terça-feira, 25 de janeiro de 2011

O boicote do Governo socialista à eleição presidencial

O boicote governamental da votação de um número indeterminado de cidadãos na eleição presidencial de domingo, 23-1-2011, não pode ser resolvido com um pedido de desculpa do ministro, uma auditoria e a justificação de dificuldades técnicas. O impedimento de votação - uma espécie de lockout eleitoral - de cidadãos eleitores é um assunto muito sério em democracia e tem de ter consequência: demissão do ministro da Administração Interna, do secretário de Estado, dos directores do ministério envolvidos e dos dirigentes da Comissão Nacional de Eleições (CNE); e investigação judicial.

O Ministério da Administração Interna não pode reduzir o assunto aos «sistemas de SMS, o portal do eleitor e o 'call-center'» porque há uma série de decisões tomadas que conduziram a este resultado. Um resultado que já se previa, atendendo aos problemas públicos com a votação com Cartão do Cidadão nas eleições de 2009. Quais foram as decisões premeditadas pelas quais o Governo socialista deve responder?
  1. Não envio a todos os eleitores do novo número de eleitor;
  2. Não envio a todos os eleitores da nova freguesia de votação;
  3. Mudança de local e secção de voto de eleitores, na mesma freguesia
  4. Não envio a todos os eleitores da nova secção de voto na mesma freguesia;
  5. Não realização da necessária campanha nas televisões e demais media, prevenindo os eleitores do problema.

Estas decisões não foram, que se saiba, contestadas pela Comissão Nacional de Eleições e o povo não foi prevenido, em tempo, desta dificuldade. A Comissão Nacional de Eleições, se entendia - e tem a obrigação legal de verificar - que havia problemas, tinha de os denunciar publicamente para que fossem postas em acção, sob pressão dos outros partidos, as medidas correctivas e o escrutínio não fosse manchado com a alegação de fraude. O objectivo indisfarçável era um maior abstencionismo da população idosa e menos instruída que provocasse uma diminuição e desmotivação do voto preferencial no Prof. Cavaco Silva, que, todavia, consegui ser eleito á primeira volta, mesmo sob este boicote eleitoral.

Estas decisões tomadas pelo Governo socialista inseriram-se numa tremenda campanha de promoção do abstencionismo, em que os media de confiança, e a própria RTP, participaram. O resultado está à vista: o escrutínio não foi regular e a responsabilidade é do Governo socialista.

10 comentários:

Carlos Alberto disse...

Vocês conseguem imaginar se o primeiro-ministro se chamasse Pedro Santana Lopes o alarido que a esquerda Caviar e a mais básica dariam?

Era caso para o Sampaio ir defender um corrupto, ups, perdão, para dissolver o parlamento!

João Martins disse...

No último Censos , em 2001, Portugal tinha uma população, com mais de 15 anos, de cerca de 8 700 000 portugueses. Como é que nas eleições Presidenciais em 2011, entre votos, abstenção, brancos e nulos, aparecem mais de 9 700 000 eleitores? Em 2006 havia, segundo a CNE 9 080 000 inscritos. Será do IVA? Abraço

Mani Pulite disse...

SÓCRATES E O PARTIDO CHUVISTA COMO NÃO PODEM ACABAR COM AS ELEIÇÕES COMO GOSTARIAM TRATAM DE AS FALSIFICAR COMO PODEM.CADA VEZ QUE UM ABRANTES FALA DA ABSTENÇÃO PARA DIMINUIR O SIGNIFICADO DA ELEIÇÃO DE CAVACO ESTÁ DE FACTO A AUTO-DENUNCIAR ESTA ENORME FRAUDE ELEITORAL.POBRES ASNOS.CADA VEZ QUE ZURRAM REVELAM A ENORME CONSPIRAÇÃO CONTRA A DEMOCRACIA QUE PRATICARAM.O MINISTÉRIO PÚBLICO NÃO PODE FICAR PARADO PERANTE A GRAVIDADE DOS FACTOS.MAS PRIMEIRO EXIGIMOS QUE O MAIS INDIGNO"MAGISTRADO" PORTUGUUÊS SEJA CORRIDO A COICES NO TRASEIRO DO PALÁCIO PALMELA.

Manuel Rosa disse...

Gostei do conteúdo do blog.

Anónimo disse...

Que País...

Um ministro sem dimensão. Um primeiro-ministro, sem coragem e sem vergonha. E finalmente, se calhar ainda mais preocupante, uma oposição sem nível e remetida à gritaria sem sentido.

Se o ministro tivesse grandeza de formação, já era ex desde Domingo.

Se o primeiro-ministro não estivesse tolhido pelo seu passado, já teria indicado a porta ao seu colaborador.

E se a oposição de facto existisse, já teria exigido em uníssono a demissão deste incompetente ministro.

Carlos

floribundus disse...

o minusculo oriente deste ilustre 'obreiro' tem por lema
do 'olho divino' ao 'olho do cu'

seminarices

Anónimo disse...

Folha salarial (da responsabilidade da Câmara Municipal) dos
administradores e de outros figurões, da Fundação Cidade de Guimarães, criada para a Capital da Cultura 2012:

- Cristina Azevedo - Presidente do Conselho de Administração:
14.300 € (2 860 contos) mensais + Carro + Telemóvel + 500 € por reunião
- Carla Morais - Administradora Executiva
12.500 € (2 500 contos) mensais + Carro + Telemóvel + 300 € por reunião
- João B. Serra - Administrador Executivo
12.500 € mensais + Carro + Telemóvel + 300 € por reunião
- Manuel Alves Monteiro - Vogal Executivo
2.000 € mensais + 300 € por reunião

Todos os 15 componentes do Conselho Geral, de entre os quais se
destacam Jorge Sampaio, Adriano Moreira, Diogo Freitas do Amaral e Eduardo Lourenço, recebem 300 € por reunião, à excepção do Presidente (Jorge Sampaio) que recebe 500 €.

Em resumo: 1,3 milhões de Euros por ano, em salários. Como a Fundação vai manter-se em funções até finais de 2015, as despesas com pessoal deverão ser de quase 8 milhões de Euros !!!
Reparem bem: Administradores ganhando mais do que o PR e o PM !

Esta obscenidade acontece numa região, como a do Vale do Ave, onde o desemprego ronda os 15 % !!!
Alguem acredita em leis anti-corrupção feita por corruptos?

Anónimo disse...

Tudo normal.

O que vai corrigir isto tudo, é a incompetência da gentinha no poder. Eles arrasam com tudo. Nada ficará direito. O FMI virá, apesar deles se torcerem todos, só de ouvir falar nele.

Até vir o FMI, ainda vamos assistir a muitas outras coisas....estranhas!

Silvino Potencio disse...

De: Silvino Potêncio

Tal como já o dissémos em comentário anterior, fazer estatisticas e comparações pouco ou nada ajuda a mudar a mentalidade do Ti Zé Pô Vinho!!!... Temos é que
Colocar no DESEMPREGO 150 % DOS POLITICOS AO SERVIÇO DO ESTADO,e isto fará com que 50% dos desempregados voltem a arranjar trabalho!... e lógicamente deminuir os actuais 600 mil desempregados para apenas 300 mil ou sejam mais 300 mil familias para não receberem do Fundo do Desemprego e uma SUBSTANCIAL REDUÇÃO no sangramento dos cofres DO NOVO ESTADO DE CALAMIDADE PUBLICA LUZ & TANA...
Ir ós do maaaaar!....
Nà São Balentiiiiii.... moral
Alubantai o contra-cheque do FMI ETC E TAL....

Silvino Potencio disse...

De: Silvino Potencio,

Estamos em crer que alguns leitores se perguntaram porquê o exagero dos 150% DE POLITICOS AO SERVIÇO DO ESTADO?...
Na verdade nós temos 100% de Politicos registrados, com carteira assinada e os outros 50% são de Politicos que estão na bicha para entrarem na primeira oportunidade.
Como sempre dizemos; homem prevenidovale por dois... logo os 50% restantes são mesmo TODOS... Não tem nenhum que preste!!!
--- É o que eu c'acho???