domingo, 16 de abril de 2017

Redenção



Na Páscoa, ocorre a redenção. Uma ressurreição da alma primitiva. Um passo mais neste trajeto variado, trôpego e sinuoso, em que seguimos por atalhos ingénuos, sobre obstáculos tamanhos e por desvios do trânsito reto. De alfa a ómega, perdemo-nos por todas as letras do alfabeto em que nos lemos gregos. Contudo, chegamos. Variadamente chegamos

Crer é ter esperança de que querer sucede. De que podemos... se. Na verdade, a perfeição tangível não é a ausência de pecado, mas a procura sincera da Graça. Engana-se o homem que supõe em si a capacidade do serviço constante da consciência e, além dele, do exercício pleno da doutrina. Isso não significa uma resignação com o pecado: corresponde à condição humana, imperfeita e limitada.

Na luta que dentro de nós damos, entre a tentação e o sacrifício, ganhamos quando a fé persiste e perdemos quando a fé amolece. E, quando caímos, cada hora é de ressurgir na fé e de reerguer a vontade sobre o prazer. A quietitude fica para o encontro final. Até lá, importa assumir a convicção cristã e trabalhar no serviço dos homens para a glória de Deus.

4 comentários:

Anónimo disse...

Eu não dou para o peditório de São Dias Loureiro
É preciso muita lata para Dias Loureiro se apresentar como um mártir da Justiça. E muito despudor e desconhecimento da lei para se condenar a PGR por causa do despacho de arquivamento do inquérito.

Portas e Travessas.sa disse...

O homem merece(levedo ao altar)

Anónimo disse...

E o sousa da Independente? A imprensa do politicamente correcto não o tem convidado para entrevistas ou perdeu o piu ? O sócio vaara está dentro ou anda cá por fora? A imprensa só noticia futebol e "derbies" (uma palavra bem portuguesa...).

Anónimo disse...

http://portadaloja.blogspot.pt/2017/04/jmt-no-publico-de-hoje-uma-pergunta.html