segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Brasil versus Portugal

Baum, L. Frank e Denslow, W.W. (ilustração) (1900). The wonderful wizard of Oz. 


A conduta da juíza Gabriela Hardt no depoimento do ex-presidente Lula, em 14-11-2018, é um exemplo de como a justiça portuguesa deve tratar os arguidos poderosos: sem cobardia, sem subserviência, sem desigualdade face aos demais cidadãos, sem deixar «tumultuar» a audiência. Devia ser de estudo obrigatório no Centro de Estudos Judiciários (CEJ) e no Conselho Superior de Magistratura (CSM).


* Ilustração picada daqui.

4 comentários:

Anónimo disse...

A autora do blogue Cocó na Fralda, que este mês venceu o prémio blogue do ano na categoria Família, treina quase todos os dias. "Faz-me bem ao corpo e à cabeça. Além disso, como estou quase sempre inscrita em maratonas ou noutras provas, tenho de estar bem preparada. Faço 150 a 200 quilómetros por mês", conta, ainda ofegante.

Joao Lisboa disse...

In my in depth research, I observed that Portugal is in fact the most racist place on earth; especially toward African blacks! It's as if they have never seen a black person before and the Portuguese culture is not only backwards (as if you steped in a time machine and went to the year 1899) but the citizens where exceptionally ignorant. It was as if you were talking to a wall rather than a human being. The Portugee also seemed to be trapped in another dimension of space and time because they kept on talking and mumbling about the past rather than the present...it was pretty sad actually.
The racism today in Portugal and the xenophobic culture is not just promoted within, but exported to the host country where they may be living. Solely based on the evidence accrued, a social scientist may argue that Portugal seem to be experts in racism, especially in Canada and the U.S.

Anónimo disse...

Este comentário é insultuoso para os portugueses (insulting)

É de alguém ignorante (ignorant) que desconhece que já no século XIV havia negros que ocupavam altos cargos na sociedade e no clero e disso existe representação em pinturas da época e documentação

Anónimo disse...

No dia 24 de maio, o Presidente da República recebeu em Belém o então Grão Mestre da Grande Loja Legal de Portugal (GLLP), Júlio Meirinhos, e a Grã-Mestre da Grande Loja Feminina de Portugal (GLFP), Isabel Corker para os ouvir sobre a legalização da Eutanásia. O GOL não foi chamado.

O mundo maçónico não entendeu qual o propósito de terem ido aquelas obediências e muito menos o porquê de terem ido juntas. Isto porque a GLLP nem reconhece a GLFP. A obediência feminina até tem um tratado de amizade/protocolo com o Grande Oriente Lusitano, o grande rival da GLLP.