sábado, 2 de julho de 2011

A nova sequela da licenciatura de José Sócrates



O Sol, de 1-7-2011, com chamada na primeira página e notícias nas páginas 4 e 5 traz novidades sobre a licenciatura que o ex-primeiro-ministro José Sócrates obteve na Universidade Independente, em data indeterminada do Verão de 1996: «Sócrates não é engenheiro: Antigo director de cursos afirmou ao tribunal do caso Independente que licenciatura foi irregular», de Ana Paula Azevedo (na versão digital a notícia tem o título «Professor diz em tribunal que Sócrates não fez licenciatura», o linque respeita à versão impressa, cujo conteúdo é o mesmo) e «Uma licenciatura atribulada: equivalências e notas postas em causa», de Luís Rosa (na versão digital a notícia tem como título «Equivalências e notas de Sócrates postas em causa», o linque respeita à versão impressa, cujo conteúdo é o mesmo).

O Prof. Doutor Eurico Calado terá dito, segundo Ana Paula Azevedo noticiou nesta edição do Sol, de 1-7-2011, que Sócrates «não é engenheiro», mas «supostamente licenciado» em Engenharia Civil. Que não era engenheiro, nem jamais tinha sido eu já tinha publicado em 22 de Fevereiro de 2010 neste blogue Do Portugal Profundo (confira-se a p. 51 do meu livro «O Dossiê Sócrates», de Setembro de 2009). Supostamente licenciado talvez se alicerce na afirmação peremptória do despacho de arquivamento da procuradora-geral adjunta Dra. Maria Cândida Almeida e procuradora-adjunta Dra. Carla Dias, de 1 de Agosto de 2007 (ver pp. 265-266 de «O Dossiê Sócrates»). Eurico Calado terá dito em tribunal, no processo sobre a gestão da Universidade Independente, que se queixou ao reitor Luís Arouca que José Sócrates «até fez a minha cadeira (Inglês Técnico) e eu nunca soube de nada» ao que, de acordo com o então director da faculdade, Eurico Calado, o reitor Arouca terá respondido: «Se soubesses, isto nunca se tinha feito».

A segunda peça, assinada por Luís Rosa, contém incorrecções e a indesculpável omissão das fontes, do que tenho pena até porque tenho citado com frequência o jornal e referido expressamente o jornalista. Além disso, como é público e notório, e conto no meu livro «O Dossiê Sócrates», fui objecto de um processo-crime apresentada «pelo primeiro ministro enquanto tal e cidadão» José Sócrates na revanche da minha investigação sobre o seu percurso académico, que acabou, no fim de um período de silêncio que me foi expressamente imposto sobre o caso, por ser arquivado e sobre o qual o na altura primeiro-ministro não recorreu nem, notificado para tal, deduziu acusação particular - direi sempre, lá saberá ele porquê... As incorrecções do artigo podem ser conferidas no meu livro «O Dossiê Sócrates», de Setembro de 2011, mas sintetizo as principais:
  1. Diz o jornalista que «As primeiras dúvidas sobre a forma como José Sócrates obteve a licenciatura em Engenharia Civil surgiram na blogosfera.». O jornalista escreve «blogosfera», como poderia dizer que uma informação surgiu nos jornais ou nos livros, segundo a cartilha velha prática dos media portugueses de jamais citar a fonte ou autoria da concorrência. Trata-se da velha doutrina de que aquilo-que-se-lê-nos-blogues-também-se-podia-ouvir-no-talho e que, portanto, os blogues não tem dignidade nem relevo para serem tratados pelo nome próprio... Ora, foi neste blogue Do Portugal Profundo que publiquei em 22 de Fevereiro de 2005, Março e Abril de 2005, informação  primária sobre o percurso académico do ex-primeiro-ministro José Sócrates, e depois em Fevereiro de 2007 e meses seguintes, como consta do livro «O Dossiê Sócrates», que lancei em Setembro de 2009 (e que tinha, há cerca de nove meses, quando tinha acesso ao contador, mais de 22.300 exemplares descarregados...). Informações que o autor usa sem indicar a fonte original conhecida.
  2. Luís Rosa escreve que «Outra questão reside no facto de o diploma que atesta a qualidade de licenciado de José Sócrates ter sido assinado a um domingo pelo reitor Luís Arouca.». Não é verdade que esse certificado de licenciatura tenha sido assinado a um domingo (foi assinado em «17-06-2003», uma quinta-feira), mas que atesta, conforme foi descoberto pelo nosso comentador Irnério e publicado neste blogue em 30-3-2007, e no meu livro «O Dossiê Sócrates» (pp. 114 e 145-146) que José Sócrates «Concluíu o curso em 08-09-1996 em 8 de Setembro de 1996, um domingo, isto é, do último exame ter sido realizado nesse dia.
  3. O jornalista do Sol justifica que «Se Sócrates tivesse sido beneficiado, o certificado de conclusão da licenciatura seria falso». Mas, independentemente da licenciatura ter sido, ou não, concluída, o certificado seria falso... se fosse falso, independentemente da licenciatura ser válida ou não. Existem dois certificados de licenciatura: o certificado entregue na Câmara Municipal da Covilhã, emitido em 26-08-1996 e que tem a data de conclusão da licenciatura em 8 de Agosto de 1996 (este certificado foi divulgado pela TVI, em 13-4-2007 - ver p. 271 de «O Dossiê Sócrates»); e o certificado que constava do seu dossiê de aluno na Universidade Independente, emitido em 17-06-2003 e que firma que José Sócrates concluíu a licenciatura em 8 de Setembro de 1996, um domingo (este certificado da Universidade Independente e a data de conclusão da licenciatura foram referidos na reportagem do Público de 22-3-2007 e o fac-simile publicado no mesmo jornal em 10-3-2007, e exibido pelo próprio José Sócrates, na sua entrevista à RTP-1 de 11 de Abril de 2007 - ver pp. 114 e 159-160 de «O Dossiê Sócrates»).
    O certificado de licenciatura (emitido em 26-08-1996) de José Sócrates entregue na Câmara Municipal da Covilhã - ver p. 267 do livro «O Dossiê Sócrates» - mencionava uma data anterior ao timbre do papel, pois este tinha códigos postais e indicativos telefónicos que nessa altura da emissão ainda não existiam e só vieram a ser criados dois e três anos depois, em 1998 e 1999 (ver p. 180 do meu livro) - como assinalou a bloguista Punctum contra Punctum no Braganza Mothers, em 13-4-2007, que citei em poste desse dia. Posto perante estas contradições, Sócrates, com o recurso do seu gabinete, apresentou várias versões: válido era o certificado do seu dossiê de aluno na UnI (o do domingo) disse Sócrates na RTP em 11-4-2011; o seu gabinete copntradisse dois dias depois, em 13-4-2011, que não e que válido era o certificado enviado para a Covilhã; mas a seguir, atendendo ao facto da prova e avaliação de Inglês Técnico (22 e 26 de Agosto de 1996) ter data posterior à da conclusão da licenciatura, 8 de Agosto de 1996, que consta no certificado da Covilhã (conforme o Expresso de 16-4-2011 indicou) o gabinete voltou à versão inicial da licenciatura concluída no domingo, 8 de Setembro de 1996 (o certificado da UnI, datado de 17-6-2003). Ver «O Dossiê Sócrates», pp. 129-133; e ainda, «Documento entregue à Câmara da Covilhã não coincide com o apresentado na RTP - Certificados de Sócrates com notas e datas diferentes», no Público de 13-4-2011, e «Documento entregue à Câmara da Covilhã - Prova de Inglês Técnico de Sócrates tem data posterior à conclusão da licenciatura, diz "Expresso"», no Público de 17-4-2011;
    O que estava em causa no inquérito-crime, em função dos elementos entretanto acumulados no inquérito em que fui testemunha, não era concluir se a licenciatura era, ou não, válida, mas se documentos que a certificavam eram falsos e se, nessa qualidade, tinha sido usados. Mas mesmo assim, a procuradora-geral adjunta Dra. Maria Cândida Almeida e a procuradora-adjunta Dra. Carla Dias, do DCIAP, vieram justificar que o chamado certificado da Covilhã, com timbre de código postal e indicativo telefónico posterior à data de emissão mencionada (26-08-1996) era uma segunda via (de um original que não se encontrou) e que por esse motivo é que estava manuscrita uma data anterior de emissão - embora o documento não mencionasse que se tratava de uma segunda via. Ou seja, era assim porque só assim, legalmente, podia ser...
  4. A Dra. Maria Cândida Almeida e a Dra. Carla Dias, do DCIAP,  fundamentaram que no despacho de arquivamento do inquérito sobre a falsificação de documento e utilização de documento falso, que a licenciatura de José Sócrates era válida porque a Universidade Independente assim o determinou... E mais disseram que José Sócrates não recebeu qualquer tratamento de favor relativamente aos seus colegas (Cf. p. 310 do meu livro), o que é diferente de determinar que Sócrates não beneficiou de favores, e excepções, face àquilo que são as obrigações legais de um aluno do ensino superior português, seja na admissão, seja nas equivalências, seja nos exames (avulta o de Inglês Técnico...), seja na emissão de certificados - ou até o caso do seu projecto final, que se alega ter sido realizado, mas de que invulgarmente não terá ficado cópia na Universidade. Houve alguns destes casos em que a responsabilidade era da Universidade e outros casos em que a responsabilidade também era sua; e nuns e noutros Sócrates beneficiou para lá do limiar do que as regras estipulam. 



Veja-se ainda o que diz o meu amigo José, na Porta da Loja, sobre esta notícia do Sol, de 1-7-2011. O José recomenda que estas novas revelações do Prof. Eurico Calado, em audiência, e que pelo jornal se tornou pública e notória, deveriam fazer «reabrir o processo de averiguação da falsificação de documento ou abrir um novo inquérito para tal». Talvez o próximo procurador-geral o determine.

Abonando sempre a depauperada verdade, noto (Cf. pp. 90-91 de «O Dossiê Sócrates») que o professor Eurico Calado falou ao Público, conforme a reportagem da edição de 22-3-2007, explicando dois factos: que a cadeira de Inglês Técnico era sua; e que desconhecia a alegada «Comissão Científica da Faculdade de Ciências e Tecnologia», faculdade que dirigia na Universidade Independente, comissão que tinha proporcionado aquelas (in)equivalências (ver «O Dossiê Sócrates», pp. 103 e ss.) ao candidato José Sócrates, pelo alegado professor do ISEL e da UnI (e amigo dos tempos da Covilhã...) e colega de Governo António José Morais (ver p. 311 do «Dossiê»). O professor Eurico Calado foi, aliás, maltratado pelo deputado José Lello, como «o Calado de Alcantarilha», numa intervenção televisiva, nessa altura, por ter dado com a língua em dentes que eram intocáveis neste caso - como foram noutros.

O problema não foi este Calado, mas outros que tiveram a responsabilidade de julgar e de agir, livrando, em tempo, como era seu dever, o País do ambiente fétido que arruinou o Estado, as empresas e as famílias. Custa-nos esquecer porque sofremos muito, mas não somos vingativos e queremos a responsabilização política e judicial por causa da contingência pedagógica que impõem. O tempo não curou todas as nossas feridas, como não esqueceu ao sistema quem foram, nestes anos podres, realmente os adversários no teatro das suas operações, os quais sujeitou à ameaça, à vigilância, à perseguição, ao custo, à punição e, por cúmulo, à roda da minha sorte de 9 de Junho de 2011.

Na história recente, escrita no pastel dos aderentes da undécima hora, antes do tempo vir consolidar a patine dos factos sobre o pó da opinião dos dias, bota-se que aquilo que derrubou o socratismo foi o debate de 20-5-2011 - em que, aliás, modestamente também tentei ajudar com o anúncio de fornecimento do meu livro. Enquanto cada um dos oportunos aderentes faz agora o relato de envolvimento em batalhas contra a ditadura socratina onde jamais os vimos, fiéis que foram e são à máxima, identificada por um professor meu, do «deixa-lá-ver-para-que-lado-é-que-isto-cai-para-ver-de-que-lado-é-que-eu-sempre-estive», omite-se, por interesse, a erosão do sistema fustigado pelo combate de seis anos e meio de guerrilha arriscada e atrito feroz em que, por aqui e por aí, em todos os recontros que pudemos organizar ou neles participar - ou em que fomos emboscados -, esgrimimos com as novas armas mediáticas, com poucos bastantes companheiros patriotas, a ferver sobre um inferno de promiscuidade e pavor. Nada mais importa, como recordava o padre Vieira: «o maior prémio das acções heróicas é fazê-las».


Actualização: este poste foi actualizado às 11:03 de 3-7-2011.


Limitação de responsabilidade (disclaimer): José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa,e outras entidades mencionadas neste poste, não são suspeitos ou arguidos do cometimento de qualquer ilegalidade ou irregularidadde no âmbito do seu percurso académico do ex-primeiro-ministro.

23 comentários:

floribundus disse...

como sempre acontece
uns recebem favores
outros borram-se de medo

a procissão ainda não saiu

Ljer disse...

nessa ocasiao, no inicio da suspeita do certeficado de habilitaçoes martelado de Socrates, ouvi dizer da boca do Presidente da Republica, Sr Cavaco Silva no cnema em Santarem, que os portugueses estavam a ser muito menesquinhos com tal disconfiança. è a malta que temos para governar isto. Nao há nada a fazer

Carlos Maduro disse...

Não quero entrar em muitos pormenores para não personalizar o caso do forró que vai no nosso ensino. Mas dá para rir que uma tese de doutoramento, que levou doze anos a construir, defendida em Janeiro, mas ainda pertencente ao tempo daqueles que não sendo filhos de Bolonha, são filhos de outra coisa qualquer, ainda não esteja reconhecida pelo ministério, pois entretanto o dito doutoramento, à moda de Bolonha, mudou de nome. Mas como o candidato não aceita pertencer aos filhos de Bolonha, por este andar, arrisca-se a ficar sem bonificação na carreira e a tese a ser publicada proximamente pelos aspectos inovadores que traz para o estado da arte.
Uns são filhos das Bolonhas, outros das Independentes, espera-se que o novo ministro, a fazer fé nas ideias que comunica, produza factos palpáveis.

Carlos Pires disse...

Os professores parisienses de Filosofia que se cuidem!

Mani Pulite disse...

A VERDADE ACABA SEMPRE POR VIR AO DE CIMA COMO O AZEITE.A VERDADE INTERDITA PELA TIRANIA SÓCRETINA TORNOU-SE AGORA DEPOIS DA QUEDA DO TIRANO A VERDADE TAMBÉM OFICIAL.SÓCRATES NÃO É ENGENHEIRO,NÃO É LICENCIADO,TUDO FOI FORJADO E FALSIFICADO PARA FAVORECER UM POLÍTICO BURLÃO, AUTORITÁRIO E AMBICIOSO.CAPAZ DE TUDO, MAS MESMO TUDO, PARA ATINGIR O SEU OBJECTIVO DE SUBJUGAR PORTUGAL E OS PORTUGUESES.NESTA TAREFA FOI AJUDADO POR NUMEROSOS CÚMPLICES ACTIVOS E PASSIVOS.OS ACTIVOS NÃO PODEM FICAR IMPUNES E DEVEM SER IMPERATIVAMENTE RESPONSABILIZADOS CRIMINALMENTE.NÃO SE PODE PEDIR SACRIFÍCIOS AOS PORTUGUESES SE NÃO FOREM JULGADOS OS RESPONSÁVEIS PELO DESCALABRO A QUE PORTUGAL FOI LEVADO.QUANTO AOS PASSIVOS O SEU SILÊNCIO CÚMPLICE COBRE-OS DE VERGONHA PARA TODO O SEMPRE E OS PORTUGUESES NÃO DEIXARÃO DE LHES APONTAR O DEDO SEMPRE QUE TENTAREM REAPARECER MASCARADOS DE RESISTENTES AO SÓCRETINISMO.SHAME ON YOU GAGO!SHAME ON YOU CÂNDIDA!SHAME ON YOU MONTEIRO! DESAPAREÇAM DA CENA PÚBLICA E ACADÉMICA PORTUGUESA.OS VERDADEIROS RESISTENTES NÃO ESQUECEM NEM PERDOAM,SÃO A MEMÓRIA VIVA DE TODA A PODRIDÃO E PERSEGUIÇÕES DOS ANOS NEGROS DE PORTUGAL DEBAIXO DA TIRANIA SOCIALISTA,E EXIGEM O APURAMENTO DE TODA A VERDADE E SUA DIVULGAÇÃO PÚBLICA E A REPARAÇÃO DE TODAS AS INJUSTIÇAS COMETIDAS PELOS ZELOSOS SERVENTUÁRIOS DA TIRANIA SOB O COMANDO DO FALSO ENGENHEIRO SÓCRATES.

lawrence disse...

Como cidadão deste rectângulo, andei 6 anos a ser gozado por meia dúzia de chico-espertos que do alto dos seus títulos, para mim duvidosos olhando à personalidade, disseram e fizeram o que lhes deu na gana apenas olhando ao seu umbigo e carteira.
Enquanto houver possibilidade de falar e escrever, serei um dos que não se esquecerão e que, ao contrário de Passos Coelho, sempre que necessário, lhes espetarei no focinho com o mal que fizeram a este País!
Errar será humano, mas roubar é crime!
E para crime, deve haver castigo!

Anónimo disse...

Quem nos quer roubar o subsídio de natal, deve haver castigo.
Por exemplo: o fogo dos infernos!

Anónimo disse...

O Expresso fazs referência à interessante história da não ida do Bairrão para o Governo. Parece que a Dra Manuela Guedes teve preciosa interferência no caso. Será verdade?
O Dr ABC, sempre muito rápido a trazer para aqui "broncas" e "bronquinhas" do governo Sócrates está agora muito calado relativamente a assuntos e mentiras do actual Governo.
Por que será?

Rui disse...

Caro Professor António Bslbino Caldeira,
em primeiro lugar gostaria de dizer que admiro a sua perseverança e o seu trabalho a favor da transparência aqui na blogosfera face a toda as pressões a que tem sido sujeito. Contudo os seus posts dão um pouco a impressão que apoia acriticamente este novo governo. Sinceramenente se me permite a sugestão, gostaria muito de o ver fazer uma investigação semelhante ao currículo de Passos Coelho, que me parece também bastante duvidoso e caso exista disponibilidade também ao dos secretarios de estado. Quanto mais não seja para confirmar que tudo é verídico e assim dar um pouco mais de confiança a este novo primeiro ministro. É que sinceramente terminar a licenciatura aos 38 anos e tornar-se "administrador de empresas" parece-me extremamente "duvidoso", pois conheço muitas pessoas,óptimos alunos em faculdade de gestão de referência, que terminaram licenciaturas bastante mais cedo e aos 38 anos ainda estavam muito longe de se tornarem administradores de empresas. Sinceramente gostaria de ver mais informação sobre o primeiro ministro quanto mais não seja como forma de o credibilizar, e penso que a transparencia é a melhor forma de o fazer.

Cumprimentos,
Rui

Anónimo disse...

É pá, a notícia a letras garrafais da primeira página do Correio da Manhã de hoje deixa-me estupefacto.
Então o Sócrates ganhou 600 mil euros?
Onde foi o homem buscar o dinheiro?
É a primeira e grande interrogação. Desde logo muitas dúvidas.
Leia-se a notícia no interior em letras pequeninas e chega-se de imediato à conclusão que esses 600 mil foram ganhos durante SEIS anos.
Ó Dr ABC isto também é demais. Não acha?
O Passos pode aumentar os impostos, cortar nos salários, "roubar" a totalidade ou parte do 13º mês e/ou do subsídio de férias, etc, que a nossa comunicação social e os senhores que botam faladura nas televisões tudo fazem para apoiar essas "roubalheiras". Nunca vi nada assim!
E o Dr ABC? Viu...

lawrence disse...

Assim como andámos 6 anos a engolir em seco pedindo às alminhas para que o sócrates estivesse no caminho certo, agora terão que ser os sócretinos a dar 6 anos de folga aos coelhinos!
Coelhones não, que paga direitos!
E se são Portugueses, peçam connosco para que tudo dê certo!
Se são só socialistas, aí a coisa agudiza-se, porque é muito tempo sem jobs!
E com o crédito tão difícil de conseguir, tempos muito difíceis se aproximam!

Anónimo disse...

http://www.abola.pt/mundos/ver.aspx?id=273049

José Sócrates ganhou como primeiro-ministro, em seis anos, mais de 600 mil euros. A nova lei do controlo da riqueza dos titulares de cargos políticos obriga a declarar as contas à ordem com saldo superior a 50 salários mínimos, correspondente ao valor actuar de 24.250 euros.

Mas Sócrates, apesar daqueles rendimentos, não tem poupanças nem contas bancárias à ordem com um saldo superior a 24.250 euros. É o que consta da sua declaração de rendimentos de cessação de funções de primeiro-ministro, que entregou no Tribunal Constitucional no dia 20 de Junho, véspera da tomada de posse do novo Executivo.

Anónimo disse...

Compreendemos a solidão e o azedume de muitos. Agora, sem o apoio da Comunicação Social, que tem que fazer fretes ao novo poder, os ditos "socialistas" navegam solitários e sem solidariedade. É a vida!

Habituem-se.

Quanto a todos os outros "não-socialistas", preparem-se para duas únicas alternativas: 1) a vidinha, como dizia Alexandre O'Neil; 2) ou a emigração.

As negociatas entre os detentores do Centrão vão manter quase tudo na mesma. apenas, mudarão algumas moscas.

Vemos que o Espirito Santo veio aplaudir o imposto especial sobre o 13º mês. Ou seja, o Padrinho Ricardo vai agora defender PPC como defendeu o falso engenheiro.

Para quem anda pelas auto-estradas ou pelos centros comerciais, não há crise. A velocodade média dos BMW's, Audi e Mercerdes, produzidos pelos credores de Portugal, diz tudo sobre a não-crise. Os restaurantes continuam cheios e foram mais de 100 mil portugueses para o algarve, neste ultimo fim de semana.

Na Ásia, trabalha-se. Por aqui, há o nepotismo, a corrupção e a preguiça.

O martelo vai ser ainda mais doloroso.

Amanhã sai o livro do Padrasto Soares, a dizer mal dos alemães e de Cavaco. Nada de novo. Soares volta a ter medo de ter que se exilar, ou então de ser vilipendiado aqui, como Gorbatchev é odiado na sua Rússia materna.

Os tempos são bons para quem gosta de desafios.

Anónimo disse...

Este é que é o verdadeiro problema de Portugal:

http://economico.sapo.pt/noticias/situacao-em-portugal-e-quase-pior-do-que-na-grecia_121925.html

Numa entrevista, Roubini explica que a flagrante falta de competitividade de Portugal torna a resolução da crise orçamental muito complicada, concluindo por isso que, apesar do maior descontrolo das contas públicas na Grécia, a gravidade da situação nos dois países é praticamente idêntica.

O economista avançou ainda que a crise está longe de terminar e que até o mercado accionista tem ainda um longo sofrimento pela frente.

Mani Pulite disse...

GANHEI OFICIALMENTE 600000,GASTEI MAIS DE 600000,OFICIALMENTE NÃO POUPEI E AGORA ESTOU EM DESEMPREGO DE LONGA DURAÇÃO.NÃO SOU ENGENHEIRO NEM LICENCIADO E VOU ESTUDAR PARA PARIS PARA SER FILUSUFO.COMO VOU SOBREVIVER TODOS OS PRÓXIMOS ANOS SEM GANHAR UM TUSTO E DEPOIS SER MAIS UM JOVEM LICENCIADO INSCRITO NO IEFP?JÁ SEI.VOU SER O NOVO BOCAGE QUE COMO TODOS SABEM PELO PRÓPRIO COMEU,BEBEU E FODEU SEM TER DINHEIRO...

Anónimo disse...

E isto ("Primeiro-ministro terá sido sensível a pressões no caso Bernardo Bairrão" - in http://sicnoticias.sapo.pt/pais/article690695.ece) não nos deve deixar incomodado?

Lawrence disse...

A mim o que mais me incomoda são as centenas de milhar sem emprego e os que querem comer e não tem!
E saber que mais ainda irão ficar sem emprego até o "barco" começar a endireitar!
E que quando o "barco" endireitar, depois de muito sangue, suor e lágrimas o povinho vai-se esquecer de quem quase o afundou e volta a pô-los lá outra vez!
Isso é que me incomoda!
Muito mais que o Bairrão e todos os que sacam milhares e milhares todos os meses!

Mani Pulite disse...

UMA CALOROSA SAUDAÇÃO DEMOCRÁTICA E PATRIÓTICA À GRANDE RESISTENTE ANTI-SÓCRETINA MANUELA MOURA GUEDES SISTEMÁTICAMENTE PERSEGUIDA PELO INJINHEIRO DA TRETA E RESPECTIVOS ESBIRROS.VIVA A LIBERDADE!

Anónimo disse...

Isto só significa que Portugal já não é Independente, e que vai estar como os que não têm dinheiro e só têm dívidas, de cócoras:

http://globalpublicsquare.blogs.cnn.com/2011/07/01/greece-and-portugal-are-sitting-on-tons-of-gold/

Greece and Portugal are sitting on tons of gold


The first thing any insolvent private person is forced to do is relinquish the family silver. But other rules seem to apply to governments. Whether they’ve been living above their means for a few years or for decades, certain countries hold on tight to their assets, declare themselves unable to pay back their debts and turn to other countries for help.

The European Union (EU) has seen many an example of this. Right now, Greece is negotiating with the EU-European Central Bank-International Monetary Fund troika for a new rescue package — all the while Athens sits on an impressive four-million-ounce (125 U.S. tons) stash of gold, about what four large, fully-loaded trucks could carry.

The gleaming bars in the vaults of the Greek National Bank are worth 4 billion euros. If Athens were to sell that gold, the Greek state would theoretically be able to meet at least part of the debt payments due soon without any outside help.
Another country in crisis, Portugal, also holds significant amounts of precious metal dating back to the days of António de Oliveira Salazar’s regime. Instead of aid, Lisbon could have converted its 13 billion euro's worth of gold into cash.

Nick Moore, chief commodities strategist at the Royal Bank of Scotland (RBS) in London, reports that a question often asked by bank clients is why these governments don’t sell some of their gold. It is after all recognized worldwide as an asset that can be sold even in tough economic times. The gold in the central banks of Eurozone members together is worth some 375 billion euros.

With that, 4.5% of Euroland’s 8.3 trillion euros public debt could be paid off in one fell swoop. In relation to its debt, Portugal is particularly gold-rich. Lisbon could put 383 tons of it on the market and at present rates make 13.3 billion euros.

The issue is particularly volatile because the Portuguese just squeezed an 80-billion-euro aid package out of the EU. The reason given for the aid request was that the country wouldn't get fair conditions from capital markets, but needed money to pay back outstanding loans. With the money they would have gotten from selling gold, they would have been able to pay back a large part of an older debt they've been carrying which is due this year.

By comparison with the rest of Europe, Lisbon is hoarding disproportionately large quantities of gold. No other country has that much precious metal in their foreign exchange reserves. During the Euro's early years, the National Bank wasn’t shy about selling, reducing its gold reserves from 20 to 12 million ounces and raising liquidities of about 2.8 billion euros.

But Portugal stopped selling in 2007 and so did Greece. At the start of the new millennium, Greeks sold substantial amounts of metal, but when the crisis hit, they left supplies untouched and asked Europeans for help.

Mani Pulite disse...

INJINHEIRO DA TRETA VESGO AGORA ESTÁS BEM IDENTIFICADO PELA K-7.COMO ÉS UM ZÉ NINGUÉM SEM NADA NEM LICENCIATURA, JÁ NÃO TENS PODER NENHUM NEM NINGUÉM PARA BOLSAR POR TI ÉS TU PRÓPRIO QUE TENS DE VIR ESCREVER AS TUAS INANIDADES-VAI VER NO DICIONÁRIO O QUE É-NO BLOGUE DO PORTUGAL PROFUNDO,FEITO POR UM HONESTO PATRIOTA PROFESSOR QUE NÃO SE CHAMA MORAIS MAS SIM ANTÓNIO BALBINO CALDEIRA QUE TEM TODOS OS DIPLOMAS QUE TU,POBRE LIXO,NÃO TENS.

Anónimo disse...

Os Abrantes continuam a defecar na net.Agora são pagos com o saque do BPN e CGD.
A torrente de dinheiro para o black hole chamado TGV serve às maravilhas como saco azul.
A entrega de Cabora Bassa deu direito a conta especial na Suiça.

Anónimo disse...

Os Sócretinos agora vêm para aqui, para este Blogue, descarregar a sua enorme Azia pela estrondosa Derrota que tiveram em 5 de Junho passado. Tomem umas pastilhas "Rennies" para a Azia, seus Paspalhos!!!

Isabel disse...

Por mais camuflagem que se coloque sobre o percurso académico da nefanda criatura, é simples e claro como água ver que não é Engenheiro: não está inscrito na Ordem dos Engenheiros (nem poderia estar). Quanto ao turbo-professor, diz quem o conhece que, há meia dúzia de anos, se interrogava sobre o significado de "stainless" em "stainless steel".E que levava a faca à boca em hotéis e restaurantes. Labregagem do pior. Vão e não voltem nunca!Habituem-se!