenderem os pensionistas.

Relativamente a esta, a chamada sociedade civil, está muda! Porquê? Porque o português gostava muito da "cunha" e o tuga gosta muito do trambique.

Não se queixem!

http://economico.sapo.pt/noticias/bruxelas-portugal-nao-tem-uma-estrategia-contra-a-corrupcao_186361.html

Corrupção é generalizada para 90%

No mesmo documento, a Comissão Europeia apresenta os resultados de duas sondagens de opinião sobre corrupção. Um dos inquéritos revela que 90 % dos portugueses concordam que a corrupção é generalizada no país.

No entanto, menos de 1% da dos portugueses assume ter tido experiência directa com a corrupção, um dos melhores resultados dado que a média da UE é 4%. Ainda assim, cerca de um terço dos portugueses consideram que são atingidos pela corrupção no seu dia-a-dia.

Os portugueses são contudo os que mais acreditam em que o recurso a conhecimentos é muitas vezes a maneira mais fácil de obter certos serviços públicos (79%) e os que defendem que a única forma de ter êxito nos negócios é através de ligações políticas (76%) - valores que ficam bastante acima da média da União Europeia, que é de 69% e 47%, respectivamente.

PSC disse...

Olha!Olha! Começam a acordar! É pena que seja só aqui e que este post e respectivos comentários não sejam espalhados por todo o Portugal para o comum das pessoas perceberem finalmente o que está em causa e o que nos espera no futuro depois de termos perdido o verdadeiro NOSSO Portugal que foi miserávelmente entregue a uma cambada de corruptos e gatunos que tudo estragaram matando-se uns aos outros às centenas de milhares.VERGONHA!

Anónimo disse...

http://www.abola.pt/mundos/ver.aspx?id=457713

O ator Nicolau Breyner será o rosto de uma coligação de pequenos partidos que se candidatará ao Parlamento Europeu nas próximas eleições, que se realizarão a 25 de maio.

O grupo, que ainda não está fechado (sabe-se que um dos partidos integrantes é o PND - Partido Nova Democracia), defende uma postura «eurocrítica» e dará voz à saída de Portugal do euro.

Anónimo disse...

Finalmente, os portugueses já perceberam que a laranjada está inquinada.

http://www.abola.pt/mundos/ver.aspx?id=457579

No espaço de dois anos, o PSD perdeu mais de um terço das suas bases de apoio na capital, ou seja, apenas 645 militantes votaram nas «diretas» em Lisboa.

Os números a nível nacional já eram um mau sinal, mas os dados, da distrital de Lisboa, sobre a reeleição de Pedro Passos Coelho para a liderança do PSD, são ainda piores.

A debandada na estrutura partidária do principal partido que suporta o Governo é avassaladora.

Em Lisboa, nas diretas realizadas a 25 de janeiro, Passos Coelho conseguiu apenas 438 votos de militantes.

No total, votaram apenas 645 sociais-democratas de um universo de 3164 militantes em condições de votar.

A comparação com os números de anos anteriores é desmoralizante para o PSD. Em 2011, o PSD/Lisboa tinha 8491 militantes inscritos.

Em novembro de 2013, quando Miguel Pinto Luz foi reeleito para a liderança da distrital esses militantes já só eram 5629, queda de mais de 30 por cento. E o número de militantes eleitores caíra para os... 3254.

Dá que pensar...

Anónimo disse...

Marine Le Pen vai abalar uma UE entregue aos bancos. A França vai ter a Extrema Direita como primeiro partido. É triste. Mas, é a única maneira de dar um pontapé no lixo governante.

Anónimo disse...

Ainda há 438 laranjas em Lisboa. Vamos no caminho certo.

Anónimo disse...

Prof. Caldeira,

É por aqui que os teutões esticam os tintins aos tugas.

http://economico.sapo.pt/noticias/venda-de-automoveis-aumenta-32-em-janeiro_186380.html

Venda de automóveis aumenta 32% em Janeiro

Marcas alemãs foram as que registaram maiores crescimentos nos ligeiros de passageiros, face a Janeiro de 2013.

Antonio Cristovao disse...

Como fica tão bem dizer mal de quem vai bem nas analises detalhadas seja qual for o angulo (desemprego, competitividade,estabilidade,sustentabilidade) e fazer passar por "necessitados" de ajuda gente que receberam dos fundos comunitários mais do que produziram(Portugal já vai nos 240 mil milhoes) e com os seus expoentes a dizerem que a divida pode aumentar porque nao é para pagar. Há mas ainda como prova da "inteligencia" se clama desde um polo ao outro com a independencia e autonomia nacional. Pobre povo que elege gente tão independente que até advoga gastar o dinheiro "solidario" dos alemaes.!! Que vergonha!!

Anónimo disse...

Apoiado, Prof. Caldeira.

Anónimo disse...

Hitler, no conceito do domínio geopolitico, geofinanceiro e geosocial, deixou uma clara linhagem, que não se esvai em meros 60 anitos! Merkel segue seus passos, do lado de fora do comboio que leva os súbditos a novas prisões dentro dos seus próprios países. Lá no fundo, parece que querem mesmo dominar a Europa, para depois dominar o mundo. Bastards!

Anónimo disse...

Para Portugal poder cantar de galo precisaria de ter excedentes orçamentais e estar já a reduzir a dívida e a carga fiscal.

É possível? É. Mas seria preciso pôr em ordem as Fundações, as IPSSs, os colégios privados, a Banca e todo o PSI20, mais as empresas públicas locais...

Há coragem? Duvido...

Nem conseguem pôr a Santa Casa de Lisboa no devido sítio... manda mais em Portugal que o Governo.

Já repararam que os lucros dos jogos sociais são aplicados apenas na capital? Em Espanha os lucros destes jogos ficam todos nas mãos do Estado e são distribuídos por todo o país...

Não há legalização das apostas online e das casas de apostas online como a Bet365 ou a Bwin por causa do lobby da Santa Casa. E entretanto os nossos clubes de futebol e as nossas modalidade perdem milhões em patrocínios... e assim o nosso desporto fica menos competitivo...

Hoje em dia em quase toda a Europa o mercado de apostas desportivas online está totalmente aberto à livre concorrência...

Em Portugal ninguém contesta o monopólio absurdo da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. O Estado teria muito a ganhar se nacionalizasse os jogos sociais, se distribuísse os seus lucros por todo o país e se legalizasse as casas de apostas online com sede em países da UE que queiram operar no nosso país.

O Estado português está capturado pelo PSI20, pelo BES, pelas IPSSs, pelas Fundações, colégios privados, Maçonaria e Opus Dei.

Quem cuida do interesse nacional?

Quem cuida do Bem Comum?

Assim, na melhor das hipóteses, só nos espera ou estagnação, ou morte lenta...

Anónimo disse...

«http://www.abola.pt/mundos/ver.aspx?id=457713

O ator Nicolau Breyner será o rosto de uma coligação de pequenos partidos que se candidatará ao Parlamento Europeu nas próximas eleições, que se realizarão a 25 de maio.

O grupo, que ainda não está fechado (sabe-se que um dos partidos integrantes é o PND - Partido Nova Democracia), defende uma postura «eurocrítica» e dará voz à saída de Portugal do euro.»


Não é preciso ser um génio em Economia e Finanças para ver que Portugal não estava nem está preparado para o euro. Nem estava sequer nenhum dos países agora em crise, do Sul, e provavelmente a França também não estava preparada.

O euro é moeda para o Benelux, Alemanha, Áustria e nórdicos (e a maior parte não a quis, a excepção foi a Finlândia).

Anónimo disse...

Neste momento temos salários em escudos e no pequeno comércio os preços já caminham para valores de escudo...

Mas as rendas continuam em euros, tal como os preços da electricidade, gás, água, comunicações...

É um país com duas moedas, como diz Medeiros Ferreira.

O escudo para o povo, o euro para o poder financeiro e para o PSI20.

Anónimo disse...

4 de Fevereiro de 2014 às 01:21

Eça e Antero já escreviam assim em meados/finais do século XIX.

lidiasantos almeida sousa disse...

Obrigada pelo seu lembrete para o meu mail, mas estou com muita falta de tempo pois tenho de acabar um trabalho, e aqui na Torre não há descanso. Eles fumam aos magotes nos corredores, fazendo as suas apostas. Só me chamou atenção o Senhor António Cristóvão, que com toda a dignidade escreve o seu nome e põe a foto. O meu nome está aqui mas infelizmente sou uma analfabeta tecnológica e não sei apor a minha fotografia.
Senhor Paulo Cristóvão, o fenómeno Português Horta Osório, deu uma entrevista à revista Única do Expresso, e disse precisamente: a divida de um País não é para ser paga, é para se ir pagando, sem a deixar aumentar em demasia. Já viu quanto este Governo aumentou a dívida herdada? Eram à roda de 95 mil milhões de euros e agora, depois de sacarem aos Portugas o ENORME AUMENTO DE IMPOSTOS, sacarem em todos os aspectos, adiarem o pagamento das dividas com juros baixos para dentro de alguns anos terem de as pagar com juros mais altos, a divida já vai em 130 mil milhões de Euros. Se vier à TORRE 3 das Amoreiras, ouvirá as apostas, que não são cobradas peça Santa Casa da Misericórdia, dirigida pelo homem que anda sempre por aí e que já lá meteu a sua corte que vem da Câmara Municipal de Lisboa. É só ler o seu comentário no Tablóide CM que lhe fica mesmo a matar, a engraxar o ALFORRECA e a mandar abaixo o Conselheiro Acácio, desculpe queria dizer Marcelo. Vou saber mais sobre o Senhor para lhe mandar as minhas colagens. Também as pode ver no Lindissimo blog Um jeito manso e comentar lá.

Anónimo disse...

Estou muito de acordo com o comentador anónimo de
4 de Fevereiro de 2014 às 01:21


Rui Moringa

Anónimo disse...

Oh Almeida Santos,

A dívida que o Passos e o Portas gerem, que lhes foi deixada pelo Sócrates, é de 200.000 milhões de euros. Só isso. Coisa pouca. Pouco mais de 130% de tudo o que os tugas produzem. Será paga, mais devagar ou mais depressa. O Horta Osório está bem, na City, onde aufere una 4 ou 5 milhões de libras anuais, para além doutros fees.

lidiasantos almeida sousa disse...

Querido anónimo abro uma excepção mas não abuse: O meu sobrenome, herdado de minha mãe, lisboeta dos 7 costados, nascida no Convento da Encarnação em Lisboa, por ser descendente de um combatente morto na Batalha de La Liz, é SANTOS DE ALMEIDA e não Almeida Santos. Como sou maluca mas não estúpida, sem bem o que quer insinuar: que eu pertenço à família do odiado por vós Almeida santos, mas está muito enganado porque nem sequer o conheço. O Sócrates deixou uma divida depois de encorporadas as alíneas que a UE autorizava, o empréstimo/dádiva que o Guterres enviou para Timor e que eles apesar da extracção do petróleo nunca pagarão, pois foram os australianos a ganhar com esta palhaçada. A venda das dividas do Fisco a da Segurança Social, feita por Ferreira Leite quando Ministra de Durão, que foi um dos maiores flops da história da Economia Portuguesa, por cada 5 Euros, recebemos apenas um, e ainda com juros elevado e tivemos de fazer as cobranças incobraveis- Quando o CITY BANK estava à beira da falência, fomos obrigados a pagar-lhes- Junte-lhe mil milhões de Euros que pagámos pelos submarinos, faça as contas e saberá o valor da divida, na maior parte devido às Empresas Publicas de Transportes. A UE deu como certa,após estas correcções uma divida rondando os 95 mil milhões de Euros. Agora depois do ENORME AUMENTO DE IMPOSTOS, do roubo aos Funcionários Públicos e reformados, do adiamento do pagamento das dividas com juros baixos, feitas no mês passado, a divida segundo as estatísticas oficiais ronda os 130 mil milhões de Euros- Diga o que disser, infelizmente esta é a nossa triste realidade. A mim pouco me atingiram pois recebo o meu ordenado em França. apenas no IVA, na água e na Electricidade que venderam aos Comunistas Chineses, para pagar ordenados principesco ao CATROGA que tem 3 reformas e pensões e a outros que você sabe que eu sei. Quando quiser vir à Torre 3 das Amoreiras, verá como eles comem tudo e ainda se gabam, como o Homem da Mala o José Luís Arnaut, co cunhado do Duque de Bragança, que pertence ao escritório de Advogados que ajudou a vender os CTT e o seu Banco Postal aos agora seus patrões GOLDEN SACHS- Vão se chateando com a arraia miúda e quando derem por vós estão comidos pelos tubarões. A China já comprou concessionou 1/3 do território Ucraniano e pelas minhas contas, contando os Seguros, os lixos, a Agua, a EDP a REN, já devem ser donos de mais de metade da riqueza portuguesa, e não pára. diz-se aqui que está para sair a bomba- Mi aguardem e verão a linda sorte que vos espera.

Anónimo disse...

O maior especialista em Chinês é o Soares, para onde mandou toda a troupe, desde o Vitorino até ao Coelhone, comandados pelo Melancia do fax. As suas fontes estão enviesadas, nós já sabemos. Antes fossem 130 mil milhões. Mas, NÃO, são 200.000 milhões de euros para pagar. Claro que os bandalhos anteriores também foram culpados, até o Sousa Franco que fez tudo para a tugolandia ficar no Euro foi complacente. Mas, os 2,9% de aumento da Função Pública, quando a falência já se via. A maior rede de auto-estradas do mundo, por km2, as parcerias público-privadas nos hospitais, a Parque Escolar, o rendimento mínimo, as reformas indiscriminadas aos 50 anos, tudo isso tem um rótulo "social", tudo isso fez parte do legado social-socrático. Agora pagas. E em França, o Hollande está a melhorar muito a situação da Europa. A Marine vai ganhar as eleições. Vai ser de morrer a rir!

Anónimo disse...

O aldrabão do Lídio continua a querer intoxicar.
A central socretina de desinformação ainda lhe paga a avença.

Toma lá,trapaceiro:

http://www.youtube.com/watch?v=7t1EAZ7GXUI

Norberto Pedroso disse...

Nos idos da década de oitenta do século passado publicou o Sunday Times uma página inteira dividida em duas colunas, em data que lamento hoje não ter anotado. Na primeira coluna transcrevia uma série de decisões de carácter político e económico destinadas a ser adoptadas em toda a Europa caso tivesse sido conquistada pela Alemanha nazi. Na segunda transcreviam-se, em paralelo, decisões já assumidas pela CE para serem implementadas nos países aderentes. O título desta peça era mais ou menos "Descubra as diferenças, se for capaz..." ou " Como ganhar uma guerra sem disparar um tiro..."

lidiasantos almeida sousa disse...

Tanta zaragata para nada, dizia Shakspeare, 20 anónimos 20 - a comentarem no seu blogue e não batem o seu record, mas hoje algo se passa para melhor: Um Senhor chamado Carlos Antunes ( será o das Brigadas Revolucionárias, marido da médica Isabel do Carmo?) faz uma belíssima descrição do que foi a entrada de Portugal, primeiro para a CEE de onde recebemos quadriliões de milhões de contos e Cavaco e sua quadrilha destruiram tudo e depois pouco ou nada reconstruiram, tirando as auto-estradas. Aí começou a tragédia de Portugal, disseram que o nosso destino era ser um País de Serviços e Turismo, género Califórnia da Europa. Mas destruiram os fundos para a formação profissional e só aumentámos os novos analfabetos que são todos aqueles que não falam pelo menos mais um idioma e saibam trabalhar com um computador.

Segunda desgraça, a entrada para o Clube do Euro, com pressupostos mentirosos e que tinha de descambar no que deu. Não há almoços grátis!!
Os meus cumprimentos para o Senhor CA, para o habitual e lúcido António Cristóvão, pessoas honradas que se identificam. Desculpem qualquer coisinha mas estou muito atarefada, o movimento é enorme. algo se estará a passar com os Banqueiros, os Advogados, o Xanana Gusmão que em vez de se queixar agora dos Australianos, deveria ter pensado em pagar os Milhões que o Guterres lhe enviou, pois os funcionários públicos de Timor e eram todos, deixaram de receber o ordenado da Indonésia e só votavam se lhes pagassem o ordenado. É preciso ter lata.