terça-feira, 1 de setembro de 2015

A misteriosa quinta da estrada de Janas (Sintra)

«Caíu o anjo, e ficou simplesmente o homem». 
Camilo Castelo Branco (1866). A queda dum anjo. Conclusão.

O mistério de uma quinta e a queda de dois anjos.


ABC (10-4-2005). Pórtico principal da Quinta dos Muros Altos. Janas, Sintra.


ABC (11-9-2005). Paisagem da Quinta dos Muros Altos. Janas, Sintra.
À esquerda, em baixo, vê-se o muro amarelo da quinta; ao longe o Palácio da Pena.


ABC (10-4-2005). Cruzamento da estrada de Janas. Sintra.


Vista de satélite da Quinta dos Muros Altos, Janas, Sintra - Google Earth, 2015.
Colori a área da quinta, cerca de 3 hectares, a rosa.


Acesso à Quinta dos Muros Altos. Estrada de Janas, Sintra.
Google Street View (jan/2010)
.
A quinta situa-se por trás da vivenda designada Casa da Fonte.
A seta rosa, que coloquei, indica o acesso ao portão principal da quinta.


Em abril e setembro de 2005, investiguei o caso da Quinta dos Muros Altos, em Janas, Sintra, que uma fonte reputada me havia dito pertencer ao então primeiro-ministro José Sócrates.

Recordo que esta Quinta dos Muros Altos, situada a cerca de duzentos metros da estrada de Janas, em Sintra, havia sido objeto de uma reportagem de O Independente, em 9 de dezembro de 1994, «Investigação sobre as fabulosas casas de Duarte Lima - Casa cheia», sobre o surpreendente património do então todo-poderoso líder parlamentar social-democrata, reproduzida no blogue Rio das Maçãs, de Pedro Macieira (18-5-2014).



Desenho do pórtico principal-norte da Quinta dos Muros Altos, Janas, Sintra
Imagem reproduzida no blogue Rio das Maçãs, 18-5-2014
.
O pórtico construído, como se pode ver nas fotos que disparei, foi algo
 menos espampanante: não tem as janelas (!?...) previstas, é de cor
amarela clara e as colunas e bases de pedra da estrutura foram
substituídas por relevo pintado a branco.


Tratava-se, então, de uma quinta que, alegadamente, Duarte Lima havia agregado através da compra de seis parcelas, com a área de 30.900 m2. A quinta estava em nome de uma sobrinha do parlamentar advogado, Alda, e o procurador era o seu adjunto, Vítor Fonseca, cuja mãe era formalmente dona (e senhoria) de metade do seu enorme e luxuoso apartamento de cobertura da Avenida João XXI, em Lisboa. Como desculpa, Duarte Lima recuperou para a ribalta jurídica a figura do contrato de mandato, que alegadamente sua sobrinha teria de um empresário identificado como sendo das relações do deputado. Na queda destoutro morgado de Agra de Freimas, a elitista Lisboa não lhe perdoou, tal como não havia feito a sua némesis, o vice-presidente da bancada parlamentar do PSD, José pacheco Pereira. E o jornalista Batista Bastos denunciou-lhe, então, um faustoso nível de vida, aparentamente incompatível com o salário de deputado, numa sulfurosa crónica, no Público, onde descrevia uma lauta refeição solitária deste, ensopada em Barca Velha. Em maio de 2008, conciliação feita, o mesmo Duarte Lima apresentou um livro de crónicas de Batista Bastos que o identificou como «grande amigo» e um «homem que sabe discernir e divide o vago do que é significativo»...

Neste linque  é explicado caso da quinta, apontada em Nafarros:
«Entre 1993 e 1994, Lima comprou seis terrenos em Nafarros, Sintra, juntando-os numa única propriedade de três hectares. As escrituras foram feitas em nome de Alda Lima de Deus, uma sobrinha (que também não falou ao Expresso) sem rendimentos. As escrituras referiam 31 mil contos, mas, segundo uma investigação do jornal "O Independente", na altura terão sido gastos 141.500 contos com as compras. Quer Alda quer os vendedores tinham como procurador Vítor Fonseca, o homem de confiança do advogado. O arquiteto que desenhou os muros da quinta admitiu que foi Lima quem o contratou. O então deputado argumentou que a sobrinha representava um empresário do norte, que também não quis falar com o Expresso.» 
O assunto desembocou num processo judicial, arquivado em 1997. Duarte Lima foi forçado a demitir-se, mas o caso foi coberto com a patine do tempo que o arquiteto de renome pretendia simular na quinta, mediante um muro irregular e mal rebocado, de cor ocre. Apesar da marca de era no frontispício do pórtico principal ostentar a data da fortuna: 1994...

Em abril de 2005, fui investigar a informação, que me havia sido fornecida por uma fonte muito credível, sobre a dita quinta que José Sócrates havia alegadamente comprado ao seu amigo Duarte Lima.


ABC (10-4-2005). Detalhe do pórtico principal da Quinta dos Muros Altos. Janas, Sintra.

ABC (10-4-2005). Detalhe do frontispício do pórtico principal da Quinta dos Muros Altos.
Janas, Sintra.

Sem grande dificuldade, lá consegui identificar a Quinta dos Muros Altos (ou Quinta de Janas). Uma propriedade bucólica, assente num num planalto com o Castelo dos Mouros e a silhueta do palácio da Pena em pano de fundo. Três hectares de configuração irregular, cercados por um extenso muro de cerca de 2,5 metros de altura, alteado por um rede de galinheiro de um metro, convenientemente esticada, grampeada abaixo do cimo e defendida por um espesso corta-vento e hera, defendidos ainda por uma barreira de cedros interna. Cuidados invulgares para prevenir a vista para dentro do espaço, numa área de paisagem mal protegida, antes do aparecimento do Google Earth que tornou mais fácil aos serviços das câmaras municipais a identificação de construções clandestinas.


Dirigi-me, pelo acesso lateral oeste de uma casa designada por casa da Fonte, à entrada principal (norte) da quinta, um imponente pórtico, de estilo novecentista. O portão, verde, estava cerrado e a estrada de macadame sem rastos recentes e com erva alta. O aspeto que dava é de que o portão, e a porta lateral, não tinham sido abertos nos últimos meses. Note-se que José Sócrates anunciou a sua candidatura à liderança do PS, em 15 de julho de 2004, classificando o secretário-geral cessante Ferro Rodrigues como «um exemplo» e declarando: «aquilo que me anima é a vontade de servir Portugal».

Enquanto circundava a quinta pelo lado leste, com a câmara fotográfica mal disfarçada, cruzou-se comigo um carro, cujos ocupantes se riram, deixando pressentir que tinha acertado no alvo, que confirmei novamente com a fonte.

ABC (setembro de 2005). Pórtico secundário da Quinta dos Muros Altos. Janas, Sintra.


ABC (10-4-2005). Detalhe do muro da Quinta dos Muros Altos. Janas, Sintra.


Jamais iria entrar na propriedade, apenas tentar descobrir o que, se algo, de ilícito ali acontecia. Intrigado, procurei espreitar para saber se já se tinha iniciado a construção da casa, embora a fonte da informação me tivesse assegurado que tinha havido apenas obras de irrigação há largos meses. Era uma tarefa quase impossível, pois a quinta estava cerrada - e ainda não havia drones.

Todavia, no portão secundário (leste), descomunal face à estrada de macadame que bordejava o lado este da quinta, encontrei entre uns caniços, uma velha mesa metálica alta com tampo de tabopan. Experimentei a resistência do tampo da mesa, que estava húmido e meio descolado, e achei que serviria de suporte precário. Pus a câmara a tiracolo, encostei a mesa ao muro, e saltei para a rede de vedação, apoiando os pés no rebordo inclinado do muro. Puxei da máquina fotográfica, enquanto me segurava à rede com a mão esquerda e preparava-me para nesta posição desconfortável fotografar para o interior com o braço alçado, mesmo sem conseguir ver. Porém, num momento do diabo - e de Deus... -, antes que fizesse qualquer fotografia do interior (ou do céu...) o telemóvel, que tinha no bolso das calças, começou a tocar, interrompendo a placidez do local. Um cão começou a ladrar, parecendo do lado de dentro, e sem saber se havia lá gente ou não, temi alertar alguém da minha tentativa de espreitadela. Não conseguia desligar o telemóvel. Pulei apressado para cima da mesa, mas o tampo cedeu imediatamente. Aterrei com uma perna de cada lado da estrutura de metal da mesa, a dois dedos de perder a capacidade de mais descendência...

Perguntei depois na vizinhança a quem pertencia a quinta e disseram-me que lhes parecia ainda ser do Dr. Duarte Lima, mas que estaria à venda. Indicaram-me o intermediário, da zona, e telefonei-lhe, demostrando o meu  interesse. Confirmou-me que a quinta tinha sido «desse senhor» que indicara (o Dr. Duarte Lima), mas que agora pertencia a outra pessoa que não identificou. Não mencionei o nome de José Sócrates. Ajustámos um encontro para um sábado de manhã, mas decidi não comparecer: não me pareceu que confessasse que a quinta era propriedade do primeiro-ministro...

Tal como costumo, como não pude obter prova de que a quinta pertencia a José Sócrates e como a fonte não conseguisse obrter mais informação do que aquela que me havia dado, nada publiquei. Em 28 e 29 de janeiro de 2009, ainda publiquei fotos da quinta neste blogue, para ver se obtinha mais informação, mas nada surgiu. Nessa altura, forneci a informação a um jornalista. Apurou que a quinta havia sido de Duarte Lima, obteve até uma planta de localização, com a identificação das parcelas, mas foi impossível determinar o proprietário. Ficou o caso pendente.

Soube, agora, em 10-6-2015, pela revista Sábado, que o procurador Rosário Teixeira confrontou, no interrogatório de 27 de maio de 2015, José Sócrates com a alegada compra e propriedade, através de uma empresa offshore, da Quinta dos Muros Altos, em Janas, Sintra. Segundo o resumo do Observador, de 10-6-2015, sobre a transcrição do interrotório publicada pela revista, Sócrates negou não ser «íntimo» do seu amigo Duarte Lima e recusou qualquer ligação com a dita quinta ou offshore. Segundo o Observador, a Sábado, de 10-6-2015, explicava que o Ministério Público acredita que a quinta pertence mesmo a José Sócrates. Muito embora tenha alegadamente circulado, a propriedade da offshore dona da quinta, do seu primo José Paulo Bernardo Pinto de Sousa, aka «o Gordo» do processo Freeport - que parece ter sido seu operacional desde que José Sócrates assomou com «hiperbólico estrondo», tal como outro morgado da província, ao palácio de São Bento, como deputado do grupo da Cova da Beira (e depois ministro) -, ao construtor José Guilherme (o consulente do amigo mútuo Ricardo Salgado), a Joaquim Barroca Rodrigues (do grupo Lena)...

Não há bem que sempre dure. A hermética Quinta dos Muros Altos, em Janas, origem de dupla face, parece estar amaldiçoada: os seus alegados donos verdadeiros, Calistos deslumbrados por riqueza súbita, fausto desmedido e sucesso temporário, não chegam a fruir do seu sossego, da sua paisagem e do seu estatuto, «entre as aves e flores de Sintra»... Que adianta ao homem possuir o mundo inteiro, se vier a perder a sua alma? Como (de)terminava o narrador A.M.C., no «Mistério da estrada de Sintra» (1870), «o ser humano só pode ter a felicidade no dever cumprido».


Atualização: este poste foi emendado às 15:47 de 2-9-2015 (a data da 1.ª foto).

Limitação de responsabilidade (disclaimer): José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa, arguido indiciado, em 24-11-2014, pelos crimes de corrupção ativa por titular de cargo político, de corrupção ativa, de corrupção passiva para acto ilícito, de corrupção passiva para acto lícito, de branqueamento de capitais, de fraude fiscal qualificada e de fraude fiscal (SIC, 26-11-2014) no âmbito da Operação Marquês, recluso detido preventivamente no Estabelecimento Prisional de Évora sob o n.º 44, goza do direito constitucional à presunção de inocência até ao trânsito em julgado de eventual sentença condenatória, e não é, que se saiba, arguido no caso da Quinta dos Muros Altos, em janas, Sintra.
Domingos Duarte Lima, condenado, em 28-11-2014, pelo tribunal da 
7.ª Vara Criminal de Lisboa, a 10 anos de prisão efetiva no processo Homeland/BPN, pelos crimes de burla qualificada e branqueamento de capitais, em 28-11-2014, acusado pelo Ministério Público brasileiro pelo alegado homicídio de Rosalina Ribeiro, e arguido do caso de alegado desvio de dinheiro da herança do empresário Lúcio Tomé Féteira, pelos quais goza do direito constitucional à presunção de inocência até ao trânsito em julgado de eventual sentença condenatória, não é arguido ou suspeito de irregularidade ou ilegalidade no caso da Quinta dos Muros Altos, em Janas, Sintra ou noutros factos e alegações mencionadas nos casos mediáticos que comento.
As dermais entidades mencionadas neste poste, objeto das notícias dos média, que comento, não são arguidas ou suspeitas de qualquer ilegalidade ou irregularidade nestes casos.

47 comentários:

Anónimo disse...

Jana e Janus...

Sintra...

A arquitectura do portão...

Isto cheira a algo mais...

Anónimo disse...

Sintra, o Monte da Lua...

Isto cheira a algo mais...

Anónimo disse...

Notável. Isto é jornalismo como não temos nos jornais.
O gangster de Vilar de Massada tem um património fabuloso. Ouve-se muita coisa. Fala-se de centenas de milhões.
Veremos se os portugueses não terminam este período dourado da luta contra a corrupção, retirando a maioria absoluta ao governo actual.
Se o fizerem, não merecerão mais do que vão ter.

Segundo o CM, parece que vai haver novidade e o gang xuxa vai espernear, porque os factos vão atropelar mais mafiosos do bando.

http://jornais.sapo.pt/nacional/4063

Anónimo disse...

O presidiário 44 é um espanto. Cada cavadela uma milhoca....e o que não faltará ainda investigar....Como é que um técnico de 2ª classe numa C.M. do interior, que fazia os projectos para emigrantes com a "classe" dos que circularam na NET, obteve tantos milhões que lhe permitiram fazer vida de milionario? O dinheiro era de todos nós?

Anónimo disse...

Parabéns pelo trabalho de investigação notável.

Onde estão os jornaleiros da TVI, RTP, SIC, Publico, Expresso.....?

Anónimo disse...

Mas que grande investigação. Tirou umas fotos aos exteriores. Apresentou umas tretas sem sentido. E, no fim, as mesmas "conclusões" de sempre: aquilo é do Sócrates.. fáceis, muito fáceis estas investigações quando o "resultado" final já é conhecido antes de começarem essas investigações.

Subsídio à vista disse...


Diz o Costa hoje , que o acolhimento dos refugiados não é um problema para Portugal , mas uma oportunidade.

«Prova Indirecta» disse...



"Acho que Portugal tem todo o interesse em ser pró-ativo, porque temos zonas do país que se têm vindo a desertificar e temos um problema demográfico acentuado.»

Portanto , se o Toni Chamuças for PM , temos o problema de desertificação do interior e da demografia resolvidos .

Anónimo disse...

Duce. Ao estilo Duce, com as botas e o cachecol do SLB. Relembrai que o Duce, o original, terminou de "patas para o ar", parece que no Mercado de Milão, juntamente com a parceira da época. Fins tristes e merecidos dos Duces deste mundo, que pensam que serão eternos e irremovíveis. Quem é o autor dos mamarrachos de Porto da Carne e falsifica uma licenciatura numa pseudo-universidade da tugolandia, pode fazer isto e tudo o que se pensar. Ao estilo Vale e Azevedo, Valentim, Dias Loureiro, Vara, Lello e quejandos. Lixo. Muito lixo existe na antiga terra de Afonso Henriques. Virá o dia, daqui por algum tempo, em que alguém trará a grande vassoura. Varra-se o lixo, que é pestilento e nauseabundo, antes que traga a lepra.

Anónimo disse...

O presidiário 44 tem certamente muitos cúmplices e muita gente que conhece as suas tramóias.
É para desconfiar daqueles que ainda defendem aquele escroque.
Quanto mais não fosse pelas inconcebíveis parcerias público-privadas que os nossos filhos e netos vão pagar durante muitos anos, ele bem merece estar na cadeia.
Só tenho pena que mais cúmplices não estejam a fazer-lhe companhia...

Anónimo disse...

Não é para falar das vigarices do sousa mas para chamar a atenção para a eficácia de um certo detergente: OMO lava mais branco. Não acreditam? Vejam os novos cartazes, o Dr. António Costa tomou banho com Omo e vejam como ficou braqnquinho!

Anónimo disse...

O Costa é patético. Acha que os imigrantes muçulmanos vão-se instalar em regiões desertificadas, como os camelos no deserto.
Vê muitos filmes. estes socialistas são uns líricos e uns impostores.
Os imigrantes mal apanhem um passaporte português, mandam o Costa e a todos nós à fava e ala para o norte da europa.
Só uma besta quadrada não vê algo tão evidente.
Meter um energúmeno que andou a sabotar a investigação de abuso de crianças da Casa Pia e só diz baboseiras e disparates, que demonstra estar em permanente divórcio com a realidade, só mesmo para deficientes mentais ou para os chupistas que esperam e salivam pelo dinheiro do OE.

Anónimo disse...

O chico esperto do Costa arranja logo a ideia peregrina de que, "os refugiados vão resolver o problema da demografia". Estes socialistas são assim, acham que os problemas que eles criam, se resolvem sozinhos. Coitados dos portugueses se escolherem o António Bosta.

Anónimo disse...

Os imigrantes mal apanhem passaporte tuga vão fugir para a Europa do Norte ou para as ilhas britânicas. Alguns vão tentar a sorte nos EUA ou no Canadá.

O despovoamento do interior é apenas consequência da morte do sector transacionável e das actividades tradicionais, do aparecimento do Estado Social e da concentração de investimento público no litoral e em meia dúzia de regiões e cidades.

As famílias proprietárias há muito que se meteram na máquina do funcionalismo. São agora médicos, juízes, advogados, professores, directores. Estão acomodados às reformas «milionárias» do funcionalismo, às benesses da promiscuidade com a prestação de serviços ao Estado (exemplo dos escritórios de advogados de Coimbra e Lisboa), e noutros escalão, acomodaram-se às PPPs, às obras públicas, à saúde privada...

Quando se começaram a acomodar ao Estado abandonaram as quintas e herdades, estiveram-se nas tintas para as rendas da agricultura, das vacas, dos pinheiros. Alguns até abandonaram os sobreiros, que estão agora a morrer com uma doença por não serem tratados. Estas actividades davam emprego a muita gente, que viviam com muito mais que salário mínimo.

Se estas famílias tivessem salários no Estado e reformas que o país pudesse pagar, se a reforma não fosse igual ao último salário mas houvesse um tecto de 1000 euros, iriam ver como punham as casas e chalets que têm ao abandono no mercado de arrendamento, e as quintas do interior também no mercado de arrendamento, as fábricas de novo a funcionar, lagares, adegas, moagens...

Anónimo disse...

Na minha terra os grandes proprietários depois do 25 de Abril mandaram os filhos para o funcionalismo. Agora são juízes, médicos, advogados, professores, directores de departamentos do Estado, militares. Não arrendam nem vendem as quintas. Está tudo ao abandono, os chalets estão estão a cair, as árvores de fruto morreram, os sobreiros morreram com a doença do sobreiro e com os incêndios, o gado desapareceu.

A moagem, o lagar, a adega e os dois aviários foram demolidos nos anos Cavaco, e os retornados construíram mamarrachos e deram cabo da vila. Demoliram as casas típicas, com boa traça e boas volumetrias, e fizeram daquilo uma espécie de bairro suburbano. Foram os retornados com a sua construção à pato-bravo, sem qualidade arquitectónica, que estragaram a minha vila.

O PREC e a democracia deram cabo da economia local no interior, deram cabo das indústrias tradicionais e da agricultura que nunca se desenvolveram.

Isto não sucedeu em Espanha. Passamos a fronteira e as povoações não estão inundadas de mamarrachos e têm uma cintura industrial com matadouros, lagares, adegas, moagens, fábricas de enchidos e presuntos, armazéns de frutas, pesticidas e herbicidas, áreas comerciais. Não há nada disto no interior de Portugal, visitem a Estremadura ou a Andaluzia e comparem com a
realidade do Ribatejo, Alentejo, Algarve ou Beira Baixa.

O PCP, Soares, Cavaco, Sócrates, Guterres, os jornalistas e os retornados deram cabo de Portugal.

Anónimo disse...

Reparem, o primeiro homossexual a assumir-se era retornado.

O Carlos Castro era retornado. Os gays e fufas da comunicação social que começaram a forçar a divulgação do comportamento eram na sua maioria retornados.

Na minha região o primeiro casal de fufas que apareceu tinha vindo de Moçambique. Os primeiros gays assumidos eram dois médicos e eram retornados.

Trouxeram o mamarracho, forçaram a divulgação dos «feminismos», abortos e gays.

Foi a descolonização exemplar do Soares e dos comunas.

Anónimo disse...

3 de setembro de 2015 às 14:57

Mas, parece que os retornados não gostam muito do Soares, nem do Almeida Santos, nem do Coronel Melo Antunes. Ou estarei enganado?

Anónimo disse...

Sr Miguel Abrantes, um amigo seu comprou um livro do sr Sócrates escrito pelo sr Vital Moreira?
Olhe que pode vir a ganhar muito dinheiro. Esse livro é uma raridade. O sr Sócrates comprou quase todas as unidades com o dinheiro daquela continha na Suíça.
Diga-lhe para não acender a lareira com ele. Em breve poderá vendê-lo ao Museu Alves dos Reis.

Anónimo disse...

O jornal das 13H na TVI, foi formidável hoje. Conseguiu superar o tempo de antena do PS.
Depois de várias tentativas para colocar na boca de entrevistados, palavras contra o governo, o locutor do partido socialista, frustrado, acabou por decidir fazê-las pela sua própria boca, lançando invectivas e impropérios contra Passos e Portas.
Coitado, entrevistou tantos emigrantes regressados para férias e nenhum respondeu o que ele pretendia. O melhor que ouviu foi "-São todos iguais! Não voto em nenhum."
A TVI devia providenciar um psicólogo para acompanhar o senhor. deve ter ficado traumatizado.

Que pena o Noronha Mãos de Tesoura ter destruído aquelas escutas que demonstravam o atentado ao Estado de Direito, em que o PS procurava comprar toda a comunicação social. No caso, a TVI.

Por falar nisso, quando é que a nossa Justiça corrupta e corporativa vai chamar à responsabilidade a trempe usada pelo sindicato do crime para controlar o judicial, Noronha-Cândida-Pinto?

Anónimo disse...

Começa a ser uma vergonha, na Torre 3 das Amoreiras, pois nos elevadores, no chão, só se encontram caixas de caixas vazias de Canesten. A Lídia das Corporações anda ferida, pois sabe que o António Bosta não será PM, o que deixará de fora os negócios da Torre 3, e isso pode acabar de vez com o mecenato da corporação. Ai Canesten, nem tu dás alívio à Lídia Badalhoca.

Anónimo disse...

Prof. Balbino Caldeira,

Não será esta afirmação do Dr. Costa, um resquício de um velho ditado, "trabalhar é bom para o preto"?

Não será este um comentário racista de um originário da Índia?

http://www.jornaldenegocios.pt/economia/europa/uniao_europeia/detalhe/costa_reitera_que_refugiados_possam_trabalhar_nas_florestas_portuguesas.html

Há florestas em Portugal a precisarem de manutenção. E há refugiados à procura de uma oportunidade. António Costa junta as duas ideias e acredita que quem está a fugir dos seus países, em África, poderá encontrar emprego nas florestas e pinhais nacionais.

"Quando vejo o estado em que está a nossa floresta e em que vejo os proprietários e os autarcas da zona de pinhal a queixarem-se da falta de mão-de-obra para manutenção de pinhal, eu vejo: mas está aqui tanta população, que está habituada a trabalho agrícola, que tem capacidade para trabalhar nesta floresta. Porque é que não criamos aqui uma grande oportunidade de recuperar património abandonado, de criar uma nova oportunidade de vida para estas pessoas", assinalou o candidato a primeiro-ministro pelo Partido Socialista para as eleições.

Anónimo disse...

Seria interessante ver o Costa forçar estes "imigrantes" a trabalhar nas florestas e matas,

http://www.liveleak.com/view?i=87e_1441211042

Ahahaha!
O costa é um Rato que nunca fez nada na vida além de parasitar o Estado. è um político de carreira. Ou seja, a realidade para além das quatro pareces do gabinete é algo imaginário que tem que se adaptar aos seus desejos e discursos.

Anónimo disse...

Isso das florestas é tudo treta e a comunicação social como não pesca nada do assunto engole.

Menos de 3% da floresta é pública. Dentro desta floresta pública há falta de limpeza porque há uma invasão de plantas exóticas, mimosas, acácias, eucaliptos e outras. Erradicar estas exóticas é trabalho para técnicos com formação na área e não para gente sem nenhuma formação. Basicamente andarão lá a limpar e depois as exótica vão voltar em pouco tempo e foi tudo dinheiro desperdiçado.

Como é que o Costa quer limpar os 97% de floresta privada? É que Portugal é um Estado de Direito que supostamente respeita a propriedade privada. Se aparecesse um bando de imigrantes nas propriedade da minha família sem autorização eram todos corridos com tiros ao ar de caçadeira.

Eu não sou engenheiro florestal ou do ambiente e sei estas coisas básicas sobre o tema. O que me espanta é que os jornaleiros sejam tão ignorantes e andem a entrevistar os políticos sem se informarem primeiro, sem lerem um pouco de informação técnica. E depois nunca fazem as perguntas difíceis nem confrontam os socialistas.

Já agora isso da limpeza «total» é panca portuguesa. Nas margens dos cursos de água, canais ou valas, por exemplo, é prejudicial arrasar tudo. As árvores ripícolas como o amieiro, salgueiro, choupo ou freixo estão lá para segurar as margens e assim evitar o assoreamento, prevenindo desta forma as cheias. As limpezas devem apenas remover as invasoras, como as canas, mimosas ou acácias, e preservar as árvores nativas. Por isso devem ser feitas por pessoas com formação e não por qualquer um.

Anónimo disse...

O Tóino Costa quer aumentar impostos sobre a banca e a EDP.
Depois, estas duas vão fazer incidir nos clientes esses mesmos impostos.
O Tóino quer fazer no governo o que fez na Cambra de Lisbos. Taxas e taxinhas. Ressuscitou impostos e inventou outros como taxar o turismo porque acha que é demais tanta receita para a hotelaria e comércio.
Assim, já pode dispensar os islamitas de limpar matas.

O Gang das Bancarrotas contra ataca disse...

Depois de ir a Évora acertar a estratégia, o pré-bancarrota Guterres prepara-se para se tornar o candidato socretino a PR.
A quadrilha das bancarrotas não dorme. O pós-Costa está em marcha.

http://observador.pt/2015/09/04/antonio-guterres-abandona-onu-no-final-do-mandato/

« Canesten » disse...


Um dos mais assertivos artigos do porta da loja , neste o José esmerou-se mesmo : http://portadaloja.blogspot.pt/2015/09/ps-psd-e-justica.html

Anónimo disse...

Sem dúvida!
Uma peça que nenhum jornal jamais publicará.
Parabéns ao José pela clarividência e pela coragem.
O Eduardo Dâmaso sente necessidade de agradar à Máfia. Dá umas no cravo e outras na ferradura. Não tem tomates para fazer jornalismo a sério, apesar de os outros serem ainda piores.

Anónimo disse...

à idade deixa muita gente perturbada.

http://www.publico.pt/politica/noticia/manuela-ferreira-leite-apresenta-livro-de-socialista-as-portas-da-campanha-eleitoral-1706701?

O livro Cuidar do Futuro - Os Mitos do Estado Social Português é da autoria de Pedro Adão e Silva, membro do secretariado nacional do PS durante a liderança de Ferro Rodrigues, e de Mariana Trigo Pereira, filha do economista Paulo Trigo Pereira, candidato nas listas socialistas nas legislativas de 4 de Outubro. A “estrela” da apresentação da obra será porém, uma social-democrata. Nada mais, nada menos do que Manuela Ferreira Leite.

Prova Indirecta disse...


O Lidia , larga o Canesten que o Socras já foi pra casa....

Anónimo disse...

Liguei a TVI e vejo a sra Judite Sousa a ter orgasmos múltiplos. Ainda tentei perceber se a cadeira tinha algum dildo gigante, mas depressa percebi que era porque um malfeitor que roubou milhões ao país e arruinou empresas e famílias, tinha saída da prisão de Évora, passando a prisão domiciliária.
Na RTP1, o Marinho Pinto trovejava contra a Justiça e juízes. Contra tudo o que vive à superfície da Terra e não rasteje como ele e os apaniguados do socretinismo mafioso.
Na SIC, uma tipa cheia de botox e tinta de maquilhagem parecia ter ingerido uma dúzia de Red Bull's e introduzido no ânus uma garrafa de alcool.
Chegou o Redentor!

Anónimo disse...

Évora está mais limpa. O bandido foi para as galinheiras?

Anónimo disse...

Rua Abade Faria, uma rua mal frequentada.

Anónimo disse...

Nas TVs todos se indignam com o tempo de prisão sem acusação formada. Mas não está dentro da lei? E ninguém estranha a origem dos milhoes e vida faustosa? Valha-nos a cmtv q não atira areia para os olhos. Até o Jerónimo de Sousa pede para não misturar as coisas quando em relação a outros não teve problemas em condenar na praça pública.já não lhe comprava um carro. Nem uma bicicleta. Estavam todos na assembleia da república enquanto o 44 endividava os contribuintes durante gerações.

Tou-me cagando... disse...

Quando foi constituída uma Comissão Paralamentar sobre a tentativa de atentado ao Estado de Direito, não esquecer que o PCP, BE e PS aprovaram por maioria que as escutas ao Socretino não seriam ouvidas e tidas em consideração.
Nas barbas de todos os portugueses, montaram uma farsa ridícula. Iam apreciar um caso cuja única prova concludente residia nas escutas que eles recusavam analisar.
por outras palavras, os gangs de esquerda safavam a pelo ao gang xuxa e ao criminoso que atentava contra a nação.
Por isso, o que o Jerónimo diz não vale um chavo. É um hipócrita. Um psicopata que sonha com uma ditadura sangrenta para ter a sua Datcha.
É ver como os jornaleiros falavam do Relvas ou como atacavam o Santana por gostar de mulheres e festança.
Compare-se com a proteção cerrada que fazem ao gatuno que roubou os portugueses em milhões.
Anti-jornalismo puro. Propaganda em vez de informação. É assim que o PS consegue sempre equilibrar os pratos da balança depois de arruinar o país como já fez por quatro vezes, entre elas estão três bancarrotas.
A quarta foi a pré-bancarrota gutérrica.

Prova Indirecta disse...


A pergunta dos milhões é : quem vai agora financiar o 44 - quem vai ser esse novo Carlos Santos Silva do preso político - quem lhe vai emprestar o dinheiro para pagar a sua reabilitação e readquirir a qualidade de vida a que estava habituado e com que juros ?

Prova Indirecta disse...


Só conheço dois mafiosos encartados - um deles fala Brasileiro - com recursos políticos e pecuniários para tanto...

Anónimo disse...

Mais uma carta caiu do baralho.
Mais próximo está o dia em que outra cairá e toda a tramoia desmoronará.

Anónimo disse...

Conforme notícias do CM, que mais parece ser o órgão de comunicação social "oficial" do processo, de início era o Grupo Lena que tinha sido muito beneficiado pelo Sócrates nos concursos públicos. Eram as PPPs, o TGV, a Parque Escolar, etc. Depois eram as obras na Venezuela. A seguir apareceu Angola, a casa de Paris e as casas em Portugal. E por aí em diante.
Porém, hoje e ontem na CMTV, esse mesmo jornal informa que a investigação aponta para Vale do Lobo.
Por isso, cumpre perguntar: então a prisão foi efetuada porque existiam indícios fortes e irrefutáveis quanto aos crimes que o Sócrates foi acusado e agora desaparecem os crimes iniciais e aparecem outros?
Parece haver razões para dizerem que ele foi preso para investigar.

Anónimo disse...

Esta tarde o Sr. Sousa foi visitada pela mãe. Chegou num Audi A5, preto, com uma motorista/assistente, de cor amulatada talvez brasileira que ficou no carro à espera.

Anónimo disse...

Ai, a vida Costa, costa. Volta inSeguro, tu ganhavas ao Passos!

http://expresso.sapo.pt/politica/2015-09-04-Sondagem-coligacao-volta-a-subir-e-PS-a-cair

Longe das (elevadas) expectativas que se criaram com a chegada de António Costa ao topo do PS, a sondagem de setembro, a um mês das eleições, não traz bons resultados para o Partido Socialista. Entre PS e coligação a diferença é agora de apenas um ponto percentual – o que se traduz num empate técnico (para não dizer num cenário de pântano) –, tratando-se por isso da menor diferença registada desde que Costa assumiu o lugar de António José Seguro.

Anónimo disse...

Unta a anilha balbino. passaste por são joão das lampas e fizeste um bico ao estância? ou ainda pagas os 60 ao teu boy?

Anónimo disse...

Confissão de Barroca trama Sócrates

Destinatário final de 12 milhões de euros foi José Sócrates, diz o procurador nos despachos que fundamentam prisões do ex-governante e do amigo.

http://www.cmjornal.xl.pt/exclusivos/detalhe/20150905_2350_confissao_de_barroca_trama_socrates.html

Anónimo disse...

Para o Sócrates ser preso havia provas irrefutáveis relacionadas com o grupo Lena e obras das PPPs, do Parque Escolar, TGV, etc, que lhes foram adjudicadas pelo governo Sócrates. Tudo isto tinha como intermediário o Carlos Santos Silva.
Passados três meses, e para continuar preso, descobriram mais provas irrefutáveis. Obras na Venezuela, a casa de Paris, as casas de cá, o livro, as viagens, os hotéis, a Sofia Fava, etc. Estas provas estavam em vias de ser confirmadas.
E eis que passados mais três meses aparece o derradeiro e final trunfo. O Vale de Lobo. E chegados aqui a justificação para mais três meses de preventiva. Faltava apenas fazer o caminho da confirmação.
Segundo parece, e tendo em atenção o que parece dizer o jornal "oficial" do processo, o CM, o caso cinge-se apenas ao caso Vale do Lobo cujo, segundo dizem, projeto de construção foi alterado pelo governo Sócrates para "ajudar" quem lhe deu os ditos 12 milhões.
Será que as provas iniciais irrefutáveis que levaram à prisão do Sócrates já se foram?
E todas as outras também?

Anónimo disse...

Como é que o Zé sousa obteve os milhões que lhe permitiram fazer vida de milionário. Se ele não explica alguém pode explicar? Porque é que o visado no livro " Contos Proibidos- Memórias de um PS Desconhecido" o vai visitar com tanta frequência? Há quem diga que a força do Zé sousa é o que ele sabe do resto da qauadrilha,que pode denunciar outros " amigos do dinheiro do Povo". Parece que não pode receber visitas do vara, da Srª do Norte, sua ex sócia que fugiu à justiça para o Brasil. Pode falar pelo telefone com os seus amigos E. Santo e Lula?

lidiasantos almeida sousa disse...

o PANILAS FOI A OFIR e depoishttps://video-lhr3-1.xx.fbcdn.net/hvideo-xfp1/v/t42.1790-2/11960677_10153702459860992_658584617_n.mp4?efg=eyJybHIiOjEyNDMsInJsYSI6NTEyfQ%3D%3D&rl=1243&vabr=691&oh=0beec5f1a7f91df36e3f08a57f6b6978&oe=55EC9774 fugiu depressa. quem tem cu tem medo

Anónimo disse...

O 25 de Abril meteu no poder uma multidão de bestas sem escrúpulos. E congratulam-se por vivermos nesta democracia podre!

lidiasantos almeida sousa disse...

estou muito admirada com o meu comentário sobre o panilas, QUEM SERÁ, QUE COLOCOU ESTE COMENTÁRIO COM O MEU NOME. Estava muito admirada a sua ausência, até pensei que tinha emigrado não sejam piegas.vejo que vem com a verve toda pensei que tinha emigrado,não sejam piegas,mas felizmente não o que seria de nos sem a sua fonte inesgotável de informações, Nºao sei dr tomou conhecimento da morta de senhor Zé DAS MEDALHA o maior indiciado do ´processo MONTEBRANCO branco E DO OUTRO INDICIADO Medina carreira.- Este ultimo foi um bom negocio deixamos de lhe pagar tres reformas e uma pensão de sobre vivência. tudo para o para o estado social que ele tanto odiava. O dinheiro que estava no MONTE BRANCO já está em nome da filha bem como todos o seus bens e dinheiro para ela não ter de pagar direitos sucessório ao fisco.Se quizer posso vender essa quinta mamarracho em França pois os franceses estão loucos para comprar velharias para recuperar esse ee um dos seus Hobbes.

,

.