sexta-feira, 17 de junho de 2011

A esperança patriótica no Governo Passos Coelho


Um primeiro comentário sobre o Governo Passos Coelho, conhecido há poucas horas, deste 17-6-2011. Primeiro sobre o Governo e depois sobre os ministros.

Pelo elenco de ministros já publicado, percebe-se claramente que o Governo Passos Coelho é uma opção de juventude, vigor e coragem. Um Governo mais pequeno, de valor, com vários independentes e que, apesar de coligação PSD-CDS, não é uma manta de retalhos de facções partidárias internas. Uma nova geração de ministros - e daí o sacrifício de Catroga, Bagão Félix e outros - para um desafio de subsistência do Estado, todavia com experiência de relevo. Esperamos que o elenco dos demais secretários de Estado tenha o mesmo valor e combatividade.

Tal como disse o presidente norte-americano Franklin Delano Roosevelt no seu discurso inaugural, em 4 de Março de 1933,
«So, first of all, let me assert my firm belief that the only thing we have to fear is fear itself - nameless, unreasoning, unjustified terror which paralyzes needed efforts to convert retreat into advance.» (Realce meu)
a única coisa que o novo Governo deve recear é o próprio medo, pois há que converter o recuo em avanço. Se o Governo tiver a obstinação de que o Estado carece, previrá o superavit do Estado, desejavelmente já no orçamento de 2012, os mercados financeiros acreditarão no País, os juros descerão para níveis normais e a bancarrota será evitada; se o Governo sucumbir ao medo, a bancarrota será o destino do País daqui a três anos e com ela a saída do euro, a falência de bancos e empresas e a insolvência das famílias. Não há, portanto, tolerância com o medo. Não haverá recuperação da soberania sem equilíbrio orçamental.

Relativamente à composição do Governo, entendo o seguinte:
  1. Ministro dos Negócios Estrangeiros - Paulo Portas fica ocupado operacionalmente com a gestão da Secretaria-de-Estado do Largo do Rilvas e externamente com o palco dos meetings internacionais e os sound bites dos media. As más experiências nos Governos Barroso e Santana são um peso que deve aliviar com um desempenho escrupuloso.
  2. Ministro da Administração Interna - Miguel Macedo
    Miguel Macedo é uma aposta segura. Com experiência política adequada a lidar com os activos sindicatos, dele espera-se o reconfiguração do dispositivo policial face às ameaças internas e o restituição do poder do Estado e da tranquilidade públicas nos bairros e concelhos problemáticos.
  3. Ministro da Justiça - Paula Teixeira da Cruz
    A expectativa, que determinadas posições criaram, não elimina a dúvida metódica. Preferia Paulo Rangel. A resolução do problema das cúpulas judiciais deve ser imediata. Não se lhe concede outra atitude senão a remoção do sistema socialista e a colaboração com a força moral da magistratura portuguesa na limpeza do Estado. Por aqui, permanecemos vigilantes.
  4. Ministro da Defesa - José Pedro Aguiar Branco
    Aguiar Branco é uma escolha segura e o seu sentido de Estado deverá ser bem aceite pelos militares.
  5. Ministro das Finanças - Vítor Gaspar
    O currículo científico e a experiência nas finanças nacionais e internacionais e na Comissão Europeia, bem como a sua juventude, são uma oportunidade de rigor e responsabilidade na condução firme das contas do Estado, sujeitas ao escrutínio permanente do Banco Central Europeu, onde também trabalhou, e no FMI. 
  6. Ministro da Economia - Álvaro Santos Pereira
    O desassombrado professor universitário, sem artrose nos dedos nem papas na língua, nosso vizinho do blogue Desmitos, é uma excepcional boa surpresa. Cabe-lhe o encargo da economia, das obras públicas e do emprego: a decisão de juntar as duas pastas faz todo o sentido. A economia não é o ministério das empresas públicas: é principalmente o ministério de criação de condições de desenvolvimento do sector privado, até agora vítima do desvio de dinheiro para obras socraónicas nas estradas e parque escolar, cuja contribuição para a recuperação económica é marginal.
  7. Ministro da Saúde - Paulo Macedo
    O famoso ex-director-geral das Contribuições e Impostos de Manuela Ferreira Leite, que informatizou  e optimizou a recolha fiscal, é uma muito boa opção para pôr ordem no serviço nacional de saúde - novamente pelos sistemas de informação de gestão e pela organização administrativa - e controlo no desperdício do Estado.
  8. Ministro da Agricultura e Ambiente - Assunção Cristas
    A democrata-cristã Assunção Cristas é uma jurista inteligente, com bom senso e firmeza. Espero que consiga pôr essa capacidade ao discernimento das opções de subvenção e investimento público.
  9. Ministro dos Assuntos Sociais - Pedro Mota Soares
    Mota Soares foi um deputado sério, trabalhador e justo, que certamente porá essa aplicação ao serviço da contenção de despesas num ministério devotado ao desperdício e à subvenção da preguiça. Sugestões: eliminação do rendimento social de (des)inserção, que deve ser concedido apenas a pessoas em baixa clínica, devendo quem tenha saúde ser inserido em programas municipais de trabalho comunitário, auferindo rendimento mensal em função dos dias que efectivamente trabalharem; e redução do subsídio de desemprego a seis meses de duração para reintegrar os desocupados no trabalho.
  10. Ministro da Educação - Nuno Crato
    O nome que eu desejava para reimplantar a cultura de rigor e excelência na educação. O respeito pela missão comunitária dos professores, a reconcentração das escolas no ensino-aprendizagem, a reparação da pedagogia diletante e a racionalização da didáctica diletante.
  11. Ministro dos Assuntos Parlamentares - Miguel Relvas
    Miguel Relvas é um político muito experiente. Essa experiência poderá ser muito útil numa grande pasta ministerial que além do jogo parlamentar, da delicadeza do Desporto e da Juventude, pode conseguir na fusão de concelhos e extinção de pequenas freguesias, como fez na reforma das áreas metropolitanas e comunidades urbanas.
  12. Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros - Luís Marques Guedes
    Marques Guedes tem longa experiência política e de coordenação administrativa, o que facilitirá a tramitação do Estado.
  13. Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro - Carlos Moedas
    Carlos Moedas é o académico empenhado e convicto que assessorou Passos Coelho, tarefa que certamente continuará a desempenhar com a mesma tenacidade e fidelidade.
  14. Secretário de Estado da Cultura - Francisco José Viegas
    O secretário de Estado da Cultura é o nosso companheiro de seis anos e meio de combate ao socratismo, com larguíssimo conhecimento, e prática, do mundo da cultura e das artes.

Por aqui, na Via Justa e noutros fora, o Governo terá o apoio patriótico que as suas acções merecerem, sempre de acordo com o objectivo de construção da IV República. Apoiaremos o que for justo, mesmo que constitua sacrifício, e não deixaremos de criticar o que for errado e de denunciar qualquer promiscuidade com o sistema socialista. E não se iludam: o Governo, para lá dos cristãos novos que nesta altura emergem, precisa muito do apoio dos combatentes de sempre.


Actualização: este poste foi emendado às 8:18 de 18-6-2011.


* Imagem picada
daqui.


Nota: este poste também foi publicado na Via Justa.

26 comentários:

Karocha disse...

Caro Prof ABC

Ontem, se não tivesse visto não acreditava.
O PM Britãnico em vez de dar os parabéns ao PM Português, deu ao Drº Paulo Portas!
E porque é que desde Outubro do ano passado, não existe Embaixador do UK em Portugal e, a Embaixadora só vai apresentar credencias em Julho???

Ana Mendes da Silva disse...

Nuno Crato na Educação é melhor notícia para a Educação em Portugal nos últimos anos. Os que não são professores, tenham presente que o Mário Nogueira (que já afirmou ter ficado muito pouco descansado), depois de ter assinado o memorando e o acordo com as ministras de Sócrates, representa-se mais a si e ao seu partido do que aos professores portugueses.

Desejo as maiores felicidades a este governo, o nosso futuro, neste momento, depende deles.

O Exactor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Este governo nao dura mais de 2 anos...

Mani Pulite disse...

DERROTADA A TIRANIA SURGE FINALMENTE UMA LUZ AO FUNDO DO TÚNEL.TEMOS UM GOVERNO JOVEM,COMPETENTE E HONESTO, O GOVERNO QUE ESPERAMOS TIRE PORTUGAL DA TRÁGICA TRAGÉDIA A QUE SÓCRATES E OS SOCIALISTAS O CONDUZIRAM.TEMOS CONFIANÇA EM TODOS OS MINISTROS E EM ESPECIAL UMA PALAVRA DE LOUVOR PARA O PRIMEIRO DE ENTRE ELES QUE TÃO BEM NOS CONDUZIU À VITÓRIA.QUEM DURANTE MUITOS ANOS RESISTIU À TIRANIA SOCIALISTA NÃO PODE DEIXAR DE ESTAR CONVOSCO NESTE MOMENTO.

Anónimo disse...

Só acho que os socialistas ficam impunes, sempre ficam impunes, sempre estragam o que os outros partidos constroem no governo, nas autarquias, destroem, arruinam e apenas são derrotados por eleições com os bolsos cheios.

Anónimo disse...

E os AÇORES vão continuar com os privilégios de salários públicos? pra eles não vai haver sacrificios?

Anónimo disse...

E a AUDITORIA que PASSOS prometeu?

Anónimo disse...

E os boys incompetentes continuam a encher os bolsos?

Ljer disse...

Eu nao confio nadinha com toda a escolha da equipe governamental pq a minha memoria não é assim tao curta e se eu bem me lembro o sr Miguel Relvas faz parte de um lote antigo de trafulhas da politica que recebiam indevidamente ajudas de custo. No caso deste sr recebia todos os dias até ser apanhado, no percurso entre uma casa sem telhado sito em Tomar até á Assembleia da Republica. No arquivo do jornal Correio do Ribatejo ou no jornal o Ribatejo consta a noticia.

Anónimo disse...

Um governo com muitos liberais e radicais, quer nos costumes, quer na economia.

José António Salcedo disse...

Um governo que abre uma janela de esperança pela sua qualificação, determinação e ética, colocadas ao serviço do país, num momento crítico em que o interesse de todos se tem de sobrepor ao interesse de alguns. Fiquei muito satisfeito e desejo os melhores sucessos ao governo, de que bem precisa o país.

Caboclo disse...

Como eu acho que não basta dar os parabéns..é preciso colaborar... eu vou deixar uma dica ao novo governo relacionada com a tributação.
Existe uma prática perniciosa de cobrança do iva à cabeça sobre produtos importados de fora da UE.
É uma imoralidade cobrar o iva sobre produtos ainda não vendidos.Desmotiva esse negócio .
O grande segredo de um grande governo é ser capaz de motivar os negócios do seu povo.Será tão maior quantop mais motivador.

E tem mais ...o fisco cobra o iva à cabeça sobre os produtos importados de fora da UE ..o que agrava qualquer pretensão de o comercializar em outros países da UE já que nas transações intercomunitarias não se cobra iva.
Por isso fica logo uma margem superior a 20% a prejudicar um tal negócio. É que a devolução de iva demoras meses ..o que tb é totalmente imoral .
Acima de tudo ..se foge da motivação e se corre para a desmotivação ..ah ..não vale a pena ..e etc e tal ..e assim se vai empobrecendo..empobrecendo..

Afinal de contas cobrar o iva à cabeça sobre importações de fora da UE é não confiar no cidadão.É tratá-lo como um vilão ..um simples ladrão.

Anónimo disse...

UMA TRAMPA DE GOVERNO. MAIS DO MESMO - E ESTE BALBINO É UM COLABORACIONISTA A ABATER:::

Mani Pulite disse...

ESTE ANÓNIMO QUE QUER ABATER O ANTÓNIO DEVE SER O RIBEIRINHO DE ABRANTES E/OU O VESGO FERRUGENTO PEDRADO AGORA JÁ NA CLANDESTINIDADE.

pvnam disse...

---> Mais-ou-menos à Direita ou mais-ou-menos à Esquerda não é o mais importante!!!...
---> O mais importante é o DIREITO À SOBREVIVÊNCIA e o DIREITO À LIBERDADE DE EXPRESSÃO!



-> Os não-nativos JÁ NATURALIZADOS estão com uma demografia imparável em relação aos nativos...
-> Só os nacionalistas parvinhos-à-Sérvia é que não vêem o óbvio: com o desmoronamento da base sociológica que esteve na sua base... uma Identidade está condenada ao CAIXOTE DO LIXO da História!
-> Uma obs: como alguém disse: "A superclasse promove assim o etnocidio das nações.E uma nação só pode ser chamada de nação se tiver uma maioria esmagadora de homogenidade racial composta pela raça raiz fundadora da nação."

Anónimo disse...

Um governo cheio de abortistas, judeus e liberais.

É este o governo que vai governar esta Terra de Santa Maria???????

Anónimo disse...

É mais do mesmo: ora agora danças tu, ora agora danço eu, ora agora danças tu, danças tu mais eu. Esperem pela fornadas de boys e girs e negócios que aí virão.

Anónimo disse...

Antes de mais, Prof. Balbino Caldeira, acredita no superavit em 2012, é no mínimo, arrojado. Confúcio parece que disse, "olha para o futruo, olhando para o passado". Superavit fiscal é coisa que não houve muito em Portugal durante os vários Séculos.

Quanto ao Governo:

1. Passos Coelho é merecedor de um crédito continuado. Calmo. Auto-confiante. Reflectido. Seguro.

2. Ainda bem que há gente liberal no Governo, a começar pelo Ministro da Economia. Saúde-se, que haja quem pense que há mais vida para além da DEPENDÊNCIA do Estado. O Prof. Santos Pereira tem trabalhado no Canadá, sem querer ficar numa Univseridadezinha portuguesa, a beneficiar dos favores da nomenklatura e da endogamia.

3. Nuno Crato, apesar de originário da extrema Esquerda, tem ideias claras sobre a imundice do Ensino em Portugal, em particular, Secundário. A vergonha do "eduquês" das Escolas Superiores de Educação, o laxismo, a balda de Abril. Bem vindo, Prof. Nuno Crato.

4. Depois, esperança pela força e tenacidade, de Paulo Macedo, Miguel Macedo e José Pedro Aguiar Branco.

A luta só vai agora começar. Portugal está "ligado à máquina", e só por mera sorte e acaso, não terá a máquina desligada definitivamente.

Finalmente, não nos esquecemos da malfeitoria de vários dos que saiem. Aliás, há muita gente no MP e nos Tribunais, que têm muito boa memória. E provas, também.

Anónimo disse...

Um amigo do socialismo que anda por escolas anti-socialistas.

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=517133

Policarpo: Papa pediu que continue mais dois anos

O cardeal patriarca de Lisboa, José Policarpo, anunciou hoje que o papa Bento XVI lhe solicitou que permaneça como bispo diocesano mais dois anos, depois de, em fevereiro, ter pedido a resignação aos 75 anos.
«Gostava de vos anunciar hoje, Dia da Igreja Diocesana, que o Santo Padre Bento XVI já respondeu ao meu pedido de resignação, pedindo-me que prolongue o meu ministério episcopal, na Igreja de Lisboa, por mais dois anos», disse José Policarpo durante a homilia da missa no Externato de Penafirme, Torres Vedras, com que assinalou a data.

Aos fiéis, o cardeal patriarca de Lisboa assegurou que será «até ao último minuto o bispo que Deus deu à sua Igreja, para a conduzir nos caminhos da comunhão».

Diário Digital / Lusa

Anónimo disse...

O maior tentáculo do polvo.

http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro_digital/news.asp?section_id=30&id_news=160754

Paulo Morais: Grupo Lena é maior fornecedor do Estado português

O Grupo Lena é o maior fornecedor do Estado português, anunciou sexta-feira à noite, no Porto, o vice-presidente da organização não governamental Transparência Internacional em Portugal (TIP), Paulo Morais.

O antigo vice-presidente da Câmara do Porto, que falava num debate sobre corrupção organizado pelo grupo cívico-político Porto Laranja, afeto ao PSD, referiu que a informação sobre o maior fornecedor do Estado foi obtida num trabalho que a TIP está a fazer para «tornar realmente pública» a informação sobre os negócios estatais.

Paulo Morais revelou que a TIP está a preparar um portal na Internet em que será possível encontrar de forma rápida e fácil a informação «aparentemente pública, mas que não é escrutinável».

Diário Digital / Lusa

Anónimo disse...

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=12&id_news=517167

PSD: Miguel Relvas terá de deixar cargo de secretário-geral

O social-democrata Miguel Relvas terá de deixar o cargo de secretário-geral do PSD quando tomar posse como ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, por imposição dos estatutos do partido.
O artigo 70.º dos estatutos do PSD, referente a incompatibilidades, estabelece, no seu número 1, que «o secretário-geral não pode acumular com o exercício de funções governativas».

Em declarações à agência Lusa, o deputado do PSD José Matos Correia confirmou que Miguel Relvas está estatutariamente obrigado a deixar o cargo de secretário-geral e manifestou estranheza por o antigo presidente do partido Marcelo Rebelo de Sousa ter revelado desconhecimento desta regra.

Anónimo disse...

Felicito o prof. ABC pelo rigor, persistência, coragem e lucidez com que combateu o regime socrático e seus tentáculos. Acho que esteve por um triz sermos submetidos a uma ditadura "socialista" por muitos anos. Esse pesadelo terminou mas à custa de uma, esta sim, pesada herança.

Anónimo disse...

Espero que uma das primeiras medidas a serem tomadas por este novo Governo seja a de propor ao PR a demissão do PGR, OBVIAMENTE !

Pedro Leite Ribeiro disse...

Pois, a IV República! Um regime imposto, nunca sufragado, oferecido aos portugueses como um acto consumado. Sempre a precisar de obras e reestruturações, deu-nos um século de traulitada, opressão e corrupção.
De qualquer modo, há que apoiar este governo porque é a nossa última hipótese. Mas, por causa disso, elogiar um regime de bananeiros, NUNCA!

Carlos Maduro disse...

Os comentários que li lembram a história do Velho, do moço e do burro. É evidente que nunca haveria unanimidade de opiniões na sua constituição. Estou à vontade para falar, pois sempre me considerei do grande grupo de S. Tomé. E, até à data, duma coisa parece haver certezas, este não é igual aos outros, chamem-lhe técnico, liberal, independente, tudo e mais alguma coisa. A verdade é que as panelinhas foram reduzidas e, assim no primeiro fogo de vista, dar unicamente 4 ministérios, repito, 4 ministérios aos amigos do partido, diria, aos seus amigos mais próximos, excluindo um, é preciso ter muita coisa no sítio e não duvido que possa ir para o Guiness, não só cá, mas até além fronteiras.