sexta-feira, 10 de junho de 2011

A prevalência do valor da liberdade

O Prof. Paulo Guinote foi notificado e será ouvido como denunciado, na segunda-feira, dia 13 de Junho de 2011. Não se sabe ainda o motivo, mas pode contar comigo como testemunha em qualquer inquérito por pretenso delito de opinião e com o meu apoio para o que for útil.

Não considero que as queixas contra a liberdade de expressão sejam um processo adequado e eficaz de defesa face a alegadas ofensas, mas a resposta nos media. É também quando somos atingidos pelo excesso, que a liberdade tem de ser entendida como valor supremo. Isso vale para este caso, ou para as declarações provocatórias, de Ana Gomes sobre Paulo Portas, em 7-6-2011. Ou para o editorial de Miguel Pinheiro na revista Sábado, sobre o Presidente da República, em 27-1-2011, cuja queixa foi aberta pelo procurador-geral Pinto Monteiro.   Por muito insultuosa que seja a comparação de Cavaco Silva com Fátima Felgueiras e Isaltino Morais - e é -, a ofensa reverte sempre contra quem a faz. O Prof. Cavaco Silva devia ter evitado a armadilha deste processo do PGR e do DIAP de Maria José Morgado. Não é que o préstimo do procurador, condicione o Presidente sobre o decisão que importa tomar, mas é a sua imagem que é afectada desnecessariamente.


* Imagem picada daqui.

7 comentários:

Mani Pulite disse...

SÓCRATES FOI VAIADO E FOGE PREVENTIVAMENTE PARA PARIS E DEPOIS SABE-SE LÁ PARA ONDE.VAI VIVER DOS RENDIMENTOS.ENTRETANTO A MÁQUINA DO TENEBROSO PINTO CONTINUA A SUA SINISTRA MISSÃO DE TENTAR DEMONSTRAR QUE PODE INTIMIDAR OS CIDADÃOS LIVRES DESTE PAÍS.OS POLITÍCOS DA EX-OPOSIÇÃO NÃO SOCIALISTA DEVEM RESPONDER PELA PALAVRA E PELO DESPREZO AOS ATAQUES DIFAMATÓRIOS DE QUE SEJAM ALVO E NÃO CAÍREM NA ARMADILHA DO RECURSO À JUSTIÇA MONTADA.DEVEM SIM DEMITIR DE IMEDIATO O PRINCIPAL RESPONSÁVEL POR TODAS AS PERVERSÕES DA JUSTIÇA DURANTE A DITADURA SÓCRETINA E ACELERAREM DESDE A SUA TOMADA DE POSSE O PROCESSO DE LIMPEZA GERAL DO ESTADO E ANEXOS.O CASO GUINOTE É ÓBVIAMENTE UMA INTOLERÁVEL PROVOCAÇÃO QUE NÃO FICARÁ SEM RESPOSTA.VIVA A LIBERDADE!

António Duarte disse...

Pois, pois. O presidente deu luz verde para processar o jornalista que o incomodou, e a culpa é do procurador.

Cavaco é um santo homem, não quer mal a ninguém, fala com clareza, não gere silêncios nem alimenta tabus.

Só ainda não explicou como é que comprou a casita...

Anónimo disse...

Quem despoletou o processo não foi o PR.
Foi o Pinto com a clara intenção de barrar à partida qualquer intenção dos cidadãos de levantarem publicamente suspeitas sobre os delinquentes do governo que destruiu Portugal.
Este clima de intimidação serve às maravilhas como dissuasor.

Alguém fugiu do país temendo que a mudança de Pintos possa tornar mais longo o braço da Justiça.
Se o novo governo não encetar as esperadas auditorias e não criar nova legislação sobre corrupção,dará sinais de defender o mesmo status quo de podridão moral.
A consequência será em breve termos o partido da sucata,com outro charlatão ao leme,a comprometer o futuro de novas gerações e a sugar os recursos do país para offshores.

gataescondida disse...

LOL

A. Pinto Pais disse...

António Duarte,
Quem ainda não explicou como é que comprou as "casitas" (duas, uma para ele e outra para a mãe, na zona mais cara de Lisboa...) foi, não o Prof. Cavaco Silva, mas o falso engenheiro de quem, pelos vistos, V. é admirador.

António Duarte disse...

Pinto Pais, está redondamente enganado. "Desadmiro" por igual, tanto o presidente como o chefe dos socratinos. Um tem melhores habilitações académicas, o outro fala melhor em público, sabendo articular as palavras e usar um teleponto. Digamos que evita fazer figuras tristes. Mas são ambos políticos do centrão, duas faces da mesma moeda, a má política que há décadas nos desgoverna.

E continuo a dizer, investigue-se a compra das casitas. A do Cavaco e a do outro também...

simon disse...

Muito bem,
Não aprovo o que tu dizes, mas defenderei até à morte o teu direito a dizê-lo.
Viva Voltaire, que ninguém o passa até hoje, nem o presidente e nem esse pgr, of course.