segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Prisão de Sócrates: análise e novos factos




ABC (2009). Cela da Prigione Nuova. Palazzo Ducale, Venezia.


Pronto!

No histórico dia 21-11-2014, pelas 22:45, no aeroporto de Lisboa, vindo de Paris, José Sócrates foi detido a pedido do procurador Rosário Teixeira (que liderou o inquérito, com uma equipa de procuradores e peritos da Autoridade Tributária) e por decisão do juiz Carlos Alexandre, alegadamente por indícios da prática dos crimes de corrupção, branqueamento de capitais e fraude fiscal. Com ele, e no âmbito da Operação Marquês, foram detidos: o seu velho amigo e alegado testa de ferro, Carlos Manuel Santos Silva; o advogado Gonçalo Ferreira; e o seu motorista, João Perna.

Comento: primeiro, faço uma análise política; depois, refiro e relaciono alguns factos novos. Devido à abundância de fontes publicadas, reduzo os linques ao essencial.


1. A análise política
A detenção de José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa culmina uma batalha de nove anos e nove meses travada neste blogue, desde o meu poste de 22-2-2005, «Os cursos de Sócrates» (dois dias depois de ter tomado do Governo). Nesta batalha também sofri a SLAPP de um processo no habitual jogo de «assédio, intimidação e diversão», e silêncio forçado durante seis meses, enquanto durava a presidência de Portugal da União Europeia, desde o 15-6-2007 quando ironicamente fui constituído arguido por fax, por queixa apresentada pelo «cidadão José Sócrates e primeiro-ministro enquanto tal» no inquérito judicial que desencadeou contra mim (ver o meu livro «O Dossiê Sócrates», pp. 40-47)  até ao 24-1-2008, quando foi noticiado pela TVI que o processo contra mim tinha sido arquivado (e eu desapareci na direção do pôr-do-sol), não tendo o primeiro-ministro recorrido do despacho de arquivamento nem deduzido acusação particular contra mim, lá saberá ele porquê. E, na sequência disso, o meu livro «O dossiê Sócrates», de setembro de 2009, sobre o percurso académico do primeiro-ministro, que a editora Leya desistiu de publicar (veja-se o meu poste «Os amigos são para as ocasiões», de 9-3-2010). Apenas me interessou o político, a sombra da corrupção e a crueldade ditatorial. Nenhum mal quero à pessoa - rezei por ele neste sábado - e desejo que, depois de cumprir o que a justiça lhe determinar, possa ter, fora da política, uma vida longa e feliz - é este o disclaimer moral que aqui prego.

José Sócrates escapou, entre outros, aos seguintes casos e processos:
  1. Sovenco, empresa de distribuição de combustíveis na Amadora, em que foi sócio com Armando Vara, Fátima Felgueiras e Virgílio de Sousa.
  2. Progitap, quando trabalhou nesta empresa dos irmãos Geraldes Pinto, na angariação de clientes (câmaras municipais);. 
  3. Resin, empresa que ganhou várias concessões de recolha e tratamento de resíduos urbanos, alegadamente mediante as ligações a José Sócrates e Fátima Felgueiras; 
  4. Cova da Beira, de aquisição de um terreno polémico para um aterro sanitário, e projeto e seleção de construtoras pelo seu grande amigo António José Morais, a Conegil do seu amigo Santos Silva ganhou o concurso; 
  5. Siresp, do seu amigo Horácio Luís de Carvalho (HLC), num contrato polémico, renegociado pelo seu governo, de 485 milhões de euros (e que alegadamente deveria ter custado um quinto desse valor) para o sistema de comunicações das forças de segurança.
  6. Licenciatura em Engenharia Civil na Universidade Independente: releia-se, além do que consta do meu livro, o despacho das procuradoras Cândida Almeida e Carla Dias, de 31-7-2007, de arquivamento do inquérito por queixa do advogado José Maria Martins sobre alegada utilização de documento falso, o certificado de licenciatura da Universidade Independente, datado de 26 de agosto de 1996, com timbre com indicativo telefónico «21» e código postal com sete dígitos que só vieram a ser criados cerca de dois anos depois; e o rápido despacho de arquivamento, da coordenadora da então coordenadora do  DCIAP Cândida Almeida e da procuradora Carla Dias, datado de 3 de abril de 2012, datado de 3 de abril de 2012, sobre a participação criminal do advogado Alexandre Lafayette, em 20 de março de 2012, estando no tribunal administrativo de Lisboa em análise a eventual declaração de nulidade da sua licenciatura, com base em queixa do ex-vice-reitor Rui Verde, em 29-4-2013.
  7. Freeport, apesar de denunciado, por alegadamente ter recebido 2,5 milhões de euros para licenciamento de um centro comercial, não chegou sequer a constituído arguido, apesar dos indícios e evidências que se podem ler no acórdão de 20-7-2012 e certidão extraída, do Tribunal do Montijo do Círculo do Barreiro, presidido pelo desassombrado juiz Afonso Andrade. Na sequência desse processo, José Luís Lopes da Mota, do Eurojust, em consequência de uma participação interposta pelo Movimento para a Democracia Direta, em que fomos depois representados pelo advogado Alexandre Vieira, no âmbito de um inquérito disciplinar, sancionado pelo Conselho Superior do Ministério Público com um mês de suspensão, em dezembro de 2009.
  8. Face Oculta, onde chegou a ser suspeito por ter ordenado a compra à PT, de Zeinal Bava, dos meios de comunicação nacional que não controlava - TVI, Correio da Manhã e Público.
  9. Taguspark: alegado pagamento de 750 mil euros ao ex-jogador Luís Figo para o apoio deste à campanha eleitoral de José Sócrates nas legislativas de 2009.
Pode ver-se uma súmula breve de alguns destes casos feita por Micael Pereira, no Expresso de Ricardo Costa, «As sombras de Sócrates», sendo curioso o facto de na peça se escrever: «Um blogue [sic!].esteve na origem da divulgação do caso, em março de 2007».

Os motivos da prisão de Sócrates conhecidos são vários:
  1. O alegado negócio de venda a si próprio, através do seu amigo Carlos Santos Silva (colocado no Grupo Lena), da casa onde morava sua mãe, na esquina da Rua Braancamp com a rua Castilho, em Lisboa, para justificar a sua fortuna com a herança (que era relativamente modesta) da sua mãe, que terá dado origem ao processo, após «comunicação bancária» (CGD).
  2. O financiamento do seu luxuoso apartamento com «250 metros quadrados (...) à beira do rio Sena», em Paris (que comprou por 2,8 milhões de euros e já pôs à venda por quatro milhões), onde até constou que tinha mordomo, mas «por muitas outras coisas», presume-se mais ainda do que o Correio da Manhã e o Sol (e no passado «O Crime», de José Leite) têm profusamente listado. 
  3. A aprovação, no Orçamento de Estado para 2010, do Regime Excecional de Regularização Tributária (RERT II) de exoneração de obrigações tributárias mediante o pagamento de 5% (em vez dos quase 40% que teriam de ser aplicados no imposto sobre rendimento de milhões) de que, alegadamente, beneficiou ele mesmo (tal como havia feito em 2005), através da vinda a Portugal, nesse ano, para serem benzidos, 20 milhões de euros, depositados no banco suíço UBS, alegadamente obtidos em luvas de negócios corruptos de Estado. 
  4. As alegadas «faturas forjadas» para justificar transferências de dinheiro, num alegado esquema complicado de lavagem de dinheiro que, alegadamente, envolve o administrador da Octapharma Portugal, Joaquim Paulo Lalanda de Castro, para a qual Sócrates trabalharia como Presidente do Conselho Consultivo para a América Latina (um título pomposo e vazio, à medida de Sócrates...), mais o seu testa de ferro Santos Silva e o seu advogado Gonçalo Ferreira, que alegadamente lhe levantam e entregam todos os meses 10 mil euros em numerário, além de Santos Silva transferir mensalmente 12 mil euros da sua/dele conta para offshore inglesa em nome de Paulo Castro (para pagar a avença da Octapharma a Sócrates, que seria simulada para fisco ver?). Porque um dos problemas de Sócrates era justificar o dinheiro desbaratado numa vida faustosa, como Felícia Cabrita conta no Sol, de 22-11-2014, «entre viagens de férias, velhos vícios e a renda do andar em Paris», sendo que este utilizaria preferencialmente «no dia-a-dia dinheiro vivo». 
  5. O financiamento do mestrado em Ciência Política, na Sciences-Po, na investigação do qual terá colaborado o fisco francês.
  6. A alegada participação do motorista de Sócrates no esquema de fornecimento de dinheiro vivo ao ex-primeiro-ministro, João Perna: no CM, de 24-11-2014, «Motorista caçado com malas de dinheiro» e no Público, também de hoje, que titula «Motorista de Sócrates ia de carro levar o dinheiro a Paris», o que fazia periodicamente. O motorista parece ter funcionado como «correio do dinheiro» (DN, 24-11-2014) para Sócrates, que não arriscava o transporte de grandes somas. A equipa de investigação liderada por Rosário Teixeira, e com supervisão do juiz de instrução Carlos Alexandre, usou o método utilizado pela CIA para apanhar Ossama ben Laden: vigiar o correio e seguir os seus movimentos.
  7. O CM, de 24-11-2014, titula ainda «Apanhado nas escutas do "Labirinto"», referindo-se à operação do DCIAP/TCIC sobre a venda ilegal de vistos dourados. Em 20-11-2014, já tinha feito, neste blogue, a ligação entre o setor mendista e o setor socratino no poste «O sistema labiríntico», uma matéria que o jornalista José António Cerejo explorou no Público, de 23-11-2014, p. 12, «Arguido dos vistos dourados está ligado á multinacional em que Sócrates trabalha».
  8. Além destes factos, a curiosidade demonstradora da sua personalidade, de, alegadamente, segundo o Sol, de 22-11-2014, ter comprado trinta mil exemplares do próprio livro que publicou «A confiança no mundo», de forma a fazer subir o livro no ranking de vendas nacional. 
O inquérito e a detenção do ex-primeiro-ministro foram possíveis porque perdeu a proteção dos aparelhos de poder: procuradoria, Governo e Presidente da República. Porque os serviços de informação não tiveram força suficiente para o defender e falharam a manobra concertada dos socialistas e dos mendistas para destituir Passos Coelho. Porque o DCIAP de Amadeu Guerra não é o mesmo que o de Cândida Almeida, tal como Joana Marques Vidal não é Fernando Pinto Monteiro. Ainda que Sócrates pareça ter tido informação interna das diligências da investigação, que o terá eventualmente levado a uma alegada manobra de ilusão, após ter feito o check-in em Paris, estando a equipa de detenção à sua espera no aeroporto de Lisboa e com o seu advogado logo no dia seguinte a manifestar a disponibilidade para Sócrates prestar esclarecimentos ao DCIAP (CM, 22-11-2014) - é a essa  fuga de informação que tem de se dar prioridade em inquérito na Procuradoria... De outro modo, os corajosos magistrados do Ministério Público, com Rosário Teixeira à cabeça, e o destemido juiz Carlos Alexandre, sofreriam uma «canelada» (como pretendia Ferro Rodrigues sobre o processo Casa Pia, em 2003) e seriam afastados indiretamente do caso.

A solidez dos factos enunciados e a impopularidade da fortuna de José Sócrates levaram ao seu isolamento político mesmo no Partido Socialista e na Maçonaria. António Costa foi cauteloso, como não foi em 2003, no caso Casa Pia quando interferia no processo, nomeadamente em 21-3-2003: «Pá, talvez o teu irmão seja altura de procurar o Guerra». O PS parece não querer arriscar outra campanha rosa-choque contra a justiça. Na verdade, a detenção de Sócrates dá jeito a António Costa, um general que tem acesso a dinheiro (por isso, não abandona a câmara municipal de Lisboa), mas não tem tropas: dependia de Sócrates e continua a depender dos ferrosos. Uns e outros é que lhe arranjaram os sindicatos de voto que lhe permitiu ganhar a António José Seguro. O ex-líder socialista, Seguro, aliás, devia agora falar da corrupção que soube, da espionagem e pressão de que foi alvo e dos sindicatos de voto que o derrotaram, para percebermos como foi tramado.

Do lado de Sócrates, apenas alguns fiéis: Edite Estrela, João Soares, Marinho e Pinto e a bastonária da Ordem dos Advogados Elina Fraga e o vice-bastonário Rui da Silva Leal que sem conhecer o processo afirmou que «a detenção é absolutamente ilegal» por, em sua opinião, não estarem cumpridos os requisitos da mesma (!), Clara Ferreira Alves, São José Almeida, o socialista ferroso Pedro Adão e Silva, Pedro Marques Lopes e mais um ou outro em justificações nuancées. O objetivo de desviar a atenção da substância dos factos para a vitimização mediática do ex-primeiro-ministro parece estar a falhar, apesar da intervenção subreptícia dos editores de confiança.

Mas o desfecho de sexta-feira, que como disse o nosso comentador A Mim Me Parece «morreu politicamente», também só foi possível, pelo combate patriótico persistente e apoio à autonomia da justiça por muitos (e esqueço tantos...): blogueiros, como este Do Portugal Profundo, enriquecido com os contributos de tantos comentadores, o irmão José da Porta da Loja, Helena Matos, Vítor Cunha e outros no Blasfémias, André Azevedo Alves e outros no Insurgente, o Manuel da saudosa Grande Loja do Queijo Limiano, Joaquim do Palavrosavrus Rex, Rui Costa Pinto do Mais Atual, Fernando Melro dos Santos da Caverna Obscura, Ana Mendes da Silva, Luís Botelho Ribeiro, Ramiro Marques e tantos outros; jornalistas como Manuela Moura Guedes, Carlos Enes, Ana Leal, José António Cerejo, António José Vilela, Paulo Pinto Mascarenhas, José Leite e Alte PinhoOctávio Ribeiro, José António Saraiva, José Manuel Fernandes no Público e agora no Observador, Francisco José Viegas, e outros; e opinadores, como Eduardo Cintra TorresJoão Miguel Tavares, Paulo Morais, Alberto Gonçalves, o falecido poeta Manuel António Pina e outros, além dos sacrificados, como Fernando Lima, fora magistrados e polícias que arriscaram o serviço corajoso de investigar e julgar o Mal. Esse fluxo teimoso de informação e de opinião, que muitos desprezavam como persecutório, mas que tinha o objetivo político do bem público, produziu o ambiente de resistência patriótica à corrupção de Estado e à deriva autoritária do socratismo e da entente cordiale que, após sair do poder, o abrigou, até na televisão pública. Agora, como dizia um professor meu (Tempo de Vésperas, 1971, pp. 19-201), é o tempo dos «trabalhadores da undécima hora»:
«[Os velhos lutadores] lembram-se de debates onde a esses não lhes escutaram palavra; recordam-se de combates onde eles não correram para alinhar à chamada; falam de tempos magros em que não os viram participar das carências; apontam riscos passados onde os mesmos sempre chegaram a tempo a lugares seguros. (...) Os trabalhadores da undécima hora só prosperam quando as batalhas forem ganhas, os tempos cumpridos, os sonhos realizados. Não são os que ficaram silenciosos, os que não participaram na acção, que fizeram o mundo em que vivemos. Acontece que estão lá na época da colheita. Os que fazem o mundo são outros, são os que transformam as ideias em pa­lavras e as palavras em acção. Uma máxima antiga que é bom lembrar de tempos a tempos. É porque os velhos lutadores estiveram nos debates, responderam à chamada para o combate, participaram das carências, correram todos os riscos, que chega algum dia em que batem as pancadas da undécima hora. Os construtores do mundo, de uso não têm mais do que dez horas para viver. A colheita em regra não lhes pertence.»
Sic transit gloria mundi: os mesmos que o carregavam na sedia gestatoria de papa do sistema são aqueles que agora juram que sempre o criticaram e recomendam severidade no castigo. Ou, estando mais comprometidos, calam-se e escondem-se: surpreende como o seu amigo Daniel Proença de Carvalho se resguarda (apesar de lhe defender o motorista, através de Daniel Bento Alves) e Sócrates tem de recorrer a João Araújo para o defender. Porém, está Paula Lourenço, natural da Covilhã e alegada amiga de Sócrates, que foi chamada a defender Charles Smith (o do que foi apanhado num vídeo, no caso Freeport, a afirmar que Sócrates «is corrupt» e que lhe fazia chegar «brown envelopes» com três e quatro mil euros, por causa do licenciamento do centro comercial) e que os média noticiaram que defende, pelo menos, dois dos outros três arguidos. Como já foram ouvidos, os outros três arguidos (o testa de ferro Carlos Santos Silva, o seu advogado Gonçalo Ferreira e o motorista João Perna), e Sócrates é o único a ser ouvido na manhã de 24-11-2014, parece ter havido a necessidade urgente de esquecer as aparências (salvo no sorriso ostensivamente encenado de Sócrates na saída do TCIC e entrada nos calabouços da PSP...), parar com a diversão de João Araújo (que estava a correr mal, segundo se viu das reações aos média...), centralizar a defesa e destapar a artilharia.


2. Factos, factos, factos!
O problema de José Sócrates é que, tendo uma infância sofrida (deixado ao pai, pela sua mãe, que ficou com o seu irmão) e uma adolescência e juventude com pouco dinheiro, não abdica dos prazeres, a que o seu estilo o compele. Em contraste com a maioria daqueles que obtém ilegalmente grandes fundos e que, pelo menos em Portugal, procuram não exceder um nível de vida que os rendimentos declarados permitem, e de políticos que se conformam com o poder, que tudo permite, Sócrates não abdica do dinheiro e do fausto que os milhões alegadamente arrecadados lhe permitem, seja em restaurantes e hotéis de nomeada, seja nos «velhos vícios» (que Felícia Cabrita refere no Sol, de 22-11-2014).

Em contraste com os 2,25 milhões, segundo o Público, de 23-11-2014, que constituiriam os rendimentos obtidos entre 1987, quando chegou a Lisboa como deputado, depois de trabalhar como engenheiro técnico na Covilhã, e 2014, Sócrates teria um património de 23,2 milhões de euros (incluindo os 20 milhões que o jornal diz estarem na Suíça, na conta do amigo, e a casa de Paris). Segundo Felícia Cabrita, em notícia do Sol, de 22-11-2014, dos 20 milhões de euros do dinheiro de Sócrates, «com o resgate do BES e a passagem para o Novo Banco, metade da fortuna já foi transferida para outra instituição bancária». E se assim foi, como se diz, arriscaria José Sócrates (o alegado dono do dinheiro da conta de Carlos Manuel Santos Silva, um ex-falido construtor civil da Covilhã, um «bom rapaz», conforme me descreveu uma fonte local), ou outra pessoa, manter todo o seu dinheiro em Portugal, à mercê das autoridades? Ainda em cima, nesta hipótese imprudente, manteria a sua alegada fortuna no BES, um banco cuja circunstância precária tinha obrigação de conhecer? Não serão os alegados 20 milhões de euros apenas o pocket money para Sócrates viver dos juros em Portugal, mantendo-se o grosso da fortuna em paraísos fiscais mais seguros do que a nova Suíça?

Não conhecendo senão o que vem nos jornais, e portanto sem saber o que foi investigado e conseguido, creio que devo contribuir referir alguns factos para investigação sobre José Sócrates:
  1. Apurar a aquisição das valiosas obras de arte que José Sócrates possui. Se for provada a origem ilegal dos fundos e do património, apreender a sua coleção de arte, com urgência.
  2. Apurar a sua intervenção nos casos da venda da Vivo e de compra da Oi, no Brasil. O saldo na venda da participação da PT de 30% da Vivo, entre o veto de Sócrates ao negócio, usando a golden share do Estado, em 30 de junho de 2010, e a sua permissão, 28 dias depois, é de 350 milhões de euros (7.500.000.000 - 7.150.000.000 = 350.000.000). Também a compra da Vivo suscitou dúvidas em Portugal e no Brasil.
  3. Apurar a sua intervenção na centena de parcerias público-privadas, além dos negócios feitos com o grupo Lena em Portugal e no estrangeiro (Venezuela).
  4. Apurar o papel de Sócrates, se existiu, na tomada do BCP pelos seus amigos, nomeadamente Armando Vara, com a concessão pela Caixa Geral de Depósitos a Joe Berardo de 500 milhões para aquisição de ações do banco (decidida por administradores da Caixa que meses depois transitaram para... a administração do BCP).
  5. Apurar o relacionamento de José Sócrates com o grupo Espírito Santo, referido, pelo CM, de 21-10-2012, nomeadamente Ricardo Salgado, atendendo a uma conversa do ex-primeiro-ministro com José Maria Ricciardi do grupo BES, numa conversa em que se tratam por tu (!), Sócrates lhe diz que não consegue falar com Ricardo (Salgado) e lhe pede que «não se esquecessem do amigo que está em Paris». 
  6. Apurar a sua intervenção, se houve, na alteração do Regulamento do Parque Natural da Arrábida que determinou a modificação do regime de exploração das pedreiras de cimento da Secil no Outão, em 23-8-2005.
  7. Apurar a utilização dos cartões de pagamento do Tesouro (Visa IGCP Charge Card), não apenas os usados pelo chefe de gabinete e pelo assessor administrativo de Sócrates, mas também pelos ministros, secretários de Estado e membros dos seus gabinetes, dos seus governos, com plafonds muito elevados, um processo por queixa da Associação Sindical de Juízes Portugueses, liderada pelo juiz António Martins, em fevereiro/março de 2012, que aparentava estar parado no DIAP e que só em junho de 2014 foi noticiado algum avanço.
  8. Apurar a sua intervenção, se alguma, na venda de títulos de dívida pública pelo IGCP (de Alberto Soares), na época de subida da taxa de juro portuguesa, que culminou no pedido de resgate financeiro do País à União Europeia e FMI, feito por José Sócrates em 6-4-2011.
  9. Apurar a regularidade da sua inscrição no mestrado em Ciência Política na Sciences-Po, e a validade do título se vier a ser decretada a nulidade da sua licenciatura, e como foi elaborado o seu mémoire, escrito em francês (!) ou em português com tradução para francês, e se contou com a ajuda de alguns nègres conhecidos, ou não. 
  10. Apurar o seu controlo, a sua tutela e a sua orientação, dos serviços de informação do Estado que procederam a ações claramente ilegais de perseguição de cidadãos inocentes durante os seus anos de poder e que continuaram, aliás, depois disso, através das suas toupeiras rosa e seus aliados salmão.

Nestes factos, como no caso em inquérito e noutros, importa apurar a verdade. Se Sócrates nada fez, melhor para ele; se infringiu a lei, que cumpra o que for determinado. Não se trata de vingança - a qual não pratico, nem aceito. Trata-se de justiça e de sanção pedagógica para a limpeza do Estado. Justifica-se que fique em prisão preventiva, tendo em conta a gravidade dos factos e, para lá do alarme social de que os média nacionais e internacionais dão conta, a forma como se moveu relativamente à investigação.

A guerra patriótica de limpeza do Estado não termina com esta batalha de nove anos e meio, nem com o vazio da vitória. Continua. Porque corrupção de Estado há muita: não tem apenas a anterior tonalidade rosa-choque nem a futura rosa-salmão, mas todas as cores do espectro do abuso, compreendendo também o laranja escura e o azul celeste e o vermelho. Este desfecho de uma etapa, não pode iludir os portugueses de que o problema da corrupção de Estado fica resolvido. A democracia representativa está no estertor em Portugal, Espanha, França e um pouco por todo o Ocidente e verifica-se a oportunidade de uma democracia direta, com eleições primárias nos partidos para todos os candidatos a cargos eletivos no Estado (deputados, presidentes de câmara municipal, etc.) maior responsabilização dos políticos e referendos mais frequentes. Mas nem a democracia direta, por si só, sem vigilância, eliminará o mal. Mais, se falharmos a reforma da democracia, podemos ser vencidos pela emergência do autoritarismo. Aqui, e na vida, nunca distingui, nem distinguirei cores, nem protagonistas, no penoso esclarecimento da verdade e no sacrificado serviço do Bem. E, enquanto Deus me permitir, assim continuarei o trabalho patriótico por um Portugal livre, digno e justo.



Atualização: este poste foi atualizado à 1:49, ás 2:32, 3:07, 6:56, 7:27, 7:37, 8:13, 10:53, 12:33 e 22:36 de 24-1-2014.


Nota: estou sem telemóvel e não consigo devolver e agradecer as chamadas que, entretanto, me fizeram. Mas agradeço a intenção dos leitores e dos comentadores.


Limitação de responsabilidade (disclaimer): José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa, arguido neste processo, como os outros arguidos, goza do direito constitucional à presunção de inocência até ao trânsito em julgado de eventual sentença condenatória.
As demais entidades mencionadas nas notícias dos média, que comento, não são suspeitas do cometimento de qualquer ilegalidade ou irregularidade.

73 comentários:

Perna Longa disse...

O motorista tinha uma perna tão longa que ia de Lisboa a Paris.....

Ferrugentus Kurruptus disse...

A próxima grande limpeza a fazer é a de todo o gang do Ferrugento que hoje é a principal guarda pretoriana da corrupção e do Sócretino engavetado !

Anónimo disse...

Não falta aí o negócio do Cagalhães?
Decerto que não foi à toa que o Socretino se transformou no melhor vendedor da JP Sá Couto.
Aproveitava sempre as viagens oficiais ao terceiro mundo para impingir o aparelho.
Sabe-se que o Vigarista não dava ponto sem nó.
Servia-se do cargo para enriquecer, passando por cima de tudo e todos.
O Carlos Alexandre que chame o Mário Machdo ou consulte os documentos que o aldrabão do Monteiro engavetou.

Anónimo disse...

Parabéns ao autor deste blogue. Dos primeiros patriotas a denunciarem que o Rei vai nú.

Anónimo disse...

Pronto!...
Parou tudo. BPN; BES; Vistos Gold; Submarinos; Operação Furacão; Monte Branco, etc, vão ficar à espera até muitos amanhãs pois, agora, este processo Sócrates é o principal e único.

Mas gostei de ler o que escreveu a Felícia Cabrita acerca do caso pois até parece que faz parte das investigações e conhece bem o dossiê.
Será que ela trabalha para o Ministério Público?

ljer disse...

Parabéns Prof António Caldeira. O Sr sempre nos veio avisando que o antigo 1º ministro José Sócrates não era um individuo de confiança. Não foi este José Sócrates que agora dorme na prisa que o quis silenciar confiscando-lhe o seu computador em casa de sua mãe ?

Anónimo disse...

Tanto purido e escreve nesse código ortográfico pateta que o vigarista visado «decretou», como tudo, em acintoso descaso jurídico.
Ora F....-se!

Anónimo disse...

Sempre pensei que o Sousa da Independente era um vigarista de alto gabarito e muito apoiado/ protegido por outros elementos de uma eventual máfia.Os "casos" noticiados pela imprensa "não controlada" nunca tiveram consequências, pois as escutas eram destruidas, as vigarices não eram investigadas e nem ao menos era ouvido.
As empreitadas que custam o triplo do valor orçamentado, as PPP e outras, têm sido corrupção que têm custado centenas de milhões ou milhares de milhões ao País e que o cidadão está a pagar através do aumento dos impostos, do corte das pensões e de outros sacrifícios.
Agradeço ao Prof. António Caldeira a sua coragem e o seu empenho na denúncia de um dos maiores mafiosos que o País já teve, a confirmar-se o que tem sido investigado e divulgado pela imprensa.

Joaquim Carlos disse...

Hoje, como desde há 8 anos, em plena sintonia contigo, meu caríssimo Amigo António. Na exigência fundamentada por Justiça, na luta contra o Mal, no sentido cristão da recusa da iniquidade sob todas as formas públicas e privadas. Na completa ausência de espírito vingativo. No sonho de um Portugal liberto da sufocação gananciosa de uma elite política sem espírito de serviço ao Povo. Um Abraço. Aquele de sempre. Nunca nos renderemos à malignidade ambiental do Regime, no Regime!

floribundus disse...


'porreiro! Pá!'

'muito óptimo', como habitualmente

'no pior pano cai a nódoa'

a rataria anda desorientada, mas prepara-se para comer o que resta

muita massa deve estar a ser colocada fora do rectângulo

felizmente há quem os tenha até aoa pés

Anónimo disse...

Alô, Noronha do Nascimento?
Alô, Pinto Monteiro?
Alô, Manuel Pinho?
Alô, Júlio Pereira?
Alô, Almeida Ribeiro?
Alô, Candida de Almeida?
Alô querido Dr. Daniel Proença?
Porra, que ninguém atende!

Lamas disse...

Comungo da opinião de Joaquim Carlos.
Penso que depois de tudo o que passou, o professor deve estar sobretudo triste (como eu) com toda esta situação. Deve sentir-se reconfortado pela sua sempre defesa da verdade que tantos não quiseram ver e que finalmente esta a vir ao de cima, mas triste por ver ao que Portugal chegou.

Anónimo disse...


Talvez investigar também isto:

http://www.ascendi.pt/gca/?id=12

Anónimo disse...

O Cravinho, campeão da luta simulada contra a corrupção, já se pronunciou ?

pedro disse...

Excelente, vou gravar para a eternidade.

Anónimo disse...

uhuhhhh..aí tal como aqui ..os ratos estão perdendo ..
seria bom investigar esses negocios da octopharma ..com o governo da dilmoniaca .
Aqui no Brasil desenrola-se dramaticamente a operação Lava a Jato , no que já é conhecido como o maior caso de corrupção conhecido .
O Pivot dele o doleiro Alberto Youssef era dono (entre dezenas de outras) de uma farmaceutica, a Labogen , que foi pêga em negócios escuros com o governo da dilmonica . Seria interessante investigar se existem vasos comunicantes entre a Octopharma e a Labogen.. não me admiraria absolutamente nada ...

No mais ..grande patriota Antonio Balbino Caldeira ...receba um grande abraço deste seu profundo admirador.

Caboclo Capiroba

Anónimo disse...

Alegadamente, supostamente... então e os laranjas impolutos??? fala de tasnta coisa, investigue tambem o DR. RELVAS, que sempre levou o COELHO ao colo, e que faz parte do conselho de administração de 21 !!! empresas, quatro como executivo e 17 como consultivo, com "negócios", no Brasil, Angola, Moçambique...

Anónimo disse...

"A crise do regime
Receber luvas, favorecer este ou
aquele, traficar influências, realizar
negócios ruinosos para o
contribuinte, isso é o regime.
Ser investigado, detido ou
condenado, isso é a crise do regime.
Está correcto: a justiça põe em causa
o regime. Salvem o regime: acabem
com a justiça."
Copiado do blasfemias.

Anónimo disse...

Ineptocracia: um sistema de governo onde os menos capazes de liderar são eleitos pelos menos capazes de produzir, e onde os membros da sociedade com menos chance de se sustentar ou ser bem-sucedidos são recompensados com bens e serviços pagos pela riqueza confiscada de um número cada vez menor de produtores.


Esta definição remete-nos automaticamente para a descrição feita pela filosofa russa Ayn Rand:

Quando perceber, que para produzir precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar, que o dinheiro flui para quem negoceia não com bens, mas com favores; quando perceber, que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de si; quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade se converte em auto-sacrifício; então poderá afirmar, sem medo de errar, que sua sociedade está condenada.

Isabel Rodrigues disse...

Parabéns ao Dr. Caldeira e a todos nós Portugueses de bem. A justiça parece acordar, queira Deus que limpe todos os ladrões que nos levaram a esta situação.

Anónimo disse...

E o primo Monteiro, já obteve a equvalência à licenciatura em kong fu?

Anónimo disse...

Claro que aparecem ainda os socretinos para dizerem que a pilinha laranja (o Duarte Lima, o Dias Loureiro, o Isaltino e outros) é maior do que a pilinha rosa (o Sócrates, a Felgueira, o Narciso, o Mesquita Machado e outros).

Que bem, vais longe...

JPA disse...

Professor;

Isto não é o fim, nem tão pouco o principio do fim, isto é o fim do principio.
Conte comigo nesta guerra discreta em que os únicos vitoriosos serão os Portugueses.

Aquele abraço
JPA

PSC disse...

Aí vamos nós! Como seria de esperar e fácilmente de prever!
A NITREIRA JÁ ESTÁ A TRANSBORDAR! Até onde irá o esterco? O cheiro já é insuportável há muitos anos mas a maioria dos Portugueses optou por tapar os narizes e ignorar sobranceiramente o que estava à vista de todos. Agora vão levar com a m.... toda na cara para aprenderem a ter espírito crítico e não engolirem tudo o que lhes dão(???)!Servirá de exemplo? Duvido.

Anónimo disse...

"Para o TC, este foi um negócio de ouro, mas só para as concessionárias. Como as receitas das portagens passaram a ir para a EP, as empresas privadas quiseram uma contrapartida: um pagamento por disponibilidade. Só que o governo renegociou estes contratos tendo por base a projecção de tráfego inicial. E acabou por alinhar sempre no que era melhor para os privados. Os auditores deixam claro que a remuneração anual que o governo acertou com os concessionários privados eram “claramente superiores aos praticados nos mercados”. E, feitas as contas finais, o Estado acabou por gastar mais do que gastava nos anteriores contratos. "
http://www.ionline.pt/artigos/portugal/tribunal-contas-governo-socrates-nao-defendeu-interesse-publico-nas-ppp/pag/-1

Esta também não engana ninguém.
Fede a corrupção.
Duvido é que alguém lhe pegue.
O lixo é tanto no gang do Rato que a tasca fechava se fosse bem investigado. E atrás dos Ratos ia um longo cortejo.

Anónimo disse...

"Em 2007, o então Ministro da Economia cedia por 700 milhões de euros a extensão da exploração de dezenas de barragens por mais 15 a 25 anos à EDP. Os próprios relatórios dos bancos de investimento valorizavam na altura esta extensão em mais de dois mil milhões de euros.
...Por aquela altura, o jornalista e gestor Luís Marques, dizia-me que era uma vergonha nacional Portugal ter um primeiro Ministro com indícios de ser corrupto. E que a nível internacional isso também já era notado.

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/e-legitimo-supor=f899560#ixzz3K0rxsun3

José Domingos disse...

Estão muitos mais, para entrar nos calabouços, assim haja vontade.
Honrai a Pátria que a Pátria vos contempla.

Anónimo disse...

A Felgueiras que foi ao Brasil atrás dos familiares de Tomás Feteira para inquirir se Duarte Lima seria o assassino, não arranjou tempo para bater à porta do Pinto Monteiro e perguntar-lhe o que discutiu no almoço com o gangster?
A diarreia das TV's é ridícula. A conversa é circular. O importante são as medidas de coação e não a extensão dos crimes contra o Estado, contra os portugueses.

JPA disse...

mais esta pequena informação.

Abraço
JPA


Três arguidos nos “Vistos Gold” são os sócios da empresa FORMALLIZE, LDA, incubada na BCL3 de Oliveira do Hospital

24 de Novembro de 2014


Os arguidos do processo Vistos Gold Paulo Eliseu e José Manuel Gonçalves, com residência em Tábua e Oliveira do Hospital, respectivamente, e Paulo Manuel Garcês Vieira, residente no Porto, são os três sócios da empresa FORMALLIZE, LDA. A firma encontra-se inserida na Incubadora: Associação BLC3, Plataforma Desenvolvimento da Região Interior Centro, de Oliveira do Hospital.
Os três sócios podem agora estar impedidos de comunicar entre si, uma vez que o tribunal decretou que os arguidos Paulo Eliseu, Paulo Vieira, José Manuel Gonçalves e Abílio Silva “foram suspensos das suas funções nos serviços centrais do Instituto dos Registos e Notariado, e proibidos de estabelecerem contactos com funcionários dos referidos serviços”. Além destes três elementos, a empresa conta com um funcionário.
Ao encontrar-se sedeada e incubada no projecto BLC3 de Oliveira do Hospital, uma entidade ligada à Câmara Municipal local, a FORMALLIZE, LDA beneficia gratuitamente de acompanhamento técnico durante o processo de constituição da empresa, participação na elaboração do Plano de Negócios, de candidaturas a Sistemas de Incentivo ao Investimento, bem como apoio à Propriedade Intelectual e Industrial.
A BLC3, recorde-se, é uma aposta forte, como se pode ler no seu sítio da internet desta entidade, por parte da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital que com esta estrutura procurou desenvolver o seu município e a região. A sua área de actuação é, porém, o território nacional e internacional. “Resulta também de uma aposta em promover uma nova visão de inovação, ciência, qualidade, e empreendedorismo – fomentando assim o aparecimento de novas ideias de negócio e de uma nova geração empresarial”, refere o sítio.
A FORMALLIZE, LDA foi constituída em 5 de Fevereiro deste ano, com um capital social de 400 euros, tem um funcionário, e realiza actividades de consultoria, científicas, técnicas e similares. Presta serviços de consultoria, de assessoria, de integração, de auditoria e de diagnóstico, designadamente na reengenharia de processos nas áreas da gestão e operacionais, da contabilidade orçamental, patrimonial e analítica e na elaboração de projectos de diplomas legais, que não envolvam a prática de actos legalmente reservados a advogados, nos termos da legislação em vigor.

Anónimo disse...

http://www.publico.pt/sociedade/noticia/escritorio-de-advogados-de-proenca-de-carvalho-defende-motorista-de-socrates-1677324

A sociedade em que Daniel Proença de Carvalho é um dos principais sócios tem afinal intervenção no processo no âmbito do qual o ex-primeiro-ministro José Sócrates foi detido. Não através do conhecido advogado, mas de um jovem defensor, Daniel Bento Alves, que representa o motorista do antigo governante, João Perna, detido na passada quinta-feira no contexto deste caso.

Anónimo disse...

As viúvas de Sócrates na RTP vêm todas vestidas de escuro e à beira do choro.

A Mim Me Parece disse...

A galinha, que é estúpida, põe habitualmente todos os seus ovos no mesmo cesto. O cuco, ave esperta e parasita, distribui os ovos da sua postura pondo apenas um em cada ninho. Acham que o Sócrates se parece com a galinha ou com o cuco? Então procurem-se outros cestos, que o esperto não iria ficar economicamente refém de uma única pessoa, por mais amiga e confiável que fosse! Não será fácil encontrar outros cestos, outros ninhos, aninhados em qualquer putativa off-shore, mas lá que os haverá, haverá...

Anónimo disse...

Grande PARANÓIA! TRATE-SE.

José Ferrão disse...

Foi longa a luta, mas vamos lá a ver se não vai cair tudo para cima do motorista como na Casa Pia.

Anónimo disse...

O Ferrugento e o Costa andaram a pedir eleições antecipadas. Deviam fazer-lhes a vontade.

Anónimo disse...

Ficou em preventiva, o Vigarista.
Enquanto isso, na quadrilha do Rato andam "consternados", "condoídos".
Com os crimes e a vergonha? Não! Com a prisão do criminoso a quem fazem juras de amizade. Moralmente nada têm a apontar-lhe.
Isto é inacreditável.
Que podridão!

Anónimo disse...

Honra ao Dr. Carlos Alexandre,
Português "pola Lei e pola Grei".

Não me sinto particularmente feliz por saber da prisão de um primeiro Ministro, mas que já lá devia estar há muito, devia.

O prejuízo que causou a Portugal é imenso.

A irmandade do avental, que é tenebrosa, vai mexer-se em todas as direcções.

Oxalá não haja fraqueza da parte da Justiça.

Portugal necessita de uma grande limpeza.

Senhor Professor Balbino: envio-lhe os meus parabéns pela clarividência e persistência dos seus escritos.
Muito me esclareceram e ajudaram a formar opinião sobre um assunto tão grave como é este.

Anónimo disse...

Se nāo lhes congelarem o património, que é onde lhes dói, eles bem podem com a preventiva. Daqui a uns tempos saem e tudo bem....o animal feroz ainda nos vai gozar a todos. Por isso mais calma por favor.

lidiasantos almeida sousa disse...

Para ler o seu blog é preciso quase tanta paciência como ler o Aquilino Ribeiro. Não pode sintetizar e escrever uma coisa de cada vez para nós podermos comentar. Assim não dá. pois pessoas lerdas como eu, quando chegam ao meio já não me lembro do principio.
Agradeço imenso pois gosto muito de o ler, pois o meu português está mesmo abandalhada pelo mistura com o Francês.

Anónimo disse...

E os dinheiros da Libia quando a Libia tirou o dinheiro da Suiça ( quando cortaram relacoes ) e os pos nos cofres do BES?

Anónimo disse...

Concordo com quase todos os comentadores televisivos ou seja, arregimentados pelo PS.
A pena de prisão preventiva não está de acordo com os delitos.
Sei que já não se usa a forca, mas...

Anónimo disse...

Sócrates, foi bem preso, pena que o motivo da prisao nao seja a forma como governou Portugal.
Agora nao esquecer que:
O Passos, o Relvas, o Portas sao areia do mesmo saco. Quando de la sairem, vai ser um "queimar" de papeis...
Espero mesma sorte.

Anónimo disse...

Ver, também, possíveis verbas envolvidas na imposição da ortografia brasileira a Portugal, através de uma "resolução" e sua imposição por cima de um Decreto-lei - e um dos actos mais danosos do governo de Sócrates.

Anónimo disse...

De facto, a CGD tem ainda muitos milhões de euros proveniente de contas de Ghaddaffi e apaniguados. O actual Chairman do Banif deverá saber alguma coisa sobre o assunto. O mesmo que é amigo do Obiangi da Guiné Equatorial.

Anónimo disse...

Finalmente, a luz do Dr. Soares.

http://www.jornaldenegocios.pt/economia/justica/detalhe/mario_soares_diz_que_detencao_de_socrates_deixou_os_democratas_imensamente_preocupados.html

Mário Soares considera que "também não pode passar em vão o espectáculo mediático que a comunicação social tem feito, violando também ela o segredo de justiça ao revelar factos que era suposto só serem conhecidos quando um juiz se pronunciasse".

O antigo chefe de Estado deixa ainda, no seu artigo no Diário de Notícias, um outro reparo ao processo que envolveu a detenção de José Sócrates. "Ninguém sabe se a Procuradora-Geral da República foi quem comandou a polícia que actuou", refere Mário Soares.

Anónimo disse...

http://resistir.info/portugal/contos_proibidos_rui_mateus.pdf

Anónimo disse...

Caro ABC, eu tenho andado por outros desertos, embora vá passando esporadicamente pelo Portugal Profundo, ainda que de forma passiva, para espreitar as novidades. Desinteressei-me de forma propositada, desde há vários anos, por toda a atualidade relacionada com política nacional. O estado de podridão das instituições, dos políticos, as injustiças, a amnistia generalizada da corrupção, e a falência do regime em geral estavam a provocar-me um desgaste insuportável. Mas num momento como este, não podia deixar de vir aqui felicitá-lo e dar os parabéns pela persistência. Afinal de contas, o meu amigo ABC é, discretamente, um dos heróis deste momento histórico.

O Socretinismo foi o fenómeno mais triste da história recente de Portugal. Como personalidade pública, vejo-o como um misto de ignorante, pimba, mau fígado, foleiro, arrogante, estúpido, cheio de vaidade saloia, mau gosto, falta de jeito, falta de escrúpulos, falta de vergonha, falso, cara de pau, olha para o que eu digo e não para o que eu faço, parvo, novo-rico, burguês, cagalhão e mentecapto. É apenas a imagem que ele me passa e depende da minha sensibilidade, naturalmente. Provavelmente até estão a faltar-me alguns adjetivos, para ser ainda mais sincero, mas vocês já os conhecem.

Em termos políticos, diz-se que começou na direita e acabou na esquerda mas foi sempre de baixo. Nunca teve um projeto sério para Portugal mas apenas projectos para se governar a ele próprio. Um misto de salazarismo com estalinismo e máfia italiana, não fosse o facto de estarmos na União Europeia, e hoje Portugal teria um sistema pior do que o da Venezuela. Não tenho dúvidas.
Hoje, o traste caiu na vergonha, embora não a tenha. Deixou-se engolir pela própria soberba, uma espécie de tio patinhas a afogar no meio dos milhões que, como ele diz, não tem. Já nem sequer a fação cabalista do partido que o sustentou, dá hoje a cara pela sua honestidade. A mesma esquerda cabalista que não teve problemas em negar a pedofilia – moralmente bem mais difícil de defender, na minha opinião – hoje retrai-se. O homem está só, apenas com “seus” os milhões e a sua cara de pau. Ainda acredita que vai sair por cima (ou nós não o conhecêssemos bem!), com fama de santidade e beatitude, e qual D. Sebastião, para salvar Portugal. Estou convencido que ele é daqueles mentirosos que acredita na própria mentira, não tenho a certeza disso.

Em termos económicos – e desculpe-me a falta de gosto, mas não encontro melhor análise do que esta frase que li há tempos atrás, pois diz tudo, “o Sócrates pegou num país que estava de tanga e deixou-o em piça”. Portugal sempre foi pobre mas o Sócrates levou-o à bancarrota e ainda nem reparou nisso.

Este blog está de parabéns, Portugal está de parabéns e, como eles gostam de dizer, esperemos que a justiça funcione. Embora falte hoje pão em muitas mesas portuguesas, dado o estado a que esta geração de políticos levou o país (e refiro-me a todos, de todos os quadrantes), há orgulho nacional e renasce agora a esperança deste povo imbecilizado.

Viva Portugal.

Camelo de Alcochete

Anónimo disse...

É bom sempre saber a opinião de todos, mas não investigar o maior antro de corrupção e traficância de influencias, basta ver o despedimento coletivo que o Kasino Estoril fez destruindo centenas de famílias em troca de outras por capricho, isto é pior ou igual ao problema SÓCRATES.

SERÁ QUE A CHINA MANDA NA JUSTIÇA PORTUGUESA!!!!!

Luís Ferreira disse...

Finalmente. Eu fui muitas vezes confundido como um apoiante de Sócrates, mas nunca votei nele, votei sim no Guterres.
Eu não tenho partido, até orque já me abstive muita vez e já votei da esquerda e na direita, desse o PSD ao Bloco de Esquerda, só ainda não votei no CDS.
Para prenderem estes corruptos todos que passaram ou ainda estão o no Estado Portugal não teria cadeias suficientes.
Eu nã esqueço aquilo que Sócrates fez ao país e agora estamos a pagar bem caro e ele a viver uma vida devassa.
Eu já não acredito em políticos, nem sei se irei votar para o ano. Para mim só há duas coisas além do meu trabalho e da família, que me interessam.
1. O ser Português, é um estado de espírito e vai para além do cartão de cidadão, o ser patriota e o sentir o orgulho de ser Português.
2. A fé em Deus e em Jesus Cristo que me foi ensinada na catequese ainda em criança e que vivi ate aos trinta anos, depois afastei-me da Igreja, mas agora regressei há dois anos. Podem-me chamar antiquado, fanático, beato, etc. mas é coisa que eu nã quero deixar.
Tenho o sim confiança em Deus e não nestes governos humanos que só fazem disparates e injustiças e por fim ainda são corruptos.
Eles andam lá metidos com a maçonaria e os Iluinati que estão em muitos governos ocidentais, incluindo o Vaticano, ´ pois eles querem moldar a nossa maneira de pensar e de agir e mudar o sentido da política, da família e da religião católica Apostólica romana,, só que comigo eles enganam-se, porque ando a ler umas coisas e cada vez mais penso pela minha cabeça e não por aquilo que os outros me dizem, mesmo que sejam colegas de trabalho ou familiares.
Aida bem que se fez justiça no caso de Sócrates, bem como nos vistos dourados, entre outros, mas isto não deve ficar por aqui.

Todos Culpados disse...

À semelhança do Partido Nazi ou do Partido Comunista Soviético onde Todos sabiam dos asassinatos em massa que estavam a ser cometidos Todos sabiam que Sócrates era altamente corrupto...Todos são cúmplices dos crimes de Sócrates...porque o encobriram,calando...porque a maior parte fazia o mesmo que ele, roubando o Estado e os Portugueses o mais que podiam....Todos culpados,Todos calados antes,Todos indignados hoje...não com a corrupção mas com a detenção...Todos com medo que lhes aconteça o mesmo...especialmente Todos os ex-Ministros,Secretários de Estado , membros dos Gabinetes e Altos Funcionários que colaboraram e praticaram a corrupção em larga escala durante os Anos Negros para Portugal em que Sócrates foi Primeiro Ministro.

Anónimo disse...

O país justo há-de um dia agradecer esta inspiração de não desistir e lutar com a fé que os texto que o Porfessor partilha!

Espero que tenha ainda muita força e possamos continuar a perseguir o bem comun da nossa pátria!

lidiasantos almeida sousa disse...

oh senhor cone DE Acolchete, o PR deixou pendente um Aeroporto na OTA, Depois de muita luta, fizeram uma rede para em segredo mudarem o Aeroporto para ALCOCHETE, com o comando do PR. ajudado pelo meu colega VIEGAS E VAN ZELLER, ENTRE OUTROS.
Enquanto estava em, segredo.o companheiro de infância de CAVACO Fernando Fantasias. andava por Alcochete Rio Frio, comprando milhares de hectares de terrenos, com o dinheiro do BPN VALORES, para se precaverem para quando o Aeroporto começasse a ser +produzido os terrenos seriam utilizados para fazer Hoteis, condomínios de luxo e assim criar uma cidade Aeroportuária. Foi o Senhor Conde que acompanhou o Fernando Fantasia a fazer este negócio secreto? Se foi e recebeu luvas, parabéns, se não recebeu nada é trouxa.Peça a opinião ao Senhor José sobre este assunto.

FMS disse...

No forum TSF parece que alguem enfiou um tição com dez metros no ninho da colónia socrática. Tresanda a pavor e à ureia dos que mamaram.


Cavaco tem de falar hoje. Se falar manso como a tia de Louçã, confirmar-se-á que o caso das escutas tem de ser debulhado até às últimas consequências. Se falar brioso continuaremos a gostar de adágios populares.

Está morto o caso? Exume-se. Nada disto é suspeito? Foi a sepultar solteiro?

"Sublinhe-se que o «DN» publicou um artigo referindo que um’E-mail’ denunciou que Fernando Lima, assessor de Cavaco, entregou ao ‘Público’ um ‘dossier’ sobre as suspeitas de espionagem do Governo de José Sócrates.
As suspeitas de escutas por parte do gabinete do primeiro-ministro à Presidência da República foram levantadas por Fernando Lima, assessor de imprensa e homem de confiança de Cavaco Silva. Lima terá, segundo documentos a que o jornal teve acesso, procurado o jornalista do Público, Luciano Alvarez, segundo este último, em nome do próprio Presidente.

Recordo que a 18 de Setembro, o Diário de Notícias afirma que Fernando Lima teria sido a fonte do Público, na sua manchete de Agosto, segundo a qual Cavaco Silva suspeitava estar a ser espiado pelo Governo.
O DN transcrevia um alegado e-mail trocado entre dois jornalistas do Público – Luciano Alvarez e o correspondente do jornal na Madeira, Tolentino da Nóbrega – com instruções para seguir pistas fornecidas pelo então assessor de imprensa do Presidente da República, quanto a essa suspeita, supostamente por ordem directa de Cavaco Silva.
“Foi então que surgiu num diário concorrente do Público a publicação de um estranho e-mail – resta saber por que caminho terá ele chegado – tão estranho que não deveria ter suscitado mais do que um impulso de rejeição enojada por parte de todos os profissionais de jornalismo e actores políticos”, refere Fernando Lima."

Os Quatro Mosquiteiros disse...

Os quatro a precisarem de ser investigados com carácter urgente e aprofundado:1-Pinto Monteiro 2-Vieira da Silva 3-Cândida Almeida 4-Noronha do Nascimento...antes de muitos outros que devem integrar a lista...com a Fundação Soares à cabeça.....

É KABALA!É CABALA!!! disse...

Tudo mentira...tudo mentira...o Senhor Engenheiro Doutor é o homem mais honesto e austero do Mundo...o Salazar do séc.XXI... o Pedroso não é pedófilo...come pelo menos três gajas por dia...e a Dona Lurdes nunca dão um euro ao mano !!!

OS CULPADOS disse...

A culpa é toda do Alexandre e do Motorista...como na Casa Pia foi do Teixeira e do Motorista....todos os Juízes de Instrução e Motoristas para uma cadeia do Xanana !!!

SS-Solidariedade Socialista disse...

Oh 44!!!Vem cá dar uma mãozinha ao 69....traz o motorista e o broche da Covilhã....

Paulo Pereira disse...

Os 20 milhões são peanuts. Investigue-se o triangulo Sócrates-BES-Ongoing. Os rapazes da Ongoig são conhecidos pelos comissionistas do Sócrates. Uma pista o livro do Sócrates foi editado pela Babel de Paulo Teixeira Pinto, será que não existirá um dedo do Nuno Vasconcelos no negócio?

Jámé OCDE disse...

Que o tempo lhe possa restituir, a si e a toda a sua família, a paz e a normalidade da vida que lhe foi retirada pela particularidade da circunstância de nos ter calhado esta fatia comum do tempo, do espaço, e do perigoso convívio com o mundo animal.

São os pequenos seres que fazem as pessoas grandes, principalmente quando estas os sabem tratar na dignidade que incondicionalmente cabe a uns e a outros, ainda que não retribuída por insanável incapacidade.

alberico.lopes disse...

Parabéns Dr.Balbino Caldeira!
A sua persistência faz-nos antever que vai haver muitos mais gabirus que se irão juntar ao ladrão-mór!
E o primeiro deveria ser o Pinto Monteiro,o tal ex-PGR!A propósito:sabe que este beirão de Vale de Ovelha, é primo do dito,pela parte da jeovaca MARIA ADELAIDE PINTO MONTEIRO DE SOUSA?
E quanto a esta:porque é que ainda não foi constituida arguida?Aguardemos!

Anónimo disse...

Alguém encontrou a chave perdida da Cidade da Covilhã?

Anónimo disse...

Oh Dr. Almeida Santos, de quem eram muitos dos terrenos que haviam por ali entre Alcoentre, Aveiras de Cima e a Lapa do Cartaxo?

Uma dica, não é só o Eng. José Eduardo dos Santos!

Anónimo disse...

Consta que o Sousa da Independente é o presidiário nº 20.000.000 USB.

Consta que a mãe do Sousa, sem descontar para a Segurança Social, recebe uma pensão de alguns milhares de euros.Deveria ser averiguado, pois pode ser verdade ou mentira.

Fernanda disse...

Há vários anos que venho ao seu blogue para ler "as trafulhices" dos políticos. E ontem quando vi a detenção de Sócrates não fiquei admirada, estava preocupada com o tempo demasiado para procederem à sua detenção. Há vários anos que eu dizia, que essa pessoa iria ser presa. Esse senhor arruinou a carreira profissional e a vida de milhares de portugueses. Ele e Maria de Lurdes destruíram uma classe, a mais nobre - Professor - eles odiaram os professores. Hoje estou aposentada, mas orgulho-me de ter pertencido a uma das classes considerada como mais honesta do país. Obrigada

Anónimo disse...

Cambada de parasitas muito informados tudo sabem e no final nada sabem condenao as pessoas so por nao gostarem delas,grande homem Socrates encomoda muitos parasitas,ele arruinou Portugal ,so iluminados.

Adelino Ferreira disse...

Nunca tinha lido um blog onde todos os comentadores ( 63+1)estavam de totalmente de acordo com o Post. Isto parece uma agremiação de crentes. Esta última frase tem em consideração o +1 (Joaquim-Pastor da Igreja de Todos os Santos e Últimos Dias)

Anónimo disse...

Saí desse "país" (ou como alguém disse "um sítio e mal frequentado" asqueado de tanta m... e sem a mais pequena intenção de voltar. Mantenho o que disse ao largo de anos e sigo repetindo não só sobre os "lusos" de que CADA POVO TEM OS DIRIGENTES QUE MERECE.

Anónimo disse...

Mais uma detenção para afastar os media de outros casos.

Alguem se lembra do BES? PT ? vistos Gold?

O portugues tem memoria curta, agora querem é o Socrates...
Amanhã já está cá fora, com pena suspensa ou prisao domiciliaria...

veremos...

Anónimo disse...

Parabéns pela sua luta e a de muitos portugueses, que não procuram a vingança mas sim a justiça. Um abraço daquele que também à muito trava a mesma luta e que foi o único a protestar á porta da RTP no 1º comentário de sócrates na estação pública.

lidiasantos almeida sousa disse...

Senhor anónimo, acabei agora de chegar do jantar no Restaurante ELEVEN, cheinho de Advogados daqueles dos pareceres, que ganham pipas de massa. Hoje até estava a bela Ana Bruno. desaparecida depois do caso MONTEBRANCO que está bem enterrado até ver, foi uma soiré maravilhosa, A vista sobre o Parque Eduardo VII é avassaladora, O amigo agora tem mais possibilidade de protestar pois sabe onde se encontra e os dias e horas das visitas. Se lá for dê-lhe cumprimentos meus e lamento por andarmos em Paris pelos mesmos sítios segundo diz o Correio da Manhã e nunca nos termos visto. Como agora o vosso inimigo de estimação está dentro, talvez pudessem escrever sobre outro assunto, por exemplo os submarinos que segundo o PORTAS ora emergem ora submergem. Uma noite feliz para todos e por favor Senhor Professor catedrático diga-me onde leciona porque fui ao ISCTE e dei com o nariz na porta. adorava ouvir o senhor a dar aulas ao seus alunos. Desculpe alguns errozitos mas é tarde e Inez jaz morta-

JD disse...

Concentre-mo-nos nesta frase do último período: «se falharmos a reforma da democracia, podemos ser vencidos pela emergência do autoritarismo».
Sublinho este pedaço, porque contém um alerta muito importante: a nossa sociedade precisa de um instrumento de controle e fiscalização sobre os actos políticos e o funcionamento das instituições, sob pena de, na ânsia de fazer justiça (ou vingança) deixar-mo-nos ir por uma ladaínha que sirva propósitos egoístas e de domínio. Obviamente, precisa de verdade, pois não é com afirmações de que melhores salários realizam a solução económica, em virtude da tradicional incapacidade para produzir, no mínimo, o equivalente ao consumo, que se estabelecem os quadrantes da recuperação essenciais para a regeneração nacional. Será necessária justiça na repartição da riqueza produzida, mas acentuadamente diferente do modelo PREC. Também é preciso outro conjunto de soluções, de que destaco: ou nos mantemos no euro, ou saímos (e neste caso, talvez com algum secretismo na busca da solução), mas em ambos os casos devemos estar preparados para os impactos das soluções, que não podem ser de rega-bofe e com mais encargos de importação. A democracia só o é, quando implica cidadania activa e solidariedade. Não custa nada, mas não cai do céu.
Ah! quanto mais tarde for tomada a decisão, mais dificuldades serão acumuladas.
JD

Anónimo disse...

Não quer também mandar fazer um teste de paternidade aos filhos de José Sócrates?

Anónimo disse...

Em 2006-2007 O Governo liderado por este senhor através do MNE desfere um duro golpe usando falsificação de documentos de estado, denuncias caluniosas e uma embaixada, contra o verdadeiro Duque de Bragança scribd.com/doc/114996263/D-Rosario-de-Braganca-Um-Rei-Um-Povo-A-Vontade-de-Vencer naquela que foi a pior tentativa de silenciamento da verdade histórica sobre a Casa Real Portuguesa a que o povo português tem direito. Os anos passaram e felizmente a justiça Italiana absolveu SAR. D. Rosário de todas as acusações, mas não o livrou de anos de sofrimento pessoal e familiar. Por esse motivo podemos ver nesta detenção alguma justiça divina, só que o meu pressentimento que as coisas não vão ficar pela detenção e que este patife tiranete de meia tigela vai ser a versão Carlos Cruz da politica! Aliás segue-lhe os passos com as entrevistas desesperadas!