segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

Misericórdia




A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) contratou Paulo Pedroso, noticia a jornalista Maria Henrique Espada, na revista Sábado, de hoje, 25-11-2020

 "O ex-socialista e diretor de campanha de Ana Gomes assinou contrato em setembro, com efeitos retroativos a abril. Na mesma altura, foi também contratado pela Associação Mutualista Montepio, que se cruza com a Santa Casa como acionista. (...) A deliberação 1473/2020 de 25 de setembro da administração da SCML formalizou o contrato com Pedroso, no valor de 3.700 euros mensais (brutos), como consultor externo para um projeto de políticas de longevidade”.

Ex-subordinado do ex-ministro da Solidariedade e Segurança Social e seu colega no ISCTE, o provedor Edmundo Martinho contratou Paulo Pedroso logo após este perdido o cargo e o salário de diretor-adjunto suplente do Banco Mundial (Alternate Executive Director) em Nova Iorque, cargo que ocupara, em abril de 2018, em representação de Portugal, nomeado pelo Governo de António Costa. O atual representante do País no World Bank é Miguel Coelho, ex-economista chefe do Ministério das Finanças então dirigido por Mário Centeno.

Note-se que Paulo Pedroso perdeu a guerra de cerco da sua fação a António Costa, no Verão de 2019, uma fação à qual pertence Edmundo Martinho, provedor da SCML. Esse conflito interno saldou-se com uma derrota mal compensada pela queda, numa situação raríssima, de José António Vieira da Silva, visto pelo grupo poderoso como traidor depois de se ter passado para o socratismo em 2005. Em janeiro de 2020, Paulo Pedroso, seguindo ironicamente o movimento do seu rival José Sócrates (em maio de 2018), desfiliou-se do PS, no qual sobreviveu sua mulher, Ana Catarina Mendes, como líder parlamentar.

E qual foi a justificação apresentada pelo provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Edmundo Martinho, para a contratação por 3.700 euros mensais, em abril de 2020, do amigo Paulo Pedroso recém-desempregado do Banco Mundial? A consultoria num projeto de criação de uma “Estratégia Nacional” de “Políticas Públicas de Longevidade”. Um caso diferente das fotocópias de legislação sobre educação pela qual, na ressaca do dispendioso processo da Casa Pia, o seu irmão João Pedroso recebeu 290 mil euros da amiga ministra Maria de Lurdes Rodrigues, em 2007 (ver Público, de 15-3-2009).

Contudo, Paulo Pedroso está na calha para se tornar provedor da Misericórdia de Lisboa. Não só porque o seu amigo Edmundo o deseja como sucessor, mas porque o primeiro-ministro pretende o armistício da guerra fratricida interna. Note-se que Pedroso é o coordenador de campanha de Ana Gomes, no pleito presidencial em que Costa estabeleceu uma neutralidade colaborante com Marcelo Rebelo de Sousa, embora formalmente o Partido Socialista se abstenha de apoiar qualquer candidato.

Assim, António Costa prepara-se para nomear o potencial rival Paulo Pedroso para o consolo de provedor da SCML, uma megainstituição de caridade, com um vasto conjunto de equipamentos, dedicados à infância e juventude, inclusivé várias casas de acolhimento de crianças e jovens em risco. O efeito que esta prevista nomeação governamental de Paulo Pedroso para provedor da SCML provocará nos utentes e funcionários da Santa Casa, bem como a comoção nas pessoas que sempre acreditaram nos testemunhos judiciais das vítimas dos abusos sexuais da Casa Pia, parece pouco importar ao primeiro-ministro António Costa. 


* Imagem picada daqui.


Limitação de responsabilidade (disclaimer): Paulo José Fernandes Pedroso foi detido preventivamente, em 21-5-2003, por indícios da prática de 15 crimes de abuso sexual de menores. Foi libertado em 8-10-2003 do Estabelecimento Prisional de Lisboa, dirigindo-se imediatamente à Assembleia da República, onde foi recebido em triunfo pelos seus pares socialistas. Foi deduzida acusação contra ele pelo Ministério Público, em 29-12-2003, através dos procuradores João Guerra, Cristina Faleiro e Paula Soares e João Guerra da 2.ª Secção do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) do Distrito Judicial de Lisboa, no chamado processo de pedofilia da Casa Pia, por 23 crimes de abuso sexual de menores sobre quatro crianças. Porém, não foi pronunciado pela juíza de instrução Ana de Barros Queiroz Teixeira e Silva, em 31-5-2004, e não foi a julgamento. Em 9-11-2005, o Tribunal da Relação de Lisboa confirmou a sua não pronúncia.



























7 comentários:

Bmonteiro disse...

«consultoria num projeto de criação de uma “Estratégia Nacional” de “Políticas Públicas de Longevidade”»
Mais uma achega, à decisão "Abstenção Geral" em eleições.
Conforme as 'burocracias' teorizadas há um século por Max Weber. A tudo fazer por viver por e para si mesmas.
Indiferentes aos deserdados dos salários mínimos, que proclamam proteger, tratam de si, próximos, familiares e amigos, das suas 'vidinhas, na expressão da iluminada presidente da AR pelo PSD, Mrs Assunção Esteves.
Abstenção Geral, nos 80% precisa-se.

Anónimo disse...

Este partido socialista dá-me vómitos

Maria disse...

Este regime/sistema mete nojo e todos os políticos que dele têm feito parte desde o 25/4 até ao presente, foram e são do mais degradante e criminoso (moral e de sangue) que já existiu desde a Fundação de Portugal há quase mil anos.
Maria

Maria disse...

António, enviei há pouco um comentário a desejar-lhe Boas Festas e acrescentei outros Votos sobre o trabalho importante que tem mãos. Cliquei no sítio certo e não apareceu o seu aviso habitual antes de publicar o dito. Recebeu ou não? Há na internete censura e da grande - e neste caso se aconteceu não foi da sua parte, claro - da parte de uma organização na Califórnia que consegue censurar tudo o que se escreve nos blogues do mundo inteiro que não agrade ao mundialismo (não acrescento o substantivo adequado para não censurarem também este…) instalado. Sei que isto acontece porque alguém que sabe do assunto e em quem confio em absoluto, mo demonstrou com exemplos.
Maria

Isabel disse...

https://youtu.be/OSO6vWfW5WI

E o presépio do Vaticano?

Maria disse...

António, permito-me deixar aqui um enorme obrigada ao Pedro Namora e os meus parabéns por mais um sue acto de bravura e honradez. Ele escreveu um belíssimo e certeiro artigo no P. de Janeiro em que desmonta preto no branco as brutas mentiras com que o pedófilo Carlos Cruz está a tentar que o seu processo seja revisto, exigindo um novo julgamento baseado no apelo que fez ao Tribunal Europeu dos direitos do homem(?) relativamente à sua condenação que não lhe satisfez!!!

Tenho a grata satisfação de ter cumprimentado Pedro Namora próximo da Maternidade Alfredo da Costa poucos dias depois de ter rebentado o escândalo de pedofilia da Casa Pia e dar-lhe os parabéns, pedindo-lhe para nunca desistir dos testemunhos que já havia dado e os mais dar iria dar sobre o assunto. Grande homem, grande pai de família, grande português. Deus lhe dê saúde para nunca desistir de defender as muitas crianças que foram abusadas durante anos por um bando de criminosos sem vergonha que tentaram desmenti-las sem o conseguirem e só é pena que outros tantos pulhas do mesmo jaez nunca tenham sido denunciados para serem igualmente julgados e condenados a penas pesadas.

Sei que Pedro lê este imperdível Blogo, por isso aqui lhe deixo o meu profundo agradecimento pela sua grandeza como homem, como ex-casapiano e como patriota. Ele jamais será esquecido pelos milhões de portugueses de bem.
Maria

Maria disse...

António: continuamos, nós os seus fiéis leitores e comentadores, à espera das grandes novidades políticas que já vão largas semanas deu a entender estarem em curso. Quando é que nos brinda com pelo menos algumas delas? Por mim - e tenho a certeza que bastantes mais pessoas - fico ansiosamente à espera. Vá lá, faça um esforço e revele-nos qualquer coisa sobre as ditas.
Cumprimentos.
Maria