domingo, 19 de dezembro de 2010

Actualização do template do blogue

Actualizei hoje, 19-12-2010, o modelo (template) deste blogue. O anterior modelo foi criado pelo meu amigo João Nascimento, a quem agradeço a ajuda técnica na criação desse modelo, quando ainda tínhamos de penar na linguagem HTML e não dispúnhamos da funcionalidade do tipo Wordpress para o desenho do modelo no Blogger.

O motivo da actualização é a necessidade de mudança do sistema de comentários. Depois de ter transitado do Haloscan para o Echo (após o Haloscan ter sido comprado pela JS-Kit), sou forçado a mudar para o sistema de comentários do Blogger já que o Echo, que me serviu durante um ano, passa a ser pago. Aproveito a ocasião para enxugar e actualizar a estrutura, esperando que o blogue fique menos lento a carregar - uma queixa frequente dos leitores.

Agradeço a reacção dos leitores e comentadores sobre o novo modelo (template), nomeadamente em termos de leitura e velocidade de carregamento da página.


Actualização: O template (modelo) e este poste foram actualizados às 11:10 e 11:58 de 19-12-2010.

18 comentários:

kurtz disse...

Tempo de carregamento excelente, mas, honestamente, nunca tive qualquer problema nesse aspecto...

Ramiro Marques disse...

Está melhor assim. Um feliz Natal para ti e família.

António Balbino Caldeira disse...

Ainda faltam uns acertos, mas está quase. Obrigado pelo feedback.

Obrigado pelos votos.

Um Santo Natal e um Ano Bom de 2011 - e continuação do excelente trabalho para a comunidade.

Isabel Filipe disse...

Bom dia António,

Gosto mais assim ... e carregou na perfeição.

Dinada disse...

De facto muito mais rápido. Eu tiha problemas em 'entrar' aqui em casa e agora foi num ápice.

Boa :)

Vasco disse...

Parabéns
Está francamente melhor técnica e visualmente.
Um SANTO NATAL e um Ano 2011 o menos mau possível...
Nota: será possível enviar-me o seu endereço (mail) para vasco.themudo@gmail.com para o anexar aos meus contactos?

Anónimo disse...

Muito melhor.

Portugal é que não:

Sistema de contabilização do Estado continua a apresentar fragilidades
Governo esconde degradação do controlo da despesa pública

Na passada quarta-feira, o Governo anunciou a imposição de metas trimestrais às "entidades relevantes para as contas do défice orçamental" e a criação de "alertas", se forem ultrapassadas. O grau incipiente da medida levou economistas a questionarem-se por que razão - no meio desta crise - a DGO não exercia já esse controlo como rotina e com maior regularidade.

Sobretudo quando há anos que se vem prometendo a aplicação global do Plano Oficial de Contabilidade Pública (POCP) que permitiria à DGO saber - a cada momento - a evolução da despesa efectiva, seja num organismo público, seja no Estado no seu todo. Além, claro, de fechar a conta do Estado sem problemas.

CGE na mão de uma pessoa

São várias as lacunas na consolidação das contas dos diversos organismos públicos na conta do Estado.

Em primeiro lugar, dizem as fontes contactadas pelo PÚBLICO, os problemas começam nos dados de base. Ou não há orientações concretas aos serviços, ou são incoerentes e confusas, não esclarecendo de forma clara como proceder à contabilização dos actos orçamentais de cada organismo.

Depois, a própria aplicação informática de consolidação (denominada "Rigore Gerall") não está devidamente desenvolvida. E, apesar das constantes dificuldades, a consolidação na conta do Estado é - estranhamente - seguida na DGO por uma só pessoa.

As confusões geradas são de diversa ordem. Em muitos casos, baralha-se despesas realizadas com transferências do Estado, nomeadamente no sector da Saúde. No circuito dos fundos comunitários ocorre, em alguns anos, que os valores de uma dada rubrica consolidada não coincide com o somatório das mesmas rubricas nos organismos públicos de um dado sector institucional.

Em parte, essas dificuldades surgem, porque não há capacidade do pessoal para corrigir as distorções entre o que é despesa efectiva e receita. Verificam-se, por isso, empolamentos tanto de despesa, como de receita. Depois, os registos de compromissos assumidos não são tratados ao nível da despesa e da receita em cada exercício anual.

Tudo poderia ser colmatado, se, em segundo lugar, o controlo da DGO sobre a execução orçamental não se tivesse fragilizado. Prevista desde 1979 como missão da DGO, a função de auditoria desapareceu na nova lei orgânica de 2007.

http://economia.publico.pt/Noticia/governo-esconde-degradacao-do-controlo-da-despesa-publica_1471648

Anónimo disse...

João César das Neves não apoia candidatura de Cavaco


O economista e professor universitário João César das Neves revelou que não vai apoiar o amigo Cavaco Silva nas eleições presidenciais. Questionado sobre os candidatos às eleições presidenciais, o antigo assessor de Cavaco Silva declarou, em entrevista ao programa «Gente que Conta», da TSF e DN, que não tenciona apoiar a sua recandidatura a Belém.
«Sou muito amigo do professor Cavaco Silva, pessoalmente tenho muito respeito por ele, foi meu professor, trabalhei com ele quatro anos. Mas politicamente desta vez não o apoio. Apoiei-o nas duas candidaturas e fiz parte da comissão. Desta vez não aceitei, e não é por nenhuma contestação pessoal, mas porque a assinatura dele está numa enorme quantidade das piores lei contra a família da História de Portugal», justificou.

No entanto, César das Neves reforçou que não quer «criticar pessoalmente» Cavaco, até porque o considera «o melhor dos candidatos».

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=12&id_news=484417

Anónimo disse...

Já sobre o primeiro-ministro, José Sócrates, César das Neves descreveu-o como «um grande político» e «um táctico genial», mas assumiu que «é um homem muito perigoso» que «ganha facilmente os debates, na manipulação da comunicação social, na imagem política do Governo» e defendeu que «não devemos dá-lo como defunto» – em oposição ao líder do PSD, Pedro Passos Coelho, que «não está a mostrar grande capacidade de inspirar o povo».

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=12&id_news=484417&page=1

Anónimo disse...

O modelo está excelente. Quanto à dificuldade de enviar comentários, a mim isso nunca me aconteceu. Já a outra coisa que lhe comuniquei pessoalmente e com a qual nunca estive d'acordo (sabe perfeitamente a quê que me refiro), vou ver agora com este comentário se sucede o mesmo... porque até ao meu último comentário de há poucas semanas, Dr. Caldeira, tudo continuava na mesma, apesar de me ter garantido que não...

Aproveito para lhe desejar a si e toda a sua família, as maiores felicidades para o Natal e Ano Novo.
Os mesmos desejos vão igualmente para todos os leitores que vêm por bem a este Blog.
Maria

Anónimo disse...

Agora sim, está de parabéns. Finalmente! Já não era sem tempo!
Retiro o que disse no comentário acima, mas como esse foi o primeiro que enviei com o novo formato e o novo sistema de comentários, penso ter uma certa desculpa...
Por mim, mais uma vez agradeço-lhe a mudança.
Maria

floribundus disse...

força.
insista.
nunca desista

quanto mais a canalha nos detestar,
melhor para todos

Anónimo disse...

The walk-in stated he was approached two months ago by a part-time business associate named Orlando to help sell "Uranium plates" owned by an unidentified ex-Russian General living in Portugal. According to the walk-in, Orlando was working through an "old" Portuguese Judge living near Porto. As proof, the walk-in provided a color photocopy of a photograph, provided by Orlando, with what appeared to be a matte gray metallic brick placed before the front page of Portuguese newspaper Jornal de Noticias.

http://www.guardian.co.uk/world/us-embassy-cables-documents/163602

Anónimo disse...

AFTER taking the worst battering in its 12-year history in 2010, the eurozone will be tested to destruction and possibly beyond in 2011.

With the Chinese economy also showing signs of over-heating, the US still looks like the best bet for investors in the New Year.

Between them, the European banks have lent just over $1.3 trillion (€1 trillion) to Portugal, Ireland, Greece and Spain, the so-called PIGS. Most of this money has been lent by German, British and French banks. This of course explains why the ECB was so determined to prevent "haircuts" being imposed on the senior bondholders of the Irish banks during last month's bailout negotiations. To have done so could very quickly have transformed a purely Irish banking crisis into a pan-European one.

When the scale of the problems facing China and the eurozone are taken into account, Uncle Sam starts looking like a haven of tranquillity. In an age of uncertainty, the United States and the dollar look an awful lot less uncertain than any of the main alternatives.

http://www.independent.ie/business/world/united-states-looks-like-the-best-bet-for-2011-as-eurozone-gets-set-for-big-battle-2466622.html

Anónimo disse...

Caro Dr. António Balbino Caldeira,

Ficou muito melhor, parabéns.

Desejo-lhe a si e toda a sua Exma. família, as maiores felicidades para o Natal e Ano Novo.

Napoleão

Anónimo disse...

Eu leio o blog sempre através do Google Reader, portanto o layout é-me indiferente, o que interessa é o conteúdo.

Carlos Maduro disse...

Um Santo Natal para o autor deste blog e todos os seus leitores sem excepção.
O Portugal Profundo está mais clarinho,não é que antes não lhe faltasse clareza, antes pelo contrário.
A ideia é boa: luz, esperança, Natal, Ano Novo, bons sinais, oxalá o caro Prof. esteja a ser um profeta.

Henrique Sousa disse...

Muito bom!