quarta-feira, 4 de maio de 2011

Repor a ordem constitucional nas informações


O próximo Governo não pode consentir a deriva dos serviços de informação para um Estado dentro do Estado, como o ISI (Directorate for Inter-Services Intelligence) paquistanês.

Uma das principais tarefas do novo Governo será eliminar qualquer desvio anti-democrático e garantir a ordem constitucional sobre os serviços de informação no País, para que estes funcionem, escrupulosamente dentro da lei, ao serviço do Estado. Bem como a repressão legal de qualquer estrutura de informações clandestina que possa manter-se depois da próxima derrota do Partido Socialista. Não pode repetir-se a sugestão da realização de escutas: se a lei não consente que os serviços de informação do Estado a façam, os seus dirigentes e políticos não podem teimar nela.

Não podem admitir-se o registo, a intercepção electrónica, a escuta, a intrusão, a vigilância, a infiltração, a perseguição e a ameaça, em Portugal por qualquer estrutura de informação clandestina. O funcionamento da estrutura de informações clandestina terá de ser investigado judicialmente, após as eleições de Junho de 2011, e enviado para o Ministério Público qualquer indício de funcionamento dos serviços de informação à margem  da lei; e hão-de ser identificados os agentes, os colaboradores, os dirigentes operacionais, os tesoureiros (os que dão autorização de pagamento) e os mandantes da estrutura de informações clandestina.

O novo Governo não pode ser ingénuo, ou promíscuo, como os de 2002/2004, que consentiram que a administração pública e as informações continuassem, na realidade, a ser controladas por quem tinha perdido o poder nas eleições!... Não vai ser fácil porque a chave do poder socialista está no domínio da informação. Mas a democracia e a liberdade não permitem que o novo poder abdique dessa responsabilidade.

Tendo em atenção a monstruosidade que tem sucedido nesta área, não creio que seja possível ao próximo Governo durar, ou ter uma acção eficaz, se não desmantelar imediatamente a estrutura de informações clandestina e não impuser o respeito rigoroso da lei aos serviços de informação do Estado, saneando imediatamente toda e qualquer suspeita de desvio face à lei e de colaboração com o Partido Socialista durante estes anos negros.

Um sinal de comando eficaz do próximo Governo seria a nomeação de um militar para a direcção do SIS (Serviço de Informações de Segurança). Tal como no próprio SIED (Serviço de Informações Estratégicas de Defesa), onde a opção por diplomata está comprometida pelo desempenho que se conhece. Não adianta, insistir na vantagem da solução civil porque a actual situação das informações em Portugal é trágica para a democracia e porque até o reverenciado presidente Obama, dos EUA dos checks and balances,  acaba de nomear um militar, o general David Petraeus, para director da CIA.


* Imagem editada daqui.

12 comentários:

Anónimo disse...

Tem toda a razão,professor.
Mas acho que o PSD é um partido soft.Não tem astúcia política.
Infelizmente o partido corrupto vai continuar a infiltrar todos os serviços influentes do Estado.
Falta um homem de honra e vontade inquebrantável,que prometa a perseguição sem tréguas ao crime organizado e à corrupção na classe política.
Hoje pude constatar como os portugueses são permeáveis à manipulação televisiva;como lhes falta o espírito crítico e a clarividência.
Assisti a um forum que me deixou de rastos.As pessoas não têm a mínima noção do que se passa no país.Não compreendem os problemas e a sua raíz.
O partido socialista,pelo que fez ao país,devia ser erradicado do espectro político,os seus dirigentes investigados e confiscados.
Mas o que vi foi que muita gente continua a dar credibilidade ao maior embusteiro da história,a acreditar nas suas torpes mentiras.
Na internet podemos conseguir algum esclarecimento,mas o grande público bebe nas notícias da TV.
Porque diabo o PSD não percebe que ao permitir via verde ao governo nas TV's,está a condenar-se a si próprio e ao país?

Anónimo disse...

E o Siresp, funciona? Quanto custou? Alô, Parlamento!

Anónimo disse...

José Sócrates fez esta terça-feira uma comunicação ao País para anunciar que o Governo chegou a acordo com BCE, FMI e Comissão Europeia, vulgo «a troika». Óptimo! Então diga lá, o que é que nos espera?

Com Teixeira dos Santos no papel de mordomo a seu lado, Sócrates exultou: «não vamos mexer nos salários, não vamos cortar nas pensões, não vamos privatizar a Saúde e Educação». Porreiro, pá. Então o que é que vamos ser obrigados a fazer?

«O acordo é para três anos». OK. Mas onde é que está a parte má?

Seguiram-se os agradecimentos ao ministro das Finanças – que parecia estar a fazer o frete da sua vida ali ao lado de Sócrates – e ... pronto.

Mais tarde, o gabinete do PM revelou um «pormenor»: o empréstimo será de 78 mil milhões de euros. Menos mal, sempre é menos do que se falava...

Agora falta saber onde é que nos vai doer. Uma coisa parece certa, os impostos vão subir. A ausência de um triunfante «não vamos aumentar o IVA» promete mexidas nas taxas.


http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=41&id_news=508330

Anónimo disse...

Paz à alma do pobre Passos Coelho. Que venha o Doutor Rui Rio. Homem com H grande e não esta canalhada tipo Passos Coelho e o Relvas, o homem de Angola...

Anónimo disse...

"o homem de Angola..."

Mas, este não é o João Soares? O tal que caiu de avião, que por acaso trazia feijão branco e parece que marfim?

Anónimo disse...

Também, mas o Relvas movimenta-se muito bem, até demais, nas empresas angolanas e com angolanos.

Nunca esqueçam a ida do Branquinho para a ONI. onde está o Moniz. São estes cancros que dão cabo do meu querido PSD e que fazem com ele não ganhe e não seja respeitada por uma boa parte da população.

Karocha disse...

http://infamias-karocha.blogspot.com/

Anónimo disse...

O teu querido PSD hoje em dia não passa duma simples associação de profissionais, gestores públicos e privados, politicos profissionais e especialistas da bolsa.

Estão-se maribando para o POVO - aquele que se levanta para pôr este país desgraçado a trabalhar!

O PSD perdeu há muito a alma.

É pena.

Anónimo disse...

O que dá cabo do PSD e de nós todos é a máquina de propaganda socialista em que se tornou toda a comunicação social.
A maior crise dos últimos 160 anos e não há uma única voz nos noticiários a apontar o dedo acusador ao governo.
Pelo contrário,elogios e não são poucos,enquanto minam a credibilidade dos adversários.
Quem não lembra o que fizeram a M.F.Leite,cujo discurso a realidade já demonstrou o seu acerto e sensatez? E foi lapidada,troçada,etc,enquanto os autores da ruína do país eram levados ao colo.
A máquina socialista comprou todos os grupos de comunicação,na verdadeira acepção,através de testas de ferro,ou através de pressões e ameaças.
Deste modo,bem podem rodar os líderes da oposição,que na opinião pública serão sempre menorizados e os maiores canalhas e traidores aos interesses nacionais sempre surgirão imaculados.
Enquando os apoiantes do PSD se vão entretendo a discutir se este é bom ou mau líder,nem reparam que o que os desgasta é a engrenagem mafiosa da imprensa,com as Fátimas,Judites,Josés Albertos,etc,que os torna a todos maus.

Ananias Dias disse...

Certo. Impõe-se também a imediata exoneração de Pinto Monteiro de procurador-geral da República, a par de uma solução legal que leve ao afastamento de Noronha Nascimento da presidência do Supremo Tribunal de Justiça.
Sem isso, nada feito. É que se trata de dois dos principais responsáveis pelo estado a que o País chegou, dada a protecção que sempre deram ao principal agente da nossa desgraça colectiva.

Anónimo disse...

D. Afonso Henriques: o Conquistador.
D. Dinis: o Lavrador.
O "Engenheiro" Sócrates: o Liquidatário.

Ricardo Campus disse...

Palavras para quê...
Eça e Portugal - Os Fins da Política Tudo Distorce: http://t.co/Jw5Bb4C